Portfólio de agentes de purga evoluem

A evolução do portfólio de agentes de purga no Brasil passou por vários estágios até atingir o nível atual

A evolução do portfólio de agentes de purga no Brasil passou por vários estágios até atingir o nível atual, denominado de universal. Produtos inclusos nessa denominação fazem parte dos agentes de quarta geração, resultantes de insumos e processos tecnológicos mais avançados, que se caracterizam por limpar sem causar danos aos equipamentos. Além disso, podem ser usados em várias cadeias produtivas, agregando valor aos negócios dos clientes. Em sua maioria são reaproveitados no ciclo de produção dos transformadores ou destinados a outras aplicações igualmente sustentáveis.

Agente de purga específico para troca de cores

Por exemplo, o carro-chefe disponibilizado pela Freedom é Freepurge ANPC (Agente Nanotecnológico de Purga Concentrado), um agente de purga específico para troca de cores. Pode ser usado também como eliminador de pontos pretos durante o processo produtivo. Por sua vez, o Freepoint ANEPP (Agente Nanotecnológico Eliminador de Pontos Pretos) é um eliminador de pontos pretos para ser usado tanto em partidas de máquinas que estavam paradas, como no meio de processos produtivos, segundo informações da empresa.

Ambos consistem de uma emulsão líquida superconcentrada, para ser usada em qualquer resina que esteja sendo processada, na faixa de temperatura entre 120 e 350ºC. Não geram fumaça, nem resíduos tóxicos. Com um frasco de um kg do agente de purga, o transformador pode fazer de 100 a 200 kg de um composto de purga com sua própria resina, visto que os dois agentes podem ser aplicados na proporção de 0,5% a 1%.

Graças a essa característica, as sobras da purga podem ser aproveitadas na produção, não havendo necessidade de descarte de resíduos da limpeza, como normalmente acontece quando o transformador usa um composto de purga convencional, explica Stefano.

Leia Mais

Portfólio de agentes de purga da Ampacet

O Dyna Purge, da Compostos, em formato sólido, vem pronto para uso, dispensando o processo de mistura e tempo para agir. A empresa transformadora processa o último material, coloca o agente e depois já começa a produzir novamente, não havendo alteração de nenhum parâmetro de processo. “Ou seja, mantém a temperatura da resina que vai entrar, velocidade de processo etc”, descreve Bueno, diretor comercial da companhia.

Agentes de purga: Evolução do portfólio passou por vários estágios ©QD Foto: iStockPhoto
Agentes líquidos da Freedom para purga e pontos pretos

Dentre os produtos ofertados pela companhia, o mais demandado é o Dyna Purge D2, por conta de sua flexibilidade na aplicação, podendo ser usado para todas as resinas termoplásticos existentes no mercado. O executivo acrescenta que o Dyna Purge não é abrasivo, nem causa problemas aos ativos, mantendo inalterado o ciclo de vida dos equipamentos do transformador.

Devido à baixa abrasividade, os agentes ofertados pela Ampacet também não promovem riscos e oxidações em máquinas e periféricos, garante o gerente de negócios Eliton Da Silva. A companhia disponibiliza o aditivo de purga incorporado em poliolefina, sempre sólido e peletizado, destacando-se o Purga 100400, recomendado para limpeza de PE ou PP em processos de injeção e extrusão. O 103828 é recomendado para estirênicos e plásticos de engenharia, focado nas transições de cores, mas se aplica também nas mudanças de resinas polares, como a poliamida, para resinas apolares, como o polietileno.

Da Silva ressalta que seus produtos dispõem de três diferenciais competitivos que os identificam junto aos clientes: redução drástica de tempo para limpeza e transição de cores e/ou resinas; não geram contaminação cruzada por utilizar somente insumos aprovados para contato com alimentos; e mantêm o material de purga 100% reciclável.

Produtos da Chem Trend

As relações de mercado da Chem Trend também se fundamentam na aplicabilidade de seus agentes de purga químicos e híbridos inofensivos aos equipamentos. O portfólio de agentes de purga da companhia inclui desde concentrados e prontos para uso, até líquidos ou em pellets, os quais podem ser usados nos diversos processos (extrusão, injeção e sopro), para vários tipos de resina (PET, PP, PVC rígido, PC, PMMA, PBT, PPO, PS, TPE) e setores da indústria.

“Possuímos soluções com grau alimentício (food grade), certificadas pela Anvisa e oferecemos suporte técnico e de aplicação, com treinamento e acompanhamento de testes no chão de fábrica de nossos clientes. Também oferecemos um mecanismo de aferição de resultados, com o qual é possível medir os ganhos financeiros e de processo com a utilização de nossas soluções”, ressalta Rufato, lembrando que a empresa oferece ainda agentes de purga mais genéricos ou direcionados a resinas específicas.

Em vários casos, segundo ele, a companhia inova na limpeza ao oferecer produtos para preparar a máquina para o uso posterior do agente de purga. Por meio desse diferencial, facilita processos como a transição de PC para PMMA, por exemplo. Atualmente, oferece Ultra Purge™ 3050 BR, que pode ser utilizado para limpeza em aplicações na moldagem por injeção, câmaras quentes e extrusão por sopro, com e sem acumulador, no processamento de resinas termoplásticas.

O produto é especialmente recomendado para troca de cor e material, bem como para remover pontos pretos, resíduos de carbonização e paradas de máquinas. Por sua vez, o Lusin® Lub O 32 F faz parte da linha de manutenção de moldes e consiste de um agente desmoldante e coating antiestático especialmente desenvolvido para a indústria de embalagens rígidas.

Veja Também:

Para mais informações sobre fornecedores de agentes de purga, consulte o Guia QD, maior plataforma eletrônica de compras e vendas do setor, com mais de 300 mil consultas mensais por produtos e mais de 400 anunciantes ativos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios