Transformação – Clientes projetam demanda em alta

Eletroeletrônicos – A Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos (Eletros) estima para 2020 um crescimento entre 5% e 10% na produção do setor. “No ano passado reconhecemos uma série de medidas positivas na condução da economia, além da aprovação da reforma da previdência. Para 2020, o setor espera maior consistência na melhora dos indicadores macroeconômicos, refletindo em uma retomada mais forte do consumo ”, explica José Jorge do Nascimento, presidente da associação. A Eletros representa as 33 maiores empresas do setor.

“Se este cenário se confirmar, devemos assistir uma sensível melhora na oferta de empregos, impactando positivamente na melhora da renda da população ”, emenda o dirigente. Para ele, duas pautas são prioritárias esse ano, a reforma tributária e a abertura comercial. “Temos nos mantido permanentemente abertos ao diálogo com o governo e dispostos a ajudar na formulação de propostas que contribuam para melhora no ambiente de negócios ”, ressalta.

No início do ano passado, a estimativa da Eletros para o ano foi exatamente igual à de 2020. A produção de eletroeletrônicos registou alta de 5%, mesmo desempenho verificado em 2018. Ao todo, foram produzidas 104,8 milhões de unidades no ano passado.

“Os números indicam que atingimos o piso de nossa previsão, uma recuperação do consumo mais lenta do que seria a ideal. Projetávamos evolução com margem de crescimento mais robusta ”, afirma Nascimento.

O setor de linha branca, que representa principalmente a produção de máquinas de lavar, refrigeradores e fogões, apresentou crescimento de 7,8% em 2019. No ano anterior a evolução havia sido de apenas 1%. Os números absolutos indicam a produção de 15,8 milhões de unidades destes produtos em 2019, contra 14,6 milhões em 2018. “Ao analisarmos isoladamente os dados de linha branca verificamos uma evolução importante. Este viés positivo, porém, deve ser interpretado com moderação, este segmento sentiu os efeitos da crise dos últimos anos com desempenhos que variaram entre estagnação e encolhimento da produção ”.

Na linha marrom, de equipamentos de áudio e vídeo, entre os quais os televisores aparecem como principal produto da categoria, os indicadores demonstram evolução de 3%. Foram produzidos 12,4 milhões de televisores em 2019, contra 12 milhões em 2018. “Se considerarmos que em 2018 tivemos um ano de Copa do Mundo, período em que tradicionalmente as vendas de televisores disparam e crescem acima da média histórica, em 2019 registramos uma evolução moderadamente positiva ”.

A linha de eletroportáteis, formada por uma grande variedade de produtos, incluindo secadores de cabelo, sanduicheiras, ventiladores, entre outros, apresentou crescimento de 17,8% em 2019. Foram produzidos 76,6 milhões de unidades de produtos em comparação aos 65 milhões produzidos em 2018. Em torno de 25% destes produtos são ventiladores. No comparativo entre 2018 e 2017, a evolução foi de 14%. “Estamos falando de uma categoria de produtos mais acessíveis e presente na vida dos brasileiros de todos os níveis de renda. Os indicadores neste segmento mostram uma evolução moderada, mas consistente ”.

Página anterior 1 2 3

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios