Prévia Expobor 2014: Encontro da borracha promete atrair visitação superior ao evento passado

Plástico Moderno, Exposição anterior atraiu perto de 10 mil visitantes
Exposição anterior atraiu perto de 10 mil visitantes

Única feira representativa da indústria da borracha na América Latina, a 11a Expobor – Feira Internacional de Tecnologia, Máquinas e Artefatos de Borracha acontece de 23 a 25 de abril, no pavilhão do Expo Center Norte, em São Paulo. O evento, de periodicidade bienal, prevê superar a visitação registrada na edição anterior, que alcançou a marca de 10 mil pessoas.

Plástico Moderno, Prévia Expobor 2014: Encontro da borracha promete atrair visitação superior ao evento passadoOcupando uma área de 16 mil m2, a exposição abriga cerca de 120 expositores, atuantes nos setores de artefatos, automação, centros de pesquisa, equipamentos de laboratório, moldes e ferramentaria, máquinas, sistemas de energia, tecnologia de produção e reciclagem, entre outros.

Segundo informa o presidente da Francal Feiras, promotora do evento, em todas as edições da Expobor o número de participantes varia entre 120 e 130, é estável nessa faixa. “Este é o tamanho da feira, representada pelas empresas mais importantes da indústria da borracha, tanto do produto acabado quanto dos fornecedores de matérias-primas, insumos e equipamentos”, diz Abdala Jamil Abdala. A Francal ainda ressalta a presença de compradores internacionais. A última edição contou com a participação de 24 países.

Por conta do fato de a realização de muitos negócios ocorrerem meses após a exposição, como resultado dos contatos efetuados durante ela, a promotora prefere não fazer previsões de geração de negócios para nenhuma de suas feiras. “Não temos com exatidão os números de negócios de cada empresa”, explica Abdala.

Ele frisa que a mostra representa para o setor o seu grande momento de encontro, a cada dois anos, envolvendo toda a cadeia da borracha. “Esta edição, como as anteriores, apresenta as novas tecnologias que contribuem para o desenvolvimento dos processos da indústria da borracha, e promove o encontro entre diferentes elos da cadeia produtiva para troca de ideias e o estabelecimento de novas parcerias.”

Plástico Moderno, Abdala: o evento impulsiona o desenvolvimento da indústria
Abdala: o evento impulsiona o desenvolvimento da indústria

No ano passado, o faturamento bruto nominal do setor atingiu algo em torno de US$ 2,82 bilhões, segundo informações do diretor-executivo da Associação Brasileira da Indústria de Artefatos de Borracha – Abiarb, Ademar Queiroz do Valle. O montante ficou pouco acima dos valores de 2012, de US$ 2,7 bilhões. Só a indústria automotiva responde por mais da metade do consumo do setor. “Em 2014 poderemos ter um crescimento nominal de 8% a 9% que, descontada a inflação, restará de 2 a 3% de aumento real”, ele estima.

O Congresso Brasileiro de Tecnologia da Borracha, em sua 15a edição, ocorre em paralelo, enriquecendo a Expobor com a apresentação e discussão de ideias que pretendem contribuir para o desenvolvimento tecnológico do setor, em uma iniciativa da Associação Brasileira de Tecnologia da Borracha (ABTB). A programação técnica paralela à feira ainda contempla a borracha natural. Nos dias 23 e 24 discutem-se os temas matérias-primas e componentes; avanços na tecnologia da borracha; máquinas e equipamentos para processamento de borracha; instrumentação e métodos para controle de qualidade; produtos acabados/aplicações; elastômeros termoplásticos (TPE, TPV e TPO) e reciclagem. O dia 25 concentra assuntos específicos da cadeia produtiva da borracha natural, debatidos no 7o Encontro Anual da Borracha Natural.

Alguns dos avanços tecnológicos divulgados no Congresso se encontram na feira, como atesta André Mautone, diretor da ABTB e membro da Comissão Técnica do Congresso. “Inúmeras inovações tecnológicas podem ser conferidas na feira”, diz. Entre as novidades, ele menciona plastificantes da Lanxess com melhor afinidade à sílica; sílicas de alta dispersão da Solvay; desenvolvimento da Nitriflex para aplicação de látex de NBR carboxilado para luvas cirúrgicas; negros de fumo da Birla que reduzem a resistência ao rolamento. Os presentes ainda podem conferir avanços na análise preditiva de integridade e durabilidade em compostos de borracha, efetuados pela Pirelli; sistema híbrido da Lord de adesivos para borracha. Desenvolvimentos de Universidades também se destacam no espaço, como a aplicação de nanocompósitos em revestimento interno de pneus; e borracha epoxidada como alternativa de silanização.

Plástico Moderno, Prévia Expobor 2014: Encontro da borracha promete atrair visitação superior ao evento passadoO espaço do Expo Center Norte ainda abriga no período a Pneu-Recaufair 2014 – Feira Internacional da Indústria de Pneus, considerado o maior evento de negócios do continente que integra a cadeia completa de produção de pneus: matéria-prima, reforma, manutenção, equipamentos e reciclagem.

Questões como o Selo Verde e a tendência para o uso de pneus de alto desempenho, considerados mais amigáveis do meio ambiente, entram nas discussões desse espaço reservado aos pneumáticos, que conta com a apresentação “O Brasil sem a Reforma de Pneus? Benefícios e Impactos da Reforma no Meio Ambiente e Sustentabilidade do País”, ministrada por Roberto de Oliveira, presidente da Associação Brasileira do Segmento de Reforma de Pneus (ABR), dentro do Painel Pneushow.

No entender de Oliveira, o Selo Verde chega como um instrumento de conscientização das empresas do setor para a importância da manutenção dos seus processos e minimização dos impactos ambientais. “O programa de rotulagem ambiental será desenvolvido de forma a compatibilizar-se com a norma ABNT NBR ISO 14024:2004 – Rótulos e declarações ambientais – rotulagem do tipo I, que foi elaborada para ser aplicada a todos os tipos e portes de organizações. O objetivo é a contínua preservação do meio ambiente, caminhando cada vez mais para sermos considerados empresa verde”, explica.

Expositores promovem novidades em matérias-primas e máquinas

Presença obrigatória nas exposições da indústria do plástico e da borracha, a Braskem apresenta na Expobor o seu portfólio específico direcionado ao setor, representado pela sua Unidade de Negócio Insumos Básicos. O principal objetivo da petroquímica no evento, como ressalta Adriana Morasco, responsável pela Unidade, é divulgar a sua resina hidrocarbônica Unilene, com o intuito de reforçar tratar-se de um produto Braskem. Isso porque, como ela explica, o insumo é produzido apenas pela empresa na América Latina. “Por isso a ideia de reforçar que é da Braskem, associando o nome do produto à empresa.” Além disso, pretende fortalecer o relacionamento com os clientes e os stakeholders do setor de borrachas.

“É importante mostrar, ao público geral, que a Unilene é uma resina diferenciada e competitiva, se comparada com outras resinas hidrocarbônicas, e que tem grande volume de vendas para o mercado de pneus.” Entre as vantagens e diferenciais, ela ressalta que o produto é compatível com uma grande gama de materiais, tais como elastômeros, polímeros termoplásticos, resinas termofixas e diversos tipos de plastificantes, entre outros. Também apresenta boas características de “pegajosidade” para adesivos de contato à base de borracha e hot-melts ativados por temperatura; é solúvel em grande parte dos solventes orgânicos, exceto álcoois; proporciona boa resistência à água em formulações de tintas e adesivos; e pouco interfere na coloração de tintas e adesivos.

Plástico Moderno, Misturador Banbury Kneader tem capacidade para 35 l
Misturador Banbury Kneader tem capacidade para 35 l

Além do principal foco na aplicação da resina hidrocarbônica de petróleo na indústria de borracha, a Braskem aproveita o evento para expor em segundo plano as suas demais aplicações, nos segmentos de tintas e vernizes, no de adesivos (hot-melt) e ainda no de plásticos, na cura de concreto, na indústria do papelão, na indústria madeireira, e em asfalto.

Outro destaque no estande da empresa fica por conta da divulgação de uma nova patente de aplicação para os polibutilenos (PIB) para o setor de borrachas. Adriana menciona o seu uso em óleo e lubrificantes, filmes do tipo stretch (esticáveis), adesivos, cosméticos, e explosivos para mineração, e ainda couro.

A atenção para o desenvolvimento de soluções inovadoras para crosslinking direcionadas ao mercado transformador de elastômeros e plastômeros, leva a Retilox a exibir novos grades de peróxidos em masterbatch, para uso em artefatos transparentes; novos peróxidos para cura mais rápida, sem odor e sem blooming,  para mangueiras automotivas; além de grades especiais e exclusivos, com patente internacional, para vulcanização contínua em túnel de ar quente na presença de oxigênio. Produtos especiais em masterbatches, comercializados com as marcas Retieva Mix e Retimicropor, desenhados para elevar a produtividade e reduzir os custos de artefatos de EVA e de borracha microporosa, nessa ordem, completam a exposição da fabricante.

Distribuidora de matérias-primas para os segmentos de borracha, plástico, látex e adesivos, a Auriquimica comparece ao evento tanto com o propósito de divulgar os novos produtos incorporados ao portfólio, como também o de buscar aprimoramento técnico através do Simpósio e de interações globais com diversos profissionais, além da tradicional troca com seus clientes e fornecedores.

No campo das novidades, a Auriquimica promete diversos lançamentos, entre os quais especialidades minerais de novas empresas representadas, e a última geração de antiaderentes para batch off. A distribuidora ressalta a sua preocupação com o meio ambiente com o lançamento de aceleradores livres de nitrosaminas e plastificantes isentos de ftalatos, e ainda plastificantes para baixíssimas temperaturas. Outra novidade, o óxido de zinco encapsulado promete além de benefícios ambientais, vantagens econômicas. A empresa ainda divulga uma nova geração de NBR/PVC, com grades para baixa temperatura, alta resistência química, e estendidas em óleo; além de novos tipos de peróxidos.

Presença constante na Expobor e também atuante no ramo da distribuição, além de ofertar produtos de sua fabricação, a Parabor aproveita o evento para divulgar seus 50 anos de atividade, completos neste ano, e comemorados em seu estande com novidades em matérias-primas, produtos e equipamentos. O espaço apresenta um pouco de cada de suas cinco divisões de negócios direcionados para a indústria de borracha e mostra equipamentos em operação. Entre os destaques, a Parabor menciona o Paralink, agente de reciclagem para borracha vulcanizada, para recuperação de rebarbas, de sobras, e de peças refugadas de borracha reciclada.

Listada entre as líderes mundiais nos negócios de adesivos estruturais, coatings (revestimentos) de alta performance e sistemas para controle de vibração e ruídos, a Lord reservou para a Expobor o lançamento de um adesivo de cura a frio (temperatura ambiente) para a colagem de estruturas do tipo borracha/borracha ou metal/borracha. Trata-se do Chemlok 6111 A/B, desenhado para suprir principalmente o setor de mineração, em aplicações como o reparo de correias transportadoras, ou em revestimentos em geral de tanques e tubulações.

Plástico Moderno, Sistema da E+L será apresentado como um dos destaques da mostra
Sistema da E+L será apresentado como um dos destaques da mostra

Os adesivos de cura a frio são a grande novidade da empresa, que até então, só atuava com adesivos de cura a quente, com autoclave. A entrada no novo segmento oferece vantagens como efetuar o reparo no campo e dispensar o uso de energia. Além disso, a cura a frio atende uma tendência: peças usadas em mineração cada vez maiores, o que as impede de ser colocadas em autoclaves para a cura. Além da novidade, a Lord divulga todo o seu portfólio de adesivos e coatings para o mercado automotivo.

Tradicional fabricante de poliamidas, a Rhodia, do grupo Solvay, também atua no mercado da borracha com duas atividades principais: sílicas precipitadas de alto desempenho e fios industriais de poliamida. As primeiras atendem à fabricação de artefatos técnicos de borracha e à produção de pneumáticos de elevada performance, os chamados pneus “verdes”, assim denominados por conta da economia de combustível que proporcionam e, por consequência, menos emissões no meio ambiente.

As sílicas precipitadas de alto desempenho, comercializadas sob a marca Zeosil, ocupam lugar de destaque no estande da empresa, que se considera a principal fornecedora desse insumo para a produção de pneus. Gerente de negócios para a América Latina da área global de negócios sílica, do grupo Solvay, Paulo Garbelotto lembra que a foi Rhodia que inventou a sílica de alta dispersabilidade, apontada por ele como um insumo fundamental na produção dos pneus de alto desempenho. “O uso desse produto da Rhodia permite a redução de até 7% do consumo de combustível e, na mesma proporção, da redução de emissões de CO2.” A empresa possui oito plantas mundiais de sílica, incluindo uma em Paulínia-SP.

Os fios industriais de poliamida abastecem as indústrias de pneus, de correias transportadoras, de esteiras e de outros equipamentos da área industrial. “O setor da borracha em geral, e o de pneus, em particular, experimenta atualmente um período no qual o fator chave para o seu sucesso pode ser resumido no aumento da competitividade frente à concorrência interna e externa, cada vez mais acirrada; e estamos trabalhando em várias iniciativas de modo a contribuir para o aumento da competitividade de toda a cadeia produtiva.”

Mais produção – Na ala dos equipamentos, a Alldar Máquinas e Equipamentos expõe o Banbury Kneader 35L. Trata-se de um misturador fechado, equipado com uma câmara de mistura basculante e dois rotores, com quatro asas para homogeneização e dispersão de borrachas. A máquina conta com um volume total de mistura de 35 litros. É equipada com CLP, além de controlador de tempo com até três estágios de mistura e tempos programáveis.

Segundo o diretor industrial da Alldar, Vinícius Arantes, esta misturadora e homogeneizadora gera um expressivo aumento na produção e diminui o custo do processo. “Posso citar o exemplo do EPDM, que é uma borracha sintética. No Banbury Kneader, esse material terá um tempo total de mistura entre quatro e seis minutos, em um volume de 35 litros”, destaca. Outro diferencial se refere à forma como é feita a descarga do material já misturado, pois uma câmara de mistura basculante, ao final do processo, irá automaticamente bascular 140° e todo material será descarregado, dispensando uso de plataforma elevatória. Este equipamento já é bastante conhecido no mercado do plástico, no entanto, vem despontando como opção também na indústria da borracha.

Plástico Moderno, Triturador PMPS-400 conta com uma peneira embutida
Triturador PMPS-400 conta com uma peneira embutida

O cenário é positivo para a companhia. No ano passado, registrou aumento nas vendas em relação a 2012. Aliás, os equipamentos direcionados à produção de produtos de borracha para o mercado da construção foram os mais vendidos em 2013. Não por acaso, neste ano, deverá concluir a implantação de sua nova sede, localizada no município de Santa Isabel-SP, em uma área de 24 mil m², dos quais 3 mil m²  foram reservados para máquinas, equipamentos e peças de reposição, além de um novo departamento técnico.

Arantes também avisa que em breve irá lançar o Banbury, um misturador interno para borrachas com elevada pontuação de dureza. O equipamento será resultado de parceria firmada com uma companhia estrangeira.

A Erhardt+Leimer Indústria e Comércio (E+L) apresenta como novidade um sistema de controle de densidade de fios para ser utilizado em calandras de tecidos de poliéster. O produto tem a finalidade de controlar as distâncias entre os fios sem alterar a largura do material. “Este é uma grande avanço dentro dos controles de processo”, aponta Adrian Hess, vendedor responsável pelos mercados de pneus/borracha e papel ondulado da E+L.

Em seu estande, a companhia também expõe o sistema de inspeção de largura de materiais com o software de qualidade ELQVS. Este sistema fornece todos os índices e estudos de capabilidade do processo, como o CP e o CPK. “Este produto tem sido bem aceito por clientes que buscam controlar a qualidade do produto final (pneu), utilizando estudos estatísticos de processo”, comenta Hess. Outro destaque, o SW é um sistema de centragem que, segundo o vendedor, nenhum outro fabricante possui, com mesmo tipo de precisão. “O SW está sendo cada vez mais uma opção de sistema de centragem para os clientes fabricantes de pneus”, diz.

Esta é a segunda participação da E+L na feira. A ideia é mostrar algumas das principais soluções técnicas disponíveis em seu portfólio para a América do Sul. “Eu vejo que, nessa região, pelo menos 60% das fábricas são muito antigas, onde há muitas perdas”, comenta Hess. Até por entender as necessidades do mercado, no ano passado, a companhia aumentou em mais de 50% suas vendas para clientes na América do Sul. A sua primeira filiada no Brasil foi implantada em 1974, e atualmente, a empresa pretende abrir um novo escritório em São Paulo.

A Primotécnica leva à Expobor o triturador shredder PMPS-400. O equipamento conta com dois motores de 200 cv de potência cada um, além de uma peneira embutida para a classificação do material (o cliente escolhe o tamanho). Ele se destina à produção entre 10 a 12 toneladas por hora, e é indicado para pneus tanto de passeio quanto de caminhões, fios e cabos elétricos, perfis de alumínio, madeira e restos de lixo, entre outros.

A escolha deste produto se deu porque, segundo Dante Casarotti, da divisão de plástico da Primotécnica, as empresas estão investindo cada vez mais neste tipo de equipamento, a fim de diminuir os resíduos industriais e pós-industriais. A demanda está aquecida. “Nosso primeiro trimestre fechará melhor que o ano de 2013”, afirma Casarotti. A empresa atua no segmento de moagem há 46 anos e tem fábrica em Mauá-SP.

Explorando o mercado de reciclagem, a Veiga Máquinas Indústria de Máquinas e Equipamentos para Borracha e Termoplásticos lança um micronizador para reciclagem de resíduos. O equipamento transforma rejeitos e rebarbas da borracha em microgranulados de diversas espessuras.

Localizada em Novo Hamburgo-RS, a fabricante dispõe de projetos personalizados e funcionais, ofertando uma vasta linha de produtos para o setor da borracha, termoplásticos e recicláveis. O portfólio conta com misturadores, pré-conformadoras, extrusoras, prensas para vulcanização e outros equipamentos que podem ser feitos sob medida.

A MagMa-Mix divulga em seu estande soluções para as mais variadas necessidades da indústria da borracha. São polímeros diversos, químicos, máquinas e equipamentos e borrachas prontas. A MagMa-Mix oferece também serviços de consultoria e assistência técnica.

Com 110 anos de mercado, a Bonfanti apresenta seu portfólio, composto por misturadores, homogeneizadores, extrusores, prensas e outros equipamentos feitos sob pedido. Além da borracha, outras especialidades da Bonfanti são as cerâmicas e os plásticos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios