Vitrine Brasilplast 2009 – O que há para ver na feira*

Plástico Moderno, Vitrine Brasilplast 2009 - O que há para ver na feira*
Trocador de calor para extrusão da Piovan

PIOVAN

A tradicional fornecedora de equipamentos periféricos, e que acaba também de ingressar no mercado de trocadores de calor para extrusão, apresentará várias soluções para injeção, sopro, extrusão e refrigeração industrial. A linha de trocadores de calor para extrusão em aço inoxidável, e com pontos de leitura e controle da temperatura do ar, microprocessador digital e bandeja de condensado isolada, propicia aumentar a produtividade e a estabilidade dos balões, oferecendo maior qualidade e lucratividade aos negócios.

PIRAMIDAL

Essa distribuidora de termoplásticos apresentará em seu estande aditivos, masterbatches, além das resinas: PP, PEAD, PEBD, PEBDL, PEMD, PS Cristal, PS AI, ABS, PMMA, SAN, ABS + PC, PC, EVA, POM, PA, UTEC, TPU e PP composto.

Plástico Moderno, Vitrine Brasilplast 2009 - O que há para ver na feira*
Dosador série RDG comporta 400 kg/h

PLAST-EQUIP/RAX

Tradicional fornecedora de periféricos, a empresa comparecerá com toda a sua linha, com destaque para dois lançamentos em alimentação, dois em dosagem e mais dois em secagem e desumidificação. No primeiro campo, as novidades ficam por conta do alimentador em vidro para pequenas quantidades de material já desumidificado e para equipamentos destinados ao transporte de flakes, especialmente de PET.

Os lançamentos em dosadores compreendem a linha RDG, de equipamentos gravimétricos para até quatro componentes e capacidade de 400 kg/h, além de uma nova geração de dosadores volumétricos RDV, também para até quatro componentes, porém com 1.000 kg/h de capacidade. O público ainda poderá apreciar novos secadores tipo funil com até 300 litros e desumidificadores com maior eficiência energética e tamanhos compactos, para até 750 m³/h.

Em estande de 120 m², o público terá a oportunidade de conferir diversos equipamentos em funcionamento. A linha completa da Plast-Equip/Rax contempla: alimentação individual; válvula proporcional; dosagens volumétricas e gravimétricas; secadores; desumidificadores; centrais de alimentação, dosagem, secagem e desumidificação; moinhos; silos externos e internos; chillers; controladores de temperatura de moldes; e controladores de espessura para linhas de filme.

PLASTENG

Nano-óxidos de titânio, silício, magnésio, alumínio e zinco são algumas das especialidades que poderão ser conferidas nesse estande. Acrescente-se às novidades também as nanoargilas da Nanocor, dos EUA, que podem ser incorporadas em poliolefinas e poliamidas, aumentando a viscosidade dos fundidos e a cristalinidade, com consequente aumento da rigidez e da barreira a gases e à água, melhorando ainda a propriedade antichama. Também serão destacados os náilons da EMS-Grivory (Suíça) para extrusão, injeção e para alto impacto. Da série PAA, para substituir metais, serão apresentados novos tipos com até 70% de reforço e com fibras longas. Da série HT, serão apresentados materiais resistentes às temperaturas de motores e também mais resistentes à hidrólise, inclusive extrudáveis. Da série PA12L, serão apresentados novos tipos para extrusão de tubos para biodiesel e para injeção de peças alternativas ao latão. Da série PA12TR, serão apresentadas poliamidas transparentes, inclusive para suportar temperaturas mais elevadas, além de poliamidas elastoméricas.

PLASTIVIDA

O mote principal da Plastivida Instituto Sócio-Ambiental dos Plásticos será a reciclagem energética. A ideia é mostrar como ela recupera a energia dos plásticos, por meio de processos térmicos e resolve a questão do resíduo sólido urbano, isso porque a energia contida em 1 quilo de plástico equivale a 1 litro de óleo diesel. Também pretende apresentar seus programas, voltados para a tríade: reduzir, reutilizar e reciclar. Para tanto, o estande abrigará um espaço para a Oficina de Reutilização de Recicláveis, onde irá contemplar o reaproveitamento dos plásticos que são descartados pela população. Haverá ainda a promoção do Projeto Repensar – ações direcionadas à reciclagem do poliestireno expandido e extrudado (EPS e XPS), conhecido pela marca Isopor – e a divulgação do Programa de Qualidade e Consumo Responsável de Sacolas, que prevê a conscientização da população sobre o uso responsável do material, além da participação de grandes redes de supermercados que passaram a usar sacolas feitas de acordo com a norma ABNT 14.937, identificadas com o Selo de Qualidade Abief-INP, entidades parceiras do programa.

O estande divulgará a iniciativa dos Pontos de Entrega Voluntária Monitorado. São contêineres em bancas de jornal de São Paulo para receber e armazenar, de forma adequada, os plásticos em geral, papel, metal, vidro e óleo de cozinha. Para finalizar, a entidade exporá as sacolas retornáveis, Ecobags, para falar sobre o conceito Reutilizar.

Plástico Moderno, Vitrine Brasilplast 2009 - O que há para ver na feira*
Tecnologia de plasma da Pluritec

PLURITEC/PLASMATREAT

O expositor destacará em seu estande sistemas de plasma para tratamento de superfície e adesão de plásticos. A tecnologia de plasma Openair, em pressão atmosférica, caracterizada por potencial zero, constitui um sistema amigável do meio ambiente, isento de primers, que permite a ativação em linha.

De acordo com explicações da empresa, o plasma se baseia em um conceito físico: ao acrescentar energia, o estado da matéria muda de sólido para líquido e para gasoso. Se mais energia for adicionada, o gás se torna ionizado e passa para o estado de plasma – quarto estado da matéria. Por sua instabilidade, entretanto, este estado, pode ser difícil de ser usado na pressão normal. O processo Openair em pressão atmosférica, patenteado pela Plasmatreat, criou jatos de plasma que podem ser usados em processos produtivos, em linha de montagem. A energia adicionada do estado de plasma pode ser transferida para a superfície do material, tornando-o receptivo a subsequentes reações, criando superfícies com propriedades ideais para receber tinta, impressão ou processo de adesão.

O fabricante destaca o fato de o jato de plasma ser eletricamente neutro, abrindo campo para diversas aplicações. A fonte de plasma é movida em uma distância de 10 a 40 mm da superfície a ser tratada, a uma velocidade de 6 a 600 m/min. São mais de 300 tipos de bicos diferentes e, de acordo com o arranjo dos jatos de plasma, é possível tratar áreas de até 2.000 mm de largura com uma única passada. O aumento da temperatura do plástico durante o tratamento é inferior a 20ºC.

O tratamento e a limpeza microfina de superfícies a ser coladas pela ação do plasma em pressão atmosférica são efetuados sem a necessidade de solventes, além de permitir o uso de adesivos ultravioleta e sistemas à base de água: a vantagem consiste em poder unir substratos incompatíveis aplicando produto à base de água ou UV e, em geral, dispensar tratamentos adicionais como primers e lixamento.

Página anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38Próxima página

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios