Borracha

Prévia Expobor 2014: Encontro da borracha promete atrair visitação superior ao evento passado

Maria Aparecida de Sino Reto
7 de Maio de 2014
    -(reset)+

    Segundo o diretor industrial da Alldar, Vinícius Arantes, esta misturadora e homogeneizadora gera um expressivo aumento na produção e diminui o custo do processo. “Posso citar o exemplo do EPDM, que é uma borracha sintética. No Banbury Kneader, esse material terá um tempo total de mistura entre quatro e seis minutos, em um volume de 35 litros”, destaca. Outro diferencial se refere à forma como é feita a descarga do material já misturado, pois uma câmara de mistura basculante, ao final do processo, irá automaticamente bascular 140° e todo material será descarregado, dispensando uso de plataforma elevatória. Este equipamento já é bastante conhecido no mercado do plástico, no entanto, vem despontando como opção também na indústria da borracha.

    Plástico Moderno, Triturador PMPS-400 conta com uma peneira embutida

    Triturador PMPS-400 conta com uma peneira embutida

    O cenário é positivo para a companhia. No ano passado, registrou aumento nas vendas em relação a 2012. Aliás, os equipamentos direcionados à produção de produtos de borracha para o mercado da construção foram os mais vendidos em 2013. Não por acaso, neste ano, deverá concluir a implantação de sua nova sede, localizada no município de Santa Isabel-SP, em uma área de 24 mil m², dos quais 3 mil m²  foram reservados para máquinas, equipamentos e peças de reposição, além de um novo departamento técnico.

    Arantes também avisa que em breve irá lançar o Banbury, um misturador interno para borrachas com elevada pontuação de dureza. O equipamento será resultado de parceria firmada com uma companhia estrangeira.

    A Erhardt+Leimer Indústria e Comércio (E+L) apresenta como novidade um sistema de controle de densidade de fios para ser utilizado em calandras de tecidos de poliéster. O produto tem a finalidade de controlar as distâncias entre os fios sem alterar a largura do material. “Este é uma grande avanço dentro dos controles de processo”, aponta Adrian Hess, vendedor responsável pelos mercados de pneus/borracha e papel ondulado da E+L.

    Em seu estande, a companhia também expõe o sistema de inspeção de largura de materiais com o software de qualidade ELQVS. Este sistema fornece todos os índices e estudos de capabilidade do processo, como o CP e o CPK. “Este produto tem sido bem aceito por clientes que buscam controlar a qualidade do produto final (pneu), utilizando estudos estatísticos de processo”, comenta Hess. Outro destaque, o SW é um sistema de centragem que, segundo o vendedor, nenhum outro fabricante possui, com mesmo tipo de precisão. “O SW está sendo cada vez mais uma opção de sistema de centragem para os clientes fabricantes de pneus”, diz.

    Esta é a segunda participação da E+L na feira. A ideia é mostrar algumas das principais soluções técnicas disponíveis em seu portfólio para a América do Sul. “Eu vejo que, nessa região, pelo menos 60% das fábricas são muito antigas, onde há muitas perdas”, comenta Hess. Até por entender as necessidades do mercado, no ano passado, a companhia aumentou em mais de 50% suas vendas para clientes na América do Sul. A sua primeira filiada no Brasil foi implantada em 1974, e atualmente, a empresa pretende abrir um novo escritório em São Paulo.

    A Primotécnica leva à Expobor o triturador shredder PMPS-400. O equipamento conta com dois motores de 200 cv de potência cada um, além de uma peneira embutida para a classificação do material (o cliente escolhe o tamanho). Ele se destina à produção entre 10 a 12 toneladas por hora, e é indicado para pneus tanto de passeio quanto de caminhões, fios e cabos elétricos, perfis de alumínio, madeira e restos de lixo, entre outros.

    A escolha deste produto se deu porque, segundo Dante Casarotti, da divisão de plástico da Primotécnica, as empresas estão investindo cada vez mais neste tipo de equipamento, a fim de diminuir os resíduos industriais e pós-industriais. A demanda está aquecida. “Nosso primeiro trimestre fechará melhor que o ano de 2013”, afirma Casarotti. A empresa atua no segmento de moagem há 46 anos e tem fábrica em Mauá-SP.

    Explorando o mercado de reciclagem, a Veiga Máquinas Indústria de Máquinas e Equipamentos para Borracha e Termoplásticos lança um micronizador para reciclagem de resíduos. O equipamento transforma rejeitos e rebarbas da borracha em microgranulados de diversas espessuras.

    Localizada em Novo Hamburgo-RS, a fabricante dispõe de projetos personalizados e funcionais, ofertando uma vasta linha de produtos para o setor da borracha, termoplásticos e recicláveis. O portfólio conta com misturadores, pré-conformadoras, extrusoras, prensas para vulcanização e outros equipamentos que podem ser feitos sob medida.

    A MagMa-Mix divulga em seu estande soluções para as mais variadas necessidades da indústria da borracha. São polímeros diversos, químicos, máquinas e equipamentos e borrachas prontas. A MagMa-Mix oferece também serviços de consultoria e assistência técnica.

    Com 110 anos de mercado, a Bonfanti apresenta seu portfólio, composto por misturadores, homogeneizadores, extrusores, prensas e outros equipamentos feitos sob pedido. Além da borracha, outras especialidades da Bonfanti são as cerâmicas e os plásticos.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *