Máquinas e Equipamentos

Refrigeração – Tecnologias privilegiam o corte no consumo de energia elétrica

Plastico Moderno
22 de outubro de 2009
    -(reset)+

    E justifica: “Os sistemas de refrigeração e unidades de água gelada têm seu maior rendimento atrelado a uma boa especificação e aplicação. Embora raramente exijam uma intervenção técnica, quando isto ocorre, ela deve ser feita por pessoal especializado. Por isso, não é simples importar e vender tais equipamentos. Uma parada de máquina de refrigeração para, com certeza, o processo produtivo, exigindo intervenção rápida, possível apenas para fornecedores bem estruturados no país.”

    Na avaliação de Prado, o Brasil conta com a melhor estrutura de fabricação e suporte na área de refrigeração de toda a América Latina, com bons fabricantes, gente especializada e formação técnica. “Barreira natural aos vendedores de ocasião.”

    Para a Megacal, 2009 começou abaixo das expectativas, mas recuperou o fôlego. “Agora trabalhamos a todo vapor. As vendas já registraram alta de 15% em relação ao período anterior, contra uma projeção de 30% que ainda deve ser alcançada”, afirma Priscila. Para 2010, a empresa projeta crescimento de 50%.

    Hora de investir – Tempos de crise exigem mudanças, adequações. Mas em vez de recuar, as empresas do setor de refrigeração decidiram investir e se preparar para a retomada do mercado. “Em 2009, aproveitamos a crise, investimos cerca de 300 mil reais e mantivemos a equipe toda motivada e ocupada com novos desenvolvimentos”, explica o diretor-geral da Mecalor, de São Paulo, János Szegö.

    O argumento é simples: “A redução de custos nunca deve por em risco a confiabilidade e a reputação alcançadas. A Mecalor promove o treinamento intensivo da equipe, e o Programa de Melhoria Contínua adotado pela empresa foi responsável pela implantação de 2 mil sugestões.”

    Os investimentos nortearam as ações de praticamente todos os fabricantes do setor. A Piovan, de Osasco-SP, lança, em média, quatro novos equipamentos por ano, sem contar as soluções especiais. Segundo informações do vice-presidente para a América Latina, Ricardo Prado, os investimentos da companhia contemplam tanto a planta brasileira quanto a matriz, onde estão os dois times de desenvolvimento para o setor de refrigeração.

    Com 23 anos de experiência no mercado de resfriamento de água e ventilação, a Körper, de Jundiaí-SP, apresentou sua primeira unidade de água gelada na Brasilplast 2009. “A equipe de engenharia de produto está atenta e em constante atualização para sempre ter o melhor produto disponível no mercado”, diz o gerente de aplicações especiais, Roger Camargo.

    Plástico, Refrigeração - Tecnologias privilegiam o corte no consumo de energia elétrica

    Água gelada da Kröper propicia menor consumo energético

    A empresa assegura ainda o constante aperfeiçoamento das linhas, visando, entre outros ganhos, a redução do consumo energético. “A fábrica está sendo adaptada para o grande volume de vendas da unidade de água gelada, que superou todas as expectativas previstas no seu lançamento. Além disso, nossos produtos estão passando por um processo de redução de tamanho. Em alguns casos, ficando mais altos, porém menores nas bases para ocupar cada vez menos espaço nas plantas dos clientes.”

    Casa nova – Uma das metas da Megacal, de Mairiporã-SP, para 2010 é a construção da nova sede. Nos últimos dois anos, no entanto, ações estratégicas realizadas com a equipe interna e os fornecedores já renderam bons resultados, como a redução de 30% nos custos e melhorias na qualidade dos produtos. “Solidificamos nossas parcerias”, comemora a diretora-financeira Priscila Perri.

    A Tecnos, de Limeira-SP, já está de casa nova. A empresa trocou as antigas instalações, distribuídas em quatro prédios com 3.500 m², por sede com 8.000 m² de área construída. Com isso, unificou as unidades Tecnos Metais, Tecnos Laser e Tecnos Plásticos. Os investimentos contemplaram ainda a aquisição de máquinas de corte a laser, prensas e softwares, além da implantação da ISO 9.000/2008, e treinamento dos colaboradores.

    Dentre as novidades, Mauricio Beduschi cita a ampliação da linha de unidades de água gelada, com condensação a ar e a água, que passou a contarmodelo para até 300.000 kcal/hora. “Com a melhoria e padronização dos processos produtivos, tivemos uma redução de custo entre 10% e 20%.”

    Plástico, Refrigeração - Tecnologias privilegiam o corte no consumo de energia elétrica

    Linha de água gelada ganhou modelos maiores

    Montados em gabinetes com pintura eletrostática, os equipamentos possuem compressores herméticos tipo scroll, CLP para comando, tubulação hidráulica em cobre, facilidade de manutenção e controle automático de compressores, entre outras características. “O controle de temperatura é feito por meio de um CLP que realiza o revezamento de compressores minimizando o número de partidas por hora.”



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *