Feiras e Eventos

Plástico Brasil: Máquinas e equipamentos exibiram avanços

Antonio Carlos Santomauro
11 de junho de 2019
    -(reset)+

    Extrusoras – As gigantescas máquinas de extrusão de filmes chamaram a atenção dos visitantes. As principais empresas nacionais especializadas nesse tipo de equipamento marcaram presença. Uma máquina ABA, dotada com duas extrusoras e três cabeçotes, indicada para a produção de filmes monocamadas foi o lançamento da Carnevalli. De acordo com a empresa, ela apresenta maior vida útil do que as concorrentes nas linhas de produção de filmes com matéria-prima enriquecida com cargas.

    Plástico Moderno, Extrusoras de filmes se destacam no pavilhão pela altura

    Extrusoras de filmes se destacam no pavilhão pela altura

    Outra atração foi a máquina Polaris Plus 5 POD, voltada para a produção filmes com cinco camadas e produção de mais de 1 t/hora. Uma estratégia adotada foi a de colocar no estande 10 máquinas para pronta entrega, modelos Polaris Plus 55 e Polaris Plus 65. Também foi divulgada a linha de máquinas flexográficas da marca. “A feira nos permitiu conversar com clientes e fazer bons contatos, missão cumprida”, resume Willian Carnevalli, diretor de marketing.

    A Rulli Standard apresentou três máquinas. Uma para filmes balão de três camadas, outra para filmes balão mono rosca e um equipamento para a produção de chapas de três camadas. “Os três modelos apresentam grande produtividade, proporcionam economia de energia e atendem todas as normas de segurança exigidas pela legislação”, resume o engenheiro de vendas técnicas Paulo Leal. Outras novidades da empresa vieram do departamento de marketing. Foram apresentados o novo logotipo e as novas cores das máquinas.

    Especializada em máquinas para tubos e perfis, a Bausano apresentou aos visitantes o modelo MD-130 Plus, voltada para a produção de matérias-primas, em especial o PVC expandido, bastante utilizado em solados de calçados. “A máquina tem como novidade um sistema de controle mais sofisticado, produzido pela Siemens e geometria de rosca altamente adequada para a produção da matéria-prima”, explica Chrystalino Filho, diretor comercial.

    Além deste, a empresa divulgou todos os demais modelos que oferece ao mercado. Para o diretor, os equipamentos, para alcançar sucesso nas vendas, precisam trabalhar com alta produtividade e economia de energia. “Hoje o cliente está bem informado e temos que oferecer o que ele precisa”. Em relação à participação na feira, se mostrou otimista. “O ano começou com pequena recuperação e a feira pode estimular os negócios”.

    A Extrusão Brasil, especializada em máquinas para tubos e perfis, anunciou ao mercado o acordo feito com a fabricante de extrusoras alemã Leistritz. A empresa, com exclusividade, passa a comercializar no Brasil as extrusoras co-rotantes Leistritz, além de prestar serviços de assistência técnica aos clientes e às empresas que já contam com equipamentos da marca no mercado brasileiro.

    Também passa a comercializar e prestar assistência técnica das máquinas Pharma, marca da Leistritz dedicada ao mercado farmacêutico. “A Leistritz é uma empresa de qualidade reconhecida em todo o mundo”, afirma Renato Rocha Borges, diretor comercial. Em seu estande também divulgou os demais modelos de sua linha de extrusoras e equipamentos periféricos, entre os quais linhas completas para produção de telhas de PVC.

    Reciclagem – Tema de grande interesse da indústria do plástico, a reciclagem foi tema de destaque na Plástico Brasil. O assunto foi debatido em palestras promovidas no Especial Plastivida de Sustentabilidade, além de destinar todos os resíduos gerados pelos expositores à Cooperativa Prioridade Ambiental. De acordo com a Fundação Instituto de Administração (FIA/USP), atualmente a indústria recicla 25% do plástico no Brasil. Há enorme potencial para a atividade.

    Na área de exposição, estiveram presentes vários fornecedores de máquinas voltadas para o processamento de resíduos plásticos de origem pós-consumo ou pós-industrial. Entre elas podem ser citadas Wortex, Primotécnica, Wefem Extrusores, Tria do Brasil, Kie Máquinas, Shini, Gneuss, Rone Moinhos, Rocla, Lindner, Erema Plastic Recycling Systems, Erema Group, Atema e Steinert e Seibt.

    A Wortex Máquinas, fabricante de equipamentos, divulgou suas soluções para a operação. No estande, o visitante conferiu os equipamentos das linhas Challenger Recycler Geração II, agora oferecida em versão aprimorada, e Challenger Recycler Conical 55mm, que esteve em operação durante o evento. “São máquinas com elevado conteúdo tecnológico, que resultam em produtos confiáveis nas áreas de separação de materiais provenientes da coleta seletiva, sistemas de lavagem e extrusão”, garante Paolo De Filippis, diretor geral da empresa.

    A Linha Challenger Recycler Geração II processa material com até 20% de materiais rígidos agregados a flexíveis. Permite reciclar vários tipos de termoplásticos, entre eles PE, PP, PS, PC e ABS. A produtividade chega a 750 kg/h. A Linha Challenger Recycler Conical 55mm é compacta e indicada para operações de reciclagem ao pé de máquinas onde, por exemplo, pode recuperar aparas industriais limpas de filmes lisos de polietileno e polipropileno. A capacidade de produção é de 90 kg/h, no trabalho com PE, e de 60 kg/h, com PP.

    A Primotécnica, de Sertãozinho-SP, contou com estande bastante concorrido. A empresa fornece vários equipamentos para a reciclagem, entre eles extrusoras, aglutinadores, compactadores, trituradores e granuladores. Em paralelo, detém a marca Primid, de compostos de PP, PA 6 e PA 6.6 indicados para os setores automobilístico, elétrico/eletrônico e outros.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *