Covestro espera vender mais resinas plásticas

Covestro espera vender mais nos seus mercados

A Covestro trabalha este ano com a perspectiva de crescimento entre pequeno e médio nos diferentes mercados nos quais atua.

No mercado de TPU (poliuretano termoplástico), por exemplo, “espera-se um crescimento mediano”, ressalta Giovanna Marsura, representante comercial da empresa.

Embalagens e indústria automotiva, ela especifica, devem contribuir mais significativamente para o crescimento da demanda.

“Mas negócios voltados a setores como construção e indústria calçadista podem enfrentar dificuldades”, ressalta Giovanna.

Resinas plásticas: Covestro espera vender mais nos seus mercados ©QD Foto: iStockPhoto
Giovanna Marsura, representante comercial da Covestro

Nos elastômeros, que têm parte significativa de seus negócios realizados com mercados de commodities como óleo, gás e mineração, “a previsão é de pequeno crescimento, que pode ser impulsionado por investimentos e/ou regulamentações governamentais, pela busca de soluções mais sustentáveis e avanços tecnológicos”, destaca Gustavo Nascimento, também representante comercial da Covestro.

Resinas plásticas: Covestro espera vender mais nos seus mercados ©QD Foto: iStockPhoto
Nascimento: mineração, óleo e gás puxam venda de elastômeros

“Entretanto, fatores como a instabilidade econômica, flutuações nos preços de matérias-primas e desafios logísticos, sempre podem representar obstáculos”, acrescenta Nascimento.

A demanda por policarbonato se mostrou “bastante sólida” em 2023, destaca Jéssica Martendal, gerente de marketing e vendas de plásticos de engenharia da Covestro, observando que a ampla oferta global tornou o cenário bastante competitivo, com prática de preços “bastante agressivos” também aqui no Brasil.

Resinas plásticas: Covestro espera vender mais nos seus mercados ©QD Foto: iStockPhoto
Jéssica Martendal, gerente de marketing e vendas de plásticos de engenharia da Covestro

As restrições às importações e à atividade industrial na Argentina, aponta Jéssica, também afetaram negativamente os negócios com policarbonato. “A perspectiva de crescimento para este ano se baseia na evolução prevista para o PIB industrial. Alguns setores podem se destacar mais que outros, como a indústria automotiva, que tem crescimento estimado em 7% conforme dados da Anfavea; tendo bastante material direcionado para esse mercado, a Covestro pode se beneficiar desse número positivo”, destaca.

Leia Mais:

Não deixe de acessar o Guia QD, maior plataforma eletrônica de compras e vendas do setor, com mais de 300 mil consultas mensais por produtos e mais de 400 anunciantes ativos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios