Aditivos e Masterbatches

Polímeros de Engenharia

Plastico Moderno
19 de julho de 2019
    -(reset)+

    Sobre processamento, um fato importante sobre o Nylon que obrigatoriamente deve ser ressaltado é que o material é altamente higroscópico, ou seja, absorve muita umidade. Para que não ocorram problemas durante o processamento, como bolhas e manchas na peça, algumas medidas devem ser tomadas:

    • A primeira delas é estufar o material para que qualquer taxa de umidade seja retirada. Nessa etapa é importante seguir o tempo e a temperatura de estufagem recomendadas pelo fornecedor da matéria-prima porque, caso contrário, dois problemas podem acontecer: ou o material continuará úmido, ou a sua degradação poderá ocorrer.

    • Abastecer o funil aos poucos também é uma estratégia interessante na operação manual, para se evitar que o material absorva umidade, mesmo que já tenha passado pela estufa, pois a sua absorção de umidade é muito rápida e se o material ficar muito tempo em repouso no funil ele acabará se auto-hidratando.

    • Ao final do processo, assim que a peça estiver pronta, é necessário jogá-la na água para que a sua hidratação forçada ocorra. Chamamos isso de caminho inverso. É uma ação muito importante de se realizar, porque somente assim a peça apresentará as propriedades mecânicas necessárias para a sua aplicação. O Nylon sem ser hidratado ao final do processamento não possui propriedades significantes.

    • E por fim, deve-se controlar o tempo de hidratação da peça, para que não ocorram alterações em suas dimensões.

    Sobre o processamento

    Plástico Moderno - Alexandre Farhan

    Alexandre Farhan é Administrador de Empresas e técnico em plásticos pelo Senai-SP, com 30 anos de atuação no setor. Atualmente, é diretor da Escola LF, especializada na formação de profissionais para a indústria de transformação plástica pelos processos de injeção, sopro e extrusão. (www.escolalf.com.br e/ou alexandre@escolalf.com.br)

    Uma das características que a poliamida apresenta é a alta fluidez, desta forma, a fim de se evitar problemas durante o processamento, como perda de material pelo bico de injeção, é interessante que se faça o uso de um bico valvulado mecânico ou hidráulico nas máquinas injetoras, que é basicamente um sistema que irá controlar a saída de material durante a injeção de alguma peça. É também recomendado que os moldes para as poliamidas sejam aquecidos com água ou óleo quente, porque dessa maneira se evita que o material se solidifique ou cristalize no meio do preenchimento da peça, resultando em um produto final incompleto.

    Sobre a questão da injeção deste material, recomenda-se que esta ação seja relativamente rápida, especialmente se for uma peça de paredes finas. O motivo nos leva novamente ao resfriamento do material, que apresenta uma cristalização muito rápida e tendo uma velocidade de injeção lenta no processo, certamente ao final do ciclo a peça apresentará um preenchimento incompleto. Isso se dá pelo fato de que, no meio do caminho, o material se solidificou, impedindo a passagem do restante do material para a cavidade do molde.

    Para finalizar, em se tratando de uma injeção rápida, consequentemente o atrito do material dentro do processo será maior, especialmente no molde, portanto é necessário que o mesmo apresente saídas de gases a fim de se evitar combustão na peça, lembrando que saída de gases não é interessante somente para as poliamidas, mas também para todos os materiais no processo de injeção.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *