Plástico

Retrofit

Plastico Moderno
15 de agosto de 2010
    -(reset)+

    Plástico Moderno, Retrofit

    Sopradora Automa em processo de retrofit

    Os prazos demoram de trinta a noventa dias, de acordo com as condições do equipamento. A garantia oferecida é de 180 dias. “Nossos clientes são de médio a grande porte, quase não trabalho com pequenos transformadores”, informa.

    A Tecnofit é uma empresa de pequeno porte, conta com seis colaboradores. “Quando precisamos contratamos temporários”, lembra. Algumas operações são feitas por terceiros, caso das operações de pintura. A empresa trabalha com máquinas de todos os tamanhos e marcas. Ikeda lembra sobre a possibilidade de, durante uma operação de retrofit, aumentar a capacidade da sopradora, pedido feito por muitos clientes. “Algumas vezes transformamos um modelo que sopra frascos de 100 litros para soprar 200 litros”, diz. Nesses casos, além do comando, é necessário adequar vários componentes. Deve-se, por exemplo, trocar componentes hidráulicos convencionais por proporcionais e redimensionar os sistemas de fechamento. “Mudamos metade da máquina”, diz.

    O mercado aquecido, por um lado, pode impedir os clientes de desativar uma sopradora para promover a reforma. Ikeda, no entanto, aponta um aspecto positivo sobre a questão. “Alguns fabricantes estão trabalhando com prazo de entrega de onze meses para um modelo standard novo. A reforma demora muito menos”, diz. Em tempo: as chinesas incomodam pouco o mercado de sopradoras.

    Multinacional presta serviços

    Prestar serviços de reforma de equipamentos não é exclusividade de pequenas empresas. Gigantes da indústria de base oferecem aos seus clientes prestação de serviços do gênero. Um exemplo ocorre com a alemã Krones, especializada em projetos completos de fábricas para embalagens, em especial para produtores de bebidas. No campo dos plásticos, a multinacional atua na montagem de plantas voltadas para a fabricação de produtos embalados com PET, caso de refrigerantes, água mineral, remédios, cosméticos e alimentos.

    Plástico Moderno, Renato Brandão, gerente de pós-vendas da Krones do Brasil, Retrofit

    Brandão: demanda cresceu nos últimos cinco anos

    “No Brasil, montamos equipamentos de transporte aéreo dos vasilhames e rotuladores. Na Alemanha, produzimos todos os equipamentos envolvidos na fábrica”, explica Renato Brandão, gerente de pós-venda da empresa no Brasil. O executivo é o responsável pelas reformas de equipamentos e vendas de peças no mercado nacional. “Nos últimos cinco ou seis anos têm se intensificado bastante as operações de retrofitting”, informa.

    A empresa faz a reforma completa dos mais diversos componentes presentes nas plantas industriais, de sopradoras a enchedoras de garrafas, rotuladoras, inspetores eletrônicos e outros. Os serviços são prestados em oficinas próprias ou, conforme o caso, nas instalações dos clientes. “Existem plantas sem recursos, outros clientes dispõem de dispositivos até para realizar pinturas”, exemplifica.

    “O tempo de depreciação dos equipamentos, em geral, é de dez anos”, explica. De acordo com Brandão, mesmo após esse período de uso, eles chegam à empresa em bom estado. O fato se justifica: quando as máquinas estão em condições muito negativas não valer a pena reparar equipamentos. A Krones propõe ao cliente duas alternativas. A primeira é deixar a máquina nas mesmas condições de uso do modelo original. A outra é promover atualizações, para deixar o desempenho do equipamento superior. O custo do serviço varia muito. “O normal é ficar entre 10% e 25% do preço de um novo”, calcula.

    Em tempos de vacas gordas, como o proporcionado pelos atuais bons ventos da economia, a necessidade dos clientes aumenta. A contratação de serviços, no entanto, se complica. Nem sempre é possível desativar uma linha de produção para efetuar as reformas quando a planta opera com índices de ociosidade mínimos. Mesmo assim, as crises não deixam saudades. “O ano passado foi muito complicado”, avalia Brandão.



    Recomendamos também:








    Um Comentário


    1. Caio

      Façam um orçamento de Retrofit com a Automata do Brasil e verão que vale a pena! Por ex: combinação de novo comando, aplicação de acessórios, nova pintura, adequações normativas, reforma eletroeletrônica etc.. Máquina nova em perfeito estado e preço mt mais em conta do que trocar a máquina. Recomendo



    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *