Resfriamento – Sistemas fechados ou sem água disputam clientes

Sistemas fechados ou sem água disputam clientes interessados em aumentar a produtividade

Avanços e novidades – Resfriadores

Plástico Moderno, Sistema de resfriamento de água fornecido pela Apema
Sistema de resfriamento de água fornecido pela Apema

Assim como evoluem os equipamentos de refrigeração e resfriamento, desenvolvem-se soluções destinadas a otimizar também sua utilização.

Exemplo: em vez de instalar dois dry coolers, cada um deles com cinco motoventiladores, usa-se apenas um, com a mesma quantidade de cinco ventiladores, porém maiores e posicionados em V (e com dois radiadores, como haveria com dois equipamentos independentes).

“Com isso, pode-se conseguir a mesma capacidade possível com os dois dry coolers, porém reduzindo o consumo de energia e o próprio investimento na aquisição dos equipamentos”, destaca Matos, da Apema.

A Apema oferece duas linhas de trocadores de calor para resfriamento do óleo das unidades hidráulicas de injetoras: a água (tipo casco e tubo) e a ar.

A primeira é mais utilizada, até porque seu custo é um pouco menor. Mas, em algumas situações, ressalva Matos, o trocador a ar pode ser mais interessante, por exemplo, quando a máquina na qual ele deve ser colocado será instalada longe da tubulação de água. Ou então, quando toda a capacidade de resfriamento do dry cooler da planta já está ocupada, e assim não há mais água resfriada disponível.

Já a Körper lançou este ano a linha de torres abertas Q+, e torres de circuito fechado de uma linha batizada como Novo FCH (alusão à modernização da linha anterior, chamada FCH).

Plástico Moderno, Unidade de água gelada fornecida pela Körper
Unidade de água gelada fornecida pela Körper

A primeira, relata Bassani, é indicada para capacidades entre 10 e 500 m³/h, e tem equipamentos de alta performance, mais compactos e menos consumidores de água e energia. Já as novas versões dos equipamentos FCH têm, entre outros diferenciais, dimensões reduzidas para facilitar o transporte, entrega completamente montado (sistema plug and play) e ventiladores de alta eficiência.

A Körper agrupou este ano seus equipamentos de refrigeração em três linhas: KRE Performance, mais básica; KRA/KRW Precision, intermediária; KPA/KPW Professional, composta por equipamentos dotados de inversores “Equipamentos com inversores de frequência nos compressores reduzem muito o consumo de energia elétrica”, ressalta Bassani.

Por sua vez a Refrisat, conta Jaqueline, oferece um produto qualificado como smart chiller, cujo controle permite que a capacidade varie entre 10% e 100%, enquanto nos produtos convencionais essa faixa começa em 30%. “Esse nosso sistema otimiza ainda mais o uso do equipamento, permitindo seu funcionamento em patamares mais baixos de utilização, tudo isso feito de forma automática, pré-programada”, argumenta.

 

Recentemente, a Refrisat incluiu em seu portfólio também desumidificadores de ar, que evitam a formação de umidade nos moldes.

“O fluxo de ar seco insuflado em ambientes que necessitam de baixa umidade proporciona diversos benefícios, como aumento da produtividade, maior qualidade e extensão da vida útil, além da isenção de risco de oxidação em materiais de aço carbono”, explica Jaqueline.

Plástico Moderno, Torre evaporativa híbrida evita contaminações no processo
Torre evaporativa híbrida evita contaminações no processo

Além disso, essa empresa disponibiliza ainda uma solução cujo conceito, afirma Jaqueline, nasceu de esforços próprios: um resfriador de ar para extrusora de filme.

“A utilização desse equipamento possibilita a obtenção do fim do bloqueio, além de menor índice de refugos, redução de aparas e aumento produtivo de até 30% na extrusão de filme tubular”, detalha.

Zimmaro também inclui, entre os atuais destaques do portfolio da Mecalor, unidades de ar frio para extrusão de balão. “Esse equipamento evoluiu bastante, os que nós produzimos hoje consomem muito menos energia e têm controle automático de capacidade por compressor digital”, diz.

“A maioria das extrusoras usa algum sistema para resfriar o balão, é questão de produtividade, somente assim é possível aproveitar toda a capacidade da máquina”, ressalta o profissional da Mecalor (empresa que além de dry coolers e sistemas de ar frio para extrusão de balão fabrica também chillers, termoreguladores e termochillers, entre outras soluções).

Página anterior 1 2 3

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios