Indústria de Embalagens Plásticas Flexíveis Precisa Focar na Circularidade das Embalagens: Abief – Economia Circular

Precisamos ir além da crise e focar

Apesar da economia brasileira seguir em ritmo de incerteza, principalmente em razão da pandemia da Covid-19, e sentirmos os reflexos desta situação na indústria de embalagens plásticas flexíveis, sabemos que não é possível estagnar e contemplar.

“Deixa a vida me levar” definitivamente não é o hit da indústria, apesar da pesquisa Maxiquim, feita com exclusividade para a Abief, ter indicado que no primeiro trimestre de 2021 o setor registrou queda de cerca de 1% na produção, em comparação ao trimestre anterior, fechando em 493 mil toneladas produzidas.

Por aplicação, este volume foi dividido em embalagens multicamadas, com 165 mil t; monocamada, 157 mil t; shrink, 70 mil t; stretch, 54 mil t; sacolas e sacos, 40 mil t; outros, 7 mil ton.

Os setores que mais puxaram o desempenho para baixo foram bebidas, produtos de limpeza e agropecuária.

O setor de alimentos continuou líder no consumo de flexíveis, com 228 mil t, seguido por aplicações industriais, 93 mil t; bebidas, 50 mil t; descartáveis, 40 mil t; limpeza doméstica, 27 mil t; higiene pessoal, 20 mil t; e agropecuária, 17 mil t.

O restante ficou dividido entre pet food e outras aplicações menores.

Sabemos que são vários os desafios e que, na sua maioria, eles fogem de nosso controle. Contudo, gostaria de chamar a atenção para as oportunidades.

E neste caso, a circularidade das embalagens é uma delas.

O setor de flexíveis, bem como a indústria do plástico em geral, está maduro o suficiente para assumir um compromisso com a nova economia do plástico.

Tanto assim que a indústria do plástico já conta com um portal voltado para a economia circular (www.feitoparacircular.com.br) que detalha o passo a passo desse conceito, passando por Educação e Consumo; Redesign, Reuso e Reciclagem; Logística Reversa e Novos Modelos de Negócios.

  • (Nota Extra do Plástico.com.br: Veja Dezenas de Reportagens Mensalmente que tratam dos assuntos mencionados na Ecomomia Circular)

A ideia é disseminar ações de conscientização sobre o plástico, sua importância e soluções ambientais.

Sabemos ainda que a missão da nossa indústria vai muito além do plástico.

Como defende a Fundação Ellen MacArthur, esta missão “passa pelo entendimento de que nossa economia ainda é predominantemente linear e precisamos de uma mudança sistêmica”.

Segundo a entidade, o desafio não está apenas na transição para a economia circular dos plásticos, mas também na transição sobre o uso e o descarte deste e de outros materiais.

Além disso, a curto prazo, podemos nos inspirar em outras regiões do mundo, como a União Europeia onde a média de reciclagem já é de 40% (dados FPE – Flexible Packaging Europe, 2018).

No Brasil, apenas 18% dos municípios possuem coleta seletiva adequada.

Isso prova que o plástico tem um enorme potencial para ser uma importante solução, desde que devidamente inserido num modelo de Economia Circular.

O fato é que não podemos viver sem embalagens e o plástico continua tendo um papel importantíssimo na evolução da sociedade.

Daí a necessidade de uma abordagem holística e, num primeiro momento, muito afinco em melhorar o potencial de reciclagem das embalagens flexíveis.

Rogério Mani é empresário e presidente da Abief – Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Plásticas Flexíveis Plástico Moderno - Precisamos ir além da crise e focar na circularidade das embalagens! Abief ©QD Foto: Divulgação
Rogério Mani é empresário e presidente da Abief – Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Plásticas Flexíveis

Em paralelo, cabe a nós, empresários do setor, manter a saúde financeira de nossas empresas e continuar honrando, como fizemos desde o início da pandemia, nosso compromisso com a sociedade de não deixar faltar embalagens, especialmente para alimentos, bebidas, produtos farmacêuticos, medicamentos, e itens de higiene e limpeza, doméstica e pessoal.

Sem dúvida esta pandemia está nos trazendo um ensinamento maior: de que tudo muda muito rápido e que não devemos nos espantar se o ontem for o nosso amanhã.

Texto: Rogério Mani é empresário e presidente da Abief – Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Plásticas Flexíveis.

Rogério Mani

abief associação brasileira da indústria de embalagens plásticas flexíveis

ABIEF Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Plásticas Flexíveis

Leia mais Sobre o Assunto:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios