Embalagens

Sopro – Clientes querem produzir peças melhores e economizar energia

Jose Paulo Sant Anna
15 de dezembro de 2020
    -(reset)+

    A Multipet é especializada em máquinas de sopro para PET semiautomáticas e automáticas. “Somos precursores no mercado brasileiro, nossas máquinas já nasceram para produzir garrafas de baixa gramatura. Temos clientes soprando garrafas com volume de 500 ml e peso de 9,7 g há quatro anos”, informa Marcius Augusto de Souza, gerente comercial.

    “Nossas máquinas todas são elétricas, têm movimentos comandados por servomotores, que garantem economia de energia”. Souza considera fundamental para a transformação de garrafas com menor peso a presença na máquina de um forno de aquecimento de pré-formas eficiente. O equipamento da empresa considerado premium pela empresa é a máquina Multipet 8000, com capacidade de produção de 8 mil garrafas de 500 ml por hora.

    Todos os fabricantes de sopradoras contam com um excelente argumento de vendas, que toca no ponto mais sensível dos compradores: o bolso. Eles afirmam que o aumento de produtividade e economia de energia proporcionados pelos equipamentos mais modernos permitem retorno rápido dos investimentos aos compradores. Como exemplo, Machado fala sobre o modelo Romi C 15D. “Com as vantagens de desempenho, ele pode proporcionar ganho de até 65% na produtividade quando comparado com as máquinas dotadas de tecnologia anterior”.

    Plástico Moderno - Clientes querem produzir peças melhores, mais leves e ainda economizar energia - Sopro ©QD Foto: Divulgação

    Linha de extrusão combinada com sopro, da Romi

    Um outro aspecto em comum se encontra no desempenho das vendas. “Com o início da pandemia, temeu-se por uma quebradeira generalizada em diversos setores inclusive o de máquinas. Após algumas semanas houve uma gradual busca por equipamentos novos, inicialmente por produtores de embalagens de álcool gel e depois pelos produtores de produtos de limpeza e fármacos. Hoje, o setor de sopradoras está com carteira cheia e trabalho para muitos meses”, informa Zanetti. “A necessidade de atualização do parque fabril garantiu o crescimento de 30% das nossas vendas em relação ao ano passado. Estamos com a fábrica comprometida até o final do ano ”, diz Souza.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *