Borracha

EXPOBOR – Produtos sustentáveis deram o tom à tradicional feira para o mercado da borracha

Rose de Moraes
8 de maio de 2012
    -(reset)+

    Já os revestimentos da família HRC permitem reduzir a temperatura dos artefatos, aumentando a sua vida útil. “Ao usar o HRC nos suportes dos escapamentos, por exemplo, algumas montadoras conseguiram substituir as borrachas de silicone pelas borrachas de EPDM, de menor custo”, ressaltou o supervisor de vendas para o mercado automotivo da Lord, Nilson Pavani.

    Butílicas de alto desempenho – Borrachas butílicas de alta impermeabilidade a gases e líquidos, produzidas pela polimerização de isobuteno com isopreno, também foram destaque na Lanxess. Uma das linhas, a Bromobutyl, especialmente voltada à indústria de pneus, ao servir de revestimento interno (inner liner), elimina a necessidade de emprego de câmaras de ar em pneus radiais, oferecendo outras vantagens relacionadas com o aumento da reatividade de cura e com a maior compatibilidade com polímeros insaturados, promovendo maior adesão às carcaças.

    A outra linha, denominada Butyl Regular, é recomendada para uma ampla variedade de produtos, como câmaras de ar, mangueiras, revestimentos de tanques, correias transportadoras, vestuários de proteção, e bladders para pressionar as borrachas contra os moldes, para oferecer a forma final aos pneus.

    A Rhein Chemie, unidade de negócios da Lanxess, também destacou compostos utilizados em pneus de alta performance, como o Rhenogran CLD-80, um doador de enxofre de última geração que faz com que os pneus e os artefatos técnicos de borracha resistam a altas cargas dinâmicas; e o Rhenocure SDT/S verde, um doador de ponta feito com componentes de enxofre com base em recursos vegetais.

    Matérias-primas naturais também estão presentes na composição do plastificante Rhenosin W 65 (GE 1665), compatível com muitos elastômeros, e desenvolvido para uso em artigos de borracha sob ampla faixa de temperatura. Na área de aditivos, o Aflux 37 melhora o processamento dos compostos de borracha à base de sílica, e diminui a viscosidade dos compostos, enquanto o Rhenofit STA/S é um promotor de processamento para sílicas e que também atua como ativador de polimerização. A empresa ainda destacou agentes desmoldantes para pneus e tintas de marcação formulados em base água e livres de voc, além de bladders da linha Rhenoshape.

    30 anos de Unilene– As funcionalidades das resinas hidrocarbônicas da Braskem e o aniversário de 30 anos da marca que as identificam (Unilene) foram destaque da empresa. O engenheiro de aplicações Glauco Gabriel, da Braskem, unidade de Mauá-SP, reiterou a ampla utilização das hidrocarbônicas termoplásticas derivadas de petróleo na produção de borrachas de alta performance, e também na fabricação de adesivos e tintas, além de vantagens técnicas e econômicas, motivos suficientes para comemorar a participação da marca no setor ao longo das últimas três décadas com uma ampla campanha de revitalização, que inclui expansão da estrutura de assistência técnica e aumento da

    Plástico, Glauco Gabriel, da Braskem, Produtos sustentáveis deram o tom à tradicional feira para o mercado da borracha

    Ricardo J. F. Verona: sugere óleos naftênicos em substituição aos aromáticos

    capacidade produtiva.

    “As melhorias e investimentos promovidos resultaram em aumento de capacidade de 20% das resinas hidrocarbônicas, que hoje alcançam 19 mil toneladas/ano, volume justificável pelo aquecimento da demanda proveniente dos setores de produção de automóveis, caminhões e artefatos de borracha”, informou Gabriel.

    Atualmente são oito grades fabricados: três para aplicações em compostos de borracha, em virtude da ampla compatibilidade com elastômeros; três para tintas e dois para adesivos. Essas resinas são reconhecidas por reduzir o tempo de processamento das borrachas e agregar melhorias mecânicas ao produto final, como maior resistência à abrasão e ao rasgo.

    Além das resinas hidrocarbônicas, produzidas com exclusividade na América Latina, a Braskem também divulgou na Expobor a inauguração, em junho próximo, da nova planta de butadieno, no polo de Triunfo. O valor total do investimento será de R$ 300 milhões e a nova planta irá produzir 100 mil toneladas adicionais de butadieno por ano, ou seja, irá praticamente dobrar a capacidade instalada atual, hoje de 105 mil toneladas/ano.

    Silicones para capa de vela – A oferta de novos elastômeros de silicone para o setor automotivo ficou mais ampla e aprimorada com o último desenvolvimento da BlueStar Silicones, empresa do grupo BlueStar, criada em 2007 com a quisição da Rhodia Silicones pela China National Bluestar Corporation, do grupo ChemChina.

    Plástico, Gabriela Aguiar, líder global dos negócios de borrachas de silicone do grupo ChemChina, Produtos sustentáveis deram o tom à tradicional feira para o mercado da borracha Gabriela Aguiar:



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *