Termoformagem – Expositores demonstram confiança em recuperação e apresentam novidades

As máquinas de termoformagem a vácuo como as da série KMV operam com diversas resinas, com ou sem apoio de ar comprimido, e contam com sistema modular que permite ajustes na configuração. As máquinas para moldagem sob pressão da série KMD também processam diversos polímeros.

“As máquinas SpeedFormer para a produção em massa de componentes de embalagens, além dos altos rendimentos, foram projetadas para assegurar que a troca de ferramentas e todo o trabalho de manutenção sejam feitos com muita rapidez”, acrescentou Claassens.

As moldagens podem ser a vácuo ou sob pressão ou ainda podem ser realizadas pela combinação das duas tecnologias. Segundo ele, o processamento de bandejas de PET é realizado com máquinas providas de sistema sob pressão, enquanto o processamento de filmes de menor espessura para embalagens mais delicadas é feito com máquinas que contam com sistema de vácuo.

A Kiefel também desenvolveu um sistema vacuum forming denominado EcoFormer, indicado para iniciantes no processo e que planejam produzir embalagens a um custo bem mais acessível. Além de mais econômico, esse novo sistema foi preparado para processar termoplásticos biodegradáveis.

Com trinta máquinas já instaladas no Brasil, Claassens não dá sinais de que os planos inicialmente propostos para a subsidiária brasileira possam arrefecer. “A crise mundial promoveu algumas paralisações no consumo nos últimos meses, mas daqui a pouco tudo se recupera e volta ao normal”, considerou, acrescentando que o câmbio também deve ajudar, pois está mais favorável às vendas no Brasil das máquinas produzidas na Alemanha.

Demanda externa aumenta – O mercado externo também está muito receptivo às tecnologias nacionais de termoformagem. A Eletro-Forming chega a compor 50% do seu faturamento com exportações, com vendas de modelos para vacuum forming, máquinas cujos moldes atuam sob vácuo, e de modelos para pressure forming, cujos moldes atuam com ar comprimido.

“Em 2008, a maior parte das inovações em máquinas encomendadas à nossa fábrica foi procedente do setor de autopeças. Em 2009, tudo leva a crer que o maior número de inovações e pedidos deva partir das indústrias de embalagens”, acredita Paulo Lakatos, um dos diretores da Eletro-Forming.

Plástico Moderno, Paulo Lakatos, um dos diretores da Eletro-Forming,Termoformagem - Expositores demonstram confiança em recuperação e apresentam novidades
Lakatos lançou formadora com produtividade de injetora e mostrou TC-C com servomotor

Com mais de 2.500 máquinas instaladas no Brasil e em vários outros países, a empresa expôs na feira o maior modelo até hoje produzido de uma máquina automática para vacuum forming. Com dimensões de forno de 3 m x 2 m, o modelo, especialmente construído para cliente do setor automotivo, estará dedicado à fabricação de componentes para ônibus e caminhões, alcançando produtividade entre 15 peças até 20 peças de 3 m x 2 m/hora, “ou seja, nível de produtividade equiparável ao de uma máquina injetora”, frisou o diretor Jorge Lakatos, o patriarca da família que atua nesse ramo desde 1972.

A nova máquina, no caso, trata-se de uma vacuum forming SupraVac 2. Provida de dois fornos, permite moldagens de chapas em espessuras desde 1 mm até 12 mm, possui colchão de ar para controle de “embarrigamento” e pode operar com resistências de quartzo ou halógenas, como elementos de aquecimento.

Outros diferenciais desse modelo são contar com duas válvulas de vácuo com vazões diferentes para facilitar a regulagem dos moldes e destacador a ar comprimido com regulagem de tempo e pressão para que as peças moldadas se soltem facilmente do molde, além de sensor infravermelho que faz a leitura da temperatura das chapas durante o aquecimento, garantindo a repetibilidade do processo em condições de operação diversas, seja sob variações de temperatura ambiente ou tempo de operação da máquina.

“A tecnologia da SupraVac se equipara à tecnologia europeia e tem preço bem mais acessível. Trata-se de tecnologia de ponta para termoformar por vacuum forming qualquer tipo de peça automotiva”, informou Lakatos.

Lançada em 2003, a versão atual da SupraVac conta com sistemas para a troca rápida de moldes – tanto nos quadros superior e inferior quanto na mesa porta-molde – que, em conjunto com o quadro de regulagem contínua, promovem a diminuição dos set-ups.

Página anterior 1 2 3 4Próxima página

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios