Borracha

EXPOBOR – Produtos sustentáveis deram o tom à tradicional feira para o mercado da borracha

Rose de Moraes
8 de maio de 2012
    -(reset)+

    Autopeças de elastômero verde da DuPont ajudam a poupar o meio ambiente[/caption]

    Nilson Bordin, líder de vendas de Performance Polymers da DuPont do Brasil, explica que a DuPont e a Takata-Petri, principal fornecedora de volantes, trabalharam em colaboração no desenvolvimento de sistemas de airbags, optando pelo polímero de alto desempenho Hytrel RS, que associa desempenho superior à queda de emissões de gases de efeito estufa em razão de os componentes do polímero derivarem até 65% de fontes renováveis.

    Além de possuir base renovável, o novo Hytrel RS conserva praticamente todas as propriedades do elastômero termoplástico Hytrel convencional, conhecido no setor por seu emprego em dutos de ar, conexões e vedações automotivas. O novo Hytrel RS resiste igualmente a temperaturas de trabalho desde -40ºC até 120ºC e também oferece o atributo da reciclagem. O conteúdo renovável da fórmula pode oscilar entre 20% e 65%, a depender da aplicação.

    A DuPont também assinalou as propriedades do fluorelastômero Viton em aplicações de juntas, vedações e mangueiras, destinadas a conduzir ou entrar em contato com biocombustíveis, como etanol e biodiesel, que exigem materiais de mais alto desempenho para fazer frente aos ataques químicos associados a esses produtos.

    Outro elastômero destacado na ocasião foi o Vamac Ultra High Temperature, um termofixo de etileno metilacrilato de alto desempenho, que suporta temperaturas até 175ºC em operações contínuas de trabalho. “O nosso propósito, ao elevar em 10ºC a resistência e oferecer ao mercado a versão UHT, é atender às exigências da indústria automobilística no emprego de motores cada vez mais compactos e potentes e que alcançam temperaturas mais elevadas, exigindo maior capacidade de suporte de capas de juntas homocinéticas, retentores de transmissão, mangueiras de resfriamento de óleo, entre outras peças de borracha”, explicou Bordin.

    Alternativas aos aromáticos – A substituição dos óleos aromáticos por óleos mais amigáveis na fabricação de pneus, prevista pela diretiva 2005/69/EC da comunidade europeia, também já encontra respaldo no Brasil pela oferta de óleos minerais de processo considerados ecologicamente corretos. Esse é o caso dos óleos naftênicos pesados da linha Flex NBS, ofertados à indústria pneumática desde 2010 pela quantiQ.

    Plástico, Ricardo J. F. Verona, gerente de unidade da quantiQ,  Produtos sustentáveis deram o tom à tradicional feira para o mercado da borracha

    Ricardo J. F. Verona: sugere óleos naftênicos em substituição aos aromáticos

    “Começamos a desenvolver a linha de óleos Flex NBS em 2005 e cinco anos depois pudemos comemorar a sua produção em escala comercial e industrial e as primeiras homologações em substituição aos óleos aromáticos na fabricação de pneus”, afirmou Ricardo J. F. Verona, gerente de unidade da quantiQ.

    Segundo ele, sob vários aspectos, a utilização de óleos naftênicos Flex NBS proporciona vantagens em comparação com o uso de óleos aromáticos. A grande compatibilidade com os elastômeros de estirenobutadieno, as borrachas de SBR e a maior resistência à abrasão conferida aos pneus são algumas das melhorias proporcionadas pelo seu uso nos compostos.

    Com vendas crescentes, principalmente entre fabricantes de pneus que exportam para a Europa, Verona acredita que os investimentos feitos na tecnologia de produção de óleos naftênicos, produzidos na unidade de Duque de Caxias-RJ, serão recompensados pelas substituições dos óleos aromáticos proibidos desde 2010 na composição de pneus comercializados na Europa, por apresentarem potencial carcinogênico e pelos resíduos deixados nas pistas de rolamento que acabam atingindo os mananciais.

    Adesivos de baixo voc – As tecnologias livres de metais pesados e com baixa emissão de compostos orgânicos voláteis (oc) são a base dos novos adesivos da tradicional marca Chemlok, como o Chemlok 6220 e o Chemlok 6016, lançados pela Lord para promover colagens entre borrachas e metais.

    Um estudo sobre o desempenho mecânico dos novos adesivos livres de metais pesados e integrantes da série EPCA (Environmentally Preferred Chemlok Adhesives), composta também por produtos de base aquosa ou formulados com solventes de baixa emissão de voc (levando em conta a adesão, antes e após a névoa salina e de rasgamento a quente), revelou grau de excelência dos novos produtos, confirmados pela retenção total da borracha em todas as situações testadas.

    A empresa também destacou revestimentos especiais, como os High Performance Coatings (HPC) e os Heat Reflective Coatings (HRC), concebidos para melhorar o desempenho de diversos tipos de artefatos de borracha. Segundo informações da empresa, os revestimentos HPC permitem substituir elastômeros mais sofisticados por formulações convencionais, diminuindo o custo final dos projetos, por exemplo, quando empregados na proteção de peças contra o ataque de ozônio, utilizadas em plataformas offshore.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *