Ferramentaria Moderna

Telhas: Mercado nacional se rende ao PVC e deve gerar boas oportunidades de negócios

Jose Paulo Sant Anna
1 de fevereiro de 2013
    -(reset)+

    A aprovação de seu uso pelo programa Minha Casa, Minha Vida também é citada por Campos como novo impulso para a produção. “No caso de residências, elas são muito competitivas”, garante. O desempenho tem sido ótimo mesmo sem grande alarde. “Nós nem fizemos inserções na mídia para divulgar as telhas, apenas participamos de um ou dois programas de televisão fazendo doações pedidas pelas emissoras”, diz.

    Na hora certa – Uma nova empresa entra nesse segmento: a Permatti, de Mauá-SP. No mercado desde 2000, produz portas sanfonadas e forros de PVC, entre outros produtos, além de trabalhar com reciclagem. De acordo com o diretor Ailton Perlati, as primeiras peças saíram das máquinas no final de 2012, mas houve problemas com as matérias-primas. Solucionados, a empresa reiniciou a produção no final de janeiro. Desta vez para valer.

    “Entramos na hora certa”, garante o diretor. Ele explica essa observação. Para se adequar às normas brasileiras voltadas para o mercado de telhas, o material acrílico, responsável pela camada externa, precisa ser resistente aos raios ultravioleta e às chamas. De acordo com o dirigente, no princípio da produção de telhas pela Precon, os fornecedores do acrilato conseguiram atender às exigências em relação aos raios UV, mas encontraram dificuldades em relação ao combate às chamas.

    Depois de muitos testes, o problema do combate às chamas foi contornado. Algumas peças fabricadas com a segunda versão do material, no entanto, perderam desempenho em relação aos raios UV. “A Precon teve problemas com telhas que perderam a cor”, afirma. Novos testes feitos e problema resolvido. “Isso aconteceu recentemente. Estamos lançando nosso produto no momento certo, vamos usar a fórmula mais adequada.” O material acrílico usado hoje pelas transformadoras tem a assinatura da Sabic.

    Extrusora pode produzir até 36 peças de 2,20 m por hora

    Extrusora pode produzir até 36 peças de 2,20 m por hora

    A Permatti tem duas linhas de extrusoras em operação. A produção estimada para os próximos meses é de 300 kg por hora por máquina. “Estamos com duas outras linhas com compra já ‘engatilhada’, em breve devemos recebê-las”, explica. Os equipamentos são todos chineses, fornecidos pela Polytech.

    A empresa pretende cumprir as pré-normas orientadas pela Abitelha. A mistura entre PVC e aditivos a ser usada não será a mesma desenvolvida pela dupla Braskem e Precon. “Temos grande experiência em lidar com o PVC, praticamente contamos com duas fábricas, uma para preparar PVC e outra para transformá-lo. Desenvolvemos nossa própria formulação”, explica. Questões técnicas à parte, o otimismo é enorme. “Acreditamos muito nesse projeto”, resume.

    Equipamentos, parte I – Hoje, a chinesa Polytech está em boa posição no mercado brasileiro de máquinas para a transformação das telhas de PVC. A concorrência, no entanto, promete se acirrar. O interesse demonstrado pela indústria de transformação não passa despercebido pela indústria de base. Outros fabricantes, nacionais e internacionais, estão atentos ao promissor filão.

    Duas empresas brasileiras já manifestaram o interesse de nacionalizar os equipamentos: Teck Tril e Extrusão Brasil. Elas contam com uma facilidade: são representantes comerciais da Polytech no Brasil. “Trazemos máquinas da China e estamos desenvolvendo um equipamento nacional, que devemos lançar ainda neste ano”, informa Fabian Alejandro Zubala, gerente comercial da Extrusão Brasil. No mercado desde 1996, a empresa é bastante conhecida por oferecer modelos para perfis, forros e tubos de PVC, entre outros. O nicho de telhas promete se tornar um novo e atraente filão para a empresa.

    Zubala explica a parceria com a empresa chinesa. “A Polytech é a maior empresa da China voltada para essa aplicação. Passar a representá-los foi uma boa oportunidade de negócios.” Para quem acha soar estranho o fato de representar uma futura concorrente, ele esclarece. “Somos parceiros, a Polytech tem nos orientado com sua tecnologia no desenvolvimento do modelo nacional.”

    A estratégia prevê oferecer alternativa aos compradores. “Quem tem dinheiro na mão pode escolher o equipamento chinês a um preço competitivo. Quem optar pelo financiamento da máquina, ao adquirir um modelo nacional, conta com as vantagens oferecidas pelo Finame.” Pelas nacionais ou pelas importadas, o executivo espera fechar bons negócios. “Acredito que daqui a uns cinco anos teremos umas 150 linhas de produção em funcionamento.”

    De acordo com o gerente comercial, as linhas de produção das telhas são formadas por equipamentos de grande porte. Ele dá uma ideia da capacidade de cada linha. Uma peça bastante procurada conta com largura de 0,88 m e comprimento de 2,20 m. “Com essas dimensões, cada máquina da Polytech produz algo em torno de 36 unidades por hora”, informa. A expectativa é construir o modelo nacional com maior produtividade. “Queremos chegar a 45, 50 telhas por hora.”



    Recomendamos também:








    23 Comentários


    1. Luiz Claudio Bellotto

      algum representante no oeste do PR?


    2. pedro

      quanto custa o mtr quadrado e um calculo para uma area de 200 mts quadrado e qual a forma de pagto.


    3. Alves

      Quantos anos podem durar,são resistentes aos raios UV?


    4. Vera

      Para uma casa com 145 metros quadrados quantos telhas de 2,30 de comprimento devo comprar? Aguardo resposta.Obrigada.


    5. onde encontro estas telhas no oeste do parana ???… moro em toledo-parana


      • Luiz Claudio Bellotto

        Leandro. tb moro em Toledo PR. e quero saber mais a respeito dessas telhas. Mas até agora ninguem me respondeu. conseguiu alguma coisa??


    6. Qual o valor das peças.
      Onde posso adquirir , telhas de PVC , em Paulo Afonso BA, ou em cidades mais próxima.
      A empresa tem como entregar , via transportadora ,no meu endereço.
      Quantidades 18,00 M/2.

      valos responder
      Att
      Silas Pinto.


    7. CLAUDEMIR

      ONDE ENCONTRAR ESSAS TELHAS EM SANTA BARBARA D`OESTE E QUAL SEU PREÇO POR METRO QUADRADO


    8. Adinaldo

      qual o valor das telhas tamanho e a onde eu encontro aqui no Pará.


    9. wilson pereira silveira

      Gostaria de saber as metragens das telhas,o preço das telhas e onde comprar moro em Mogi Das Cruzes


    10. Rosilene Domingues

      gostatria de saber quantas telhas vou usar no telhado que mede 15 x 4m…posso comprar diretamente com vcs? qual o valor da peça?


      • Gostaria de saber onde encontrar as telhas, metragem e preço para um telhado com duas águas cada uma 6 x 12 total das duas 144m2 de preferencia com telha americana.

        Sou de Bragança Paulista SP

        Desde já muito obrigado

        Vander


        • edilceu gonçalves de oliveira

          gostaria de saber se tem representante em porto alegre rgs,pois preciso de mais ou menos 400-telhas 2,44×1.10-6mm se ja é fabricado,tambem as cunheiras,e se as mesmas se adaptam as de fribrocimento,gostaria de ver catalagos.Preciso de resposta rapida,pois estamos com muitas telhas quebradas atenciosamente


    11. Ana Marly de Oliveira Hegouet

      Qual a durabilidade das telhas Precon e qual o preço de cada unidade; Quantas telhas vou precisar para um telhado de 4,30 x 4,50m.


    12. Gostaria de saber da durabilidade,e medidas, onde comprar. Qual as cores.


      • sonia

        queria saber e ver as opiniões das pessoas que tem esse tipo de telhado e o tempo que dura porque estarei refazendo o meu telhado que é de telhas francesas que estão durando até hoje em torno de 58 anos ou mais pois estou com 60 e não quero refazer o telhado por mais outros 58 anos.Meus filhos são jovens ainda e permanecerão na moradia pois, pretendem construir suas casas aqui futuramente e querem que dure tanto quanto o meu.


    13. quantos anos de garantia tem as telhas de pvc



    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *