Plástico

PP e Compostos – Fabricantes apostam todas as fichas em formulações para a indústria automotiva

Rose de Moraes
9 de abril de 2012
    -(reset)+

    Plástico, Paulo Rodi, gerente do Centro Tecnológico da Plásticos Mueller, PP e Compostos - Fabricantes apostam todas as fichas em formulações para a indústria automotiva

    Rodi estima em 80 quilos a atual participação do PP nos veículos

    A primeira patente de pedal automotivo injetado totalmente de plástico, segundo Rodi, foi assinada pela fabricante norte-americana de automóveis Chrysler. Ocorre, porém, segundo ele, que essas aplicações, conhecidas há mais de 20 anos, acabaram avançando pouco perante a sua potencialidade, em virtude do fato de que foram as poliamidas, carregadas com fibras de vidro curtas, as que encontraram maior número de aplicações em pedais de acelerador, e também foram mais recentemente introduzidas em pedais de embreagem, principalmente em modelos mais novos de automóveis.

    “Até agora, com exceção da Ferrari, que ousou revestir com náilon um núcleo metálico para aplicação em pedal de freio, não tenho conhecimento de outra empresa que tenha tentado fazer esse tipo de aplicação”, comentou Rodi.

    No entender do gerente da Mueller, a introdução de materiais plásticos em pedais de frenagem não vingou até hoje muito em função do teor de legislações tanto europeias como americanas, que restringem e impedem esse tipo de aplicação.

    “Trata-se de um tabu, que pretendemos romper ao sermos os primeiros a fazer uso de compostos de PP carregados com fibras de vidro longas em pedais de freio, composições que tornam esses componentes muito mais rígidos.” A experiência, inédita, segundo o gerente, poderá abrir caminho para que os compostos de PP avancem em direção a várias aplicações estruturais, como em suportes para motores, suportes para baterias, suportes para estepes, entre outras, incrementando ainda mais a ampla utilização dos compostos de PP em injetados automotivos, hoje, segundo Rodi, em torno de 80 quilos, o que corresponde a uma generosa fatia de quase 70% do volume total de plásticos utilizados nos veículos, avaliada em torno de 120 quilos.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *