Matérias Primas

Plásticos de engenharia: Corrida por carros mais leves conduz aos polímeros especiais

Maria Aparecida de Sino Reto
20 de janeiro de 2014
    -(reset)+

    Plástico Moderno, Serturini atribui resultados positivos às estratégias de vendas e expansão

    Serturini atribui resultados positivos às estratégias de vendas e expansão

    Concorrência desleal – O crescimento do mercado ficou abaixo do esperado também na avaliação do vice-presidente da DSM Plásticos de Engenharia na América Latina, Andrea Serturini. Além das dificuldades impostas pelo quadro econômico, ele precisou disputar com vários players globais que entraram no mercado este ano. “Isso determinou uma situação nebulosa na cadeia de vendas e distribuição, pois algum distribuidor se aproveitou da possibilidade de revender produtos de grandes marcas utilizando sistemáticas fiscais pouco claras”, lamenta.

    Mesmo assim, ele considera positivo o desempenho da empresa que, com suas estratégias de venda e expansão, conseguiu ampliar o seu market share no Brasil e em toda a América Latina, conquistando importante posição entre os principais líderes de mercado.

    Como parte dessa estratégia de crescimento no Brasil, a empresa assinou, em outubro, um acordo com a Petropol Polímeros, produtora de compostos de plásticos de engenharia e distribuidora de resinas. Pelo tratado, a Petropol passa a produzir compostos formulados com a PA 6 da DSM (Akulon), responsável pela venda desses produtos em toda a América do Sul. Para Serturini, com essa produção local, a DSM ganha maior capacidade de produção global, aliada a uma maior velocidade e eficácia no suprimento do seu portfólio de compostos baseados na PA 6 para os seus clientes globais e locais, na América do Sul.

    Além do setor automotivo, as embalagens para alimentos representaram papel de destaque nos negócios da DSM em 2013, como as linhas de PA 6 (Akulon) e dos copolímeros PA 6/6.6 (Novamid), ambas de alta viscosidade e desempenho excelente na barreira ao oxigênio, desenhadas especialmente para embalagens econômicas e que evitam o desperdício de alimentos.

    Plástico Moderno, Tampa de motor feita de biopoliamida 4.10 suporta altas temperaturas

    Tampa de motor feita de biopoliamida 4.10 suporta altas temperaturas

    Preocupada em conferir maior leveza aos veículos, particularmente na substituição de metal por plástico, a DSM desenvolveu uma poliamida 4.6 de alta performance, capaz de suportar temperaturas de até 230oC, com alta durabilidade e resistência à fricção e ao calor elevado. A Stanyl Diablo OCD 2305 BM pode ser processada por extrusão a sopro e, segundo o fabricante, atende a todos os requisitos para dutos com altas cargas de ar quente.

    Outro material bem cotado na indústria automotiva neste ano foi o novo EcoPaXX, uma poliamida 4.10 desenvolvida pela DSM com 70% de óleo de mamona em sua composição. O produto possui cadeia polimérica longa, baixa absorção da umidade e alto ponto de fusão, graças à alta taxa de cristalização. Entre as suas principais características, Serturini destaca as ótimas resistências térmica e química, alta resistência mecânica e excelente acabamento externo. Não à toa, esse biopolímero foi escolhido para a fabricação da tampa do motor do Mercedes-Benz Classe A, “o que resultou na diminuição de 40% dos índices de carbono do veículo, em relação a outras coberturas de motor”, ressalta o vice-presidente, que comemora uma premiação recebida pela EcoPaXX. A resina conquistou a terceira colocação no ranking de “Produtos e Tecnologias Sustentáveis 2013”, no 6o Fórum Internacional pelo Desenvolvimento Sustentável – Sustentar 2013, realizado em agosto, em Belo Horizonte-MG.

    Outro produto de destaque nos negócios da DSM neste ano foi o copoliéster elastomérico Arnitel, de dureza Shore D, desenhado para trabalhar em uma faixa ampla de temperatura. Indicado para substituir borrachas, o copoliéster mantém as propriedades mecânicas em temperaturas altas e baixas, a partir de -45oC e até 150oC, sem perder a sua flexibilidade, elasticidade e permeabilidade ao vapor de água e resistências química e térmica.

    Os novos desenvolvimentos da DSM também se endereçam à indústria automobilística e à de embalagens para alimentos. No primeiro caso, o Peugeot 508 estreou uma nova PA6 de alta fluidez da família Ultraflow no seu reservatório de óleo, em substituição ao metal. Além do menor custo de fabricação da peça, o polímero contribui com mais leveza, sinônimo de menor consumo de combustível e de emissões de dióxido de carbono durante a vida útil do veículo.

    A peça foi moldada com poliamida pela empresa francesa Steep Plastique, que concebeu um reservatório 60% mais leve em comparação à versão metálica, segundo informações da DSM. A peça foi aprovada em testes severos de impacto de guia, impacto em pedras e de queda de motor. A resina utilizada nessa aplicação foi a Ultraflow K-FHG7, reforçada com 35% de fibra de vidro e estabilizador térmico de poliamida 6 com ótimas propriedades de fluidez. A família Ultraflow beneficia em especial peças de parede fina com caminhos de fluxo longo e altas exigências estéticas. O uso dessas resinas confere significativa redução no consumo energético, fruto do elevado fluxo e da alta velocidade de processo.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *