Plástico Brasil 2019 – Retomada econômica anima expositores

Plástico Moderno, PLASTICO-BRASIL-FEIRA-2019--LOGOTIPO

Plástico Moderno, Plástico Brasil 2019 - Programação ampla e retomada econômica animam expositores

Neste início de ano, os dados da economia ainda não entusiasmam, mas há esperança, entre os empresários ligados à indústria do plástico, de início de um ciclo de recuperação. A segunda edição da feira Plástico Brasil, a ser realizada entre os dias 25 e 29 de março, surge como reforço para o clima de otimismo. O evento será realizado no pavilhão do São Paulo Expo, na capital paulista, e contará com a participação de mais de 600 marcas do Brasil e de outros 13 países – Alemanha, Áustria, China e Itália terão pavilhões exclusivos para reunir suas empresas. A exposição contará com mais de 50 novos expositores e ao menos 20% de área superior à da primeira edição, realizada em 2017. A participação de 69 empresas internacionais supera em 122% a verificada na edição anterior.

O perfil dos expositores é bastante amplo. Eles prometem apresentar os últimos avanços tecnológicos e as principais tendências globais de toda a cadeia produtiva do setor. A lista abrange fabricantes de máquinas de injeção, sopro, extrusão e termoformagem, periféricos, robôs, moldes e seus acessórios, matérias-primas, aditivos e demais itens utilizados na cadeia produtiva.

Plástico Moderno, Liliane: expectativa de gerar mais negócios nesta edição
Liliane: expectativa de gerar mais negócios nesta edição

Em paralelo às atrações mostradas pelos expositores, a feira contará com eventos dirigidos a outros temas específicos. Estão previstas mais de 80 horas de seminários, palestras e workshops, a maioria deles gratuita, ministrados por especialistas brasileiros e estrangeiros, autoridades, empresários e instituições de ensino. O evento é iniciativa da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim) e de outras entidades ligadas à cadeia produtiva setorial. A realização tem a assinatura da Informa Exhibitions.

Liliane Bortoluci, diretora da Plástico Brasil 2019, apresenta o evento como ampla janela de oportunidades para os transformadores e demais indústrias renovarem ou ampliarem seus parques para ganhar produtividade e competitividade. “Nossa expectativa é a mais positiva possível”. Ela aguarda presença superior a 45 mil visitantes, entre transformadores de plástico, compradores e profissionais de segmentos usuários do plástico, como os da construção civil, alimentos e bebidas, embalagens, automóveis e autopeças, entre outros.

Liliane não se arrisca a estimar um valor dos negócios a serem gerados a partir da realização da feira. “Um valor que podemos divulgar com segurança é o da Rodada de Negócios realizada durante a Plástico Brasil 2017”. Na ocasião os compradores convidados vieram de oito países (Argentina, Colômbia, Costa Rica, Egito, EUA, Índia, México e Rússia) e se reuniram com 26 fabricantes do setor durante dois dias da feira. “O resultado superou US$ 30 milhões em negócios projetados para os 12 meses seguintes e abriu possibilidades concretas de ampliação dos horizontes e conquista de mercados antes não previstos pelos fabricantes brasileiros”.

Injetoras – Os principais fabricantes de máquinas injetoras de todo o mundo mostrarão na feira modelos de última geração, capazes de atrair a atenção dos compradores por oferecerem índices de produtividade bastante superiores aos dos modelos antigos. São máquinas que trabalham com ciclos reduzidos, geram peças de alta qualidade e proporcionam elevada economia de energia. Ótimos motivos para atrair compradores.

Plástico Moderno, EN-220 com Stop and Go opera ciclos rápidos e mais precisos
EN-220 com Stop and Go opera ciclos rápidos e mais precisos
Plástico Moderno, Reis oferece máquinas de alta tecnologia e produtividade
Reis oferece máquinas de alta tecnologia e produtividade

A brasileira Romi será uma das representantes desse nicho de mercado. Em seu estande de 500 m² exibirá dois modelos de injetoras. A Romi EN 220, equipada com sistema de acionamento “Stop and Go”, é indicada para linhas de produção onde se exige atingir alta precisão em ciclos muito rápidos, com reduzido consumo de energia. A máquina possui versões para injeção de PVC, pré-formas de PET e de multimateriais ou materiais multicores. Também será exibido um modelo ES 300, dotado de simultaneidade completa de movimentos acionados por servo-motores, além de sistemas de injeção por acumulação e servo-válvula. Todas as máquinas são equipadas com o comando CM20, que proporciona monitoramento remoto de todos os parâmetros dos processos realizados pelos equipamentos.

Para o diretor da Unidade de Máquinas para Plásticos da Romi, William dos Reis, o evento é uma excelente oportunidade de novos negócios, assim como foi em 2017. “Ao participarmos de eventos como a Plástico Brasil temos a oportunidade de apresentar ao mercado produtos de altíssima tecnologia e soluções em produtividade”, afirma.

Uma linha de produção equipada com injetora modelo Systec de 350 toneladas de força de fechamento produzirá doze tampas para embalagens com diâmetro de 120 mm em ciclos de 3,8 segundos será a grande atração da multinacional Sumitomo Demag. “Ela proporciona movimentos dinâmicos com maior velocidade e mais precisão, e tem um sistema de proteção de molde mais apurado. Trabalha com reduzido consumo de energia”, explica Christoph Rieker, diretor geral do escritório brasileiro.

Plástico Moderno, Injetora Sumitomo Demag da linha Systec vai operar na feira
Injetora Sumitomo Demag da linha Systec vai operar na feira
Plástico Moderno, Riecker sente que projetos começaram a sair das gavetas
Riecker sente que projetos começaram a sair das gavetas

A expectativa de Rieker em relação à participação da empresa na exposição é a melhor possível. Ele explica que no ano passado as vendas da Sumitomo Demag no Brasil corresponderam às expectativas e aposta em crescimento em 2019. A realização da feira colabora com essa expectativa. “O ano começou um pouco fraco, mas acredito que muitos projetos estão saindo das gavetas”.

O portfólio da multinacional Wittmann Battenfeld é composto por todos os equipamentos necessários para a implantação de linhas de injeção, o que inclui injetoras e todos os periféricos necessários, inclusive robôs. A feira contará com uma demonstração disso: estará montada uma linha dotada com injetora modelo Macro Power com 650 toneladas de força de fechamento. Durante o evento deve produzir (possibilidade ainda não confirmada até o fechamento desta edição) rodas para cadeiras de rodas. “A injetora Macro Power é servo-acionada, permite ciclos rápidos e forte economia de energia”, informa o engenheiro de vendas Marcos Cardenal.

O especialista se mostra otimista com a participação da Wittmann Battenfeld. “As vendas no início do ano ainda não esquentaram, mas o número de consultas está bastante positivo”. Para ele, um fator preocupante foi o fechamento da fábrica da Ford na região do ABC paulista. “Espero que isso não atrapalhe a recuperação prevista para este ano”.

Plástico Moderno, Cardenal: volume de consultas está em fase de crescimento
Cardenal: volume de consultas está em fase de crescimento

A alemã Arburg mostrará três diferentes linhas com diferentes opções de equipamentos. Uma delas terá a injetora Allrounder 720 H (P), que funcionará acoplada em um sistema de in mold label e produzirá seis copos de polipropileno com volume de 250 ml (13 gramas) em ciclos de cinco segundos. Outra atração será uma célula de produção flexível equipada com máquina Allrounder 320 C Golden Edition. Esta produzirá as duas partes de um pião de brinquedo feito de poliestireno em ciclos de 25 segundos. Na célula, um robô de seis eixos retira as peças moldadas na injetora e as encaminha para a próxima estação, na qual as duas partes serão soldadas por ultrassom. Os piões prontos para usar serão colocados em uma esteira transportadora. Por fim será mostrada uma Allrounder 470 C Golden Edition usada para a produção de oito peças médicas (12 gramas) em ciclos de 20 segundos.

Plástico Moderno, Extrusora DR 75-32, da linha da Extrusão Brasil
Extrusora DR 75-32, da linha da Extrusão Brasil

Anúncios – Na Plástico Brasil, duas empresas nacionais de equipamentos farão anúncios de parcerias com empresas do exterior, a Pavan Zannetti, fabricante de sopradoras e importadora de injetoras, e a Extrusão Brasil, produtora de linhas de extrusão. A Pavan Zanetti passa a produzir no Brasil as sopradoras projetadas com a tecnologia da italiana Synthesi. “São maquinas muito modernas e totalmente elétricas, com modelos para frascos até 30 litros e grande apelo tecnológico”, garante Newton Zannetti, diretor comercial. Está previsto, para abril ou maio, a organização de um show room com o primeiro modelo com essa tecnologia construído no Brasil.

Em seu estande, a Pavan Zanetti mostrará dois modelos de sopradoras e uma injetora. Uma das sopradoras é a máquina híbrida Bimatic BMT 10.0 D/H, em versão que ganhou maior participação de acionamentos elétricos em relação aos hidráulicos. “Os movimentos convertidos para elétricos são o deslocamento dos carros porta-moldes, sopro e programador de espessura de parison”. A máquina será oferecida ao mercado com maior capacidade para moldes em relação à versão anterior e 20 toneladas de força de fechamento. “Ela garante precisão de movimentos, economia de energia e maior apelo à sustentabilidade, pois usa menos óleo”.

A outra sopradora é da serie Petmatic para sopro e estiramento de pré-formas de PET, com capacidade de sopro até 2 litros e capacidade de produção de aproximadamente 5 mil frascos cilíndricos até 500 ml (13 gramas). “É uma máquina automática com componentes pneumáticos e elétricos via servo-motores”. A injetora, comercializada a partir da parceria da empresa com um fabricante chinês, será um modelo HXF com 128 toneladas de fechamento.

Zanetti acredita que a feira pode se transformar no divisor de águas entre o fraco semestre anterior e o promissor ano de 2019. “Entendemos que o ano deverá ser melhor caso não haja um problema político ou econômico que interfira no lento aumento dos investimentos no setor do plástico. No nosso país as previsões nem sempre se transformam em realidade”.

A Extrusão Brasil divulgará o acordo feito com a fabricante de extrusoras alemã Leistritz. A empresa, com exclusividade, passa a comercializar no Brasil as extrusoras co-rotantes Leistritz, além de prestar serviços de assistência técnica aos clientes e às empresas que já contam com equipamentos da marca no mercado brasileiro. Também passa a comercializar e prestar assistência técnica das máquinas Pharma, marca da Leistritz dedicada ao mercado farmacêutico. “A Leistritz é uma empresa de qualidade reconhecida em todo o mundo”, afirma Renato Rocha Borges, diretor comercial.

De quebra, a Extrusão Brasil divulgará toda sua linha de extrusoras e equipamentos periféricos voltados para a operação de extrusão. Entre os equipamentos, destaque para as linhas completas dedicadas à produção de telhas de PVC.

Reciclagem – Um dos temas a ser bastante discutido nos corredores da feira será a reciclagem, tecnologia que surge como a melhor resposta do setor aos ataques promovidos pelos ambientalistas ao uso do plástico em diversas aplicações. Em vários estandes serão mostrados equipamentos de última geração voltados para a operação.

Plástico Moderno, Versão aprimorada da Challenger Recycler estará em exposição
Versão aprimorada da Challenger Recycler estará em exposição

A brasileira Wortex apresentará in loco novidades como as linhas Challenger Recycler Geração II, em versão aprimorada, e Challenger Recycler Conical. A primeira tem capacidade para processar materiais flexíveis ou rígidos na proporção de até 20% de rígidos agregados a flexíveis como filmes lisos, impressos, metalizados e multicamadas, entre outros. Com o equipamento é possível reciclar variados termoplásticos, entre eles polietileno, polipropileno, poliestireno, policarbonato e ABS. A produtividade chega a 750 quilos por hora.

“A linha recebeu uma série de melhorias, como avanços na degasagem de materiais altamente impressos e um sistema opcional de dupla filtragem, que viabiliza o processamento de materiais com níveis maiores de contaminação”, revela o diretor Paolo De Filippis. “A deterioração no processo de extrusão é a mínima possível e o sistema de granulação garante maior rendimento e homogeneidade na produção”.

Plástico Moderno, De Filippis: economia circular cresce com retomada do país
De Filippis: economia circular cresce com retomada do país

A linha Challenger Recycler Conical 55 mm é compacta (moinho e máquina ocupam 27 m2) e indicada para aplicações como a recuperação de matéria-prima ao pé das máquinas, casos, por exemplo, de aparas industriais limpas ou filmes lisos de polietileno e polipropileno. A capacidade de produção é de 90 kg/h de polietileno e 60 kg/h de polipropileno. “O equipamento opera com baixíssimo consumo de energia aliado a processamento veloz e de alta qualidade”.

A Wortex também divulgará suas séries de extrusoras, sistemas de seleção/preparação, linhas de lavagem e uma gama de roscas e cilindros para máquinas de injeção, sopro e extrusão. “O mercado está se movimentando. O reaquecimento ajuda nosso setor, pois dá mais segurança a quem investe em produção e no conceito de economia circular”, comenta o empresário.

O estande da Wortex contará com espaço para a participação da italiana Amut, parceira da empresa nacional. O destaque Amut será a divulgação de seu equipamento para a operação “bottle-to-packaging”, processo direto de transformação de garrafas de PET pós-consumo em chapas para a termoformagem de embalagens aptas ao contato direto com alimentos (food grade). Outros equipamentos a serem divulgados pela empresa italiana são suas linhas para filmes stretch, extrusoras de rosca dupla para PVC, linhas de mangueiras especiais, linhas de lavagem de PET para utilização em bottle-to-bottle e linhas completas de separação de resíduos sólidos urbanos e de coleta seletiva, entre outras soluções.

Com sede na Alemanha, a Gneuss tem forte atuação no ramo da reciclagem. Seu processo MRS tem como finalidade a produção de embalagens para alimentos com até 100% de PET reciclado. De acordo com a empresa, é o único homologado pelas autoridades de vigilância sanitária no Brasil e em países vizinhos, como Argentina e Colômbia. O processo se baseia em unidade de processamento que trabalha com extrusora com enorme capacidade de degasagem e descontaminação combinada a sistema de filtragem rotativa e viscosímetro. A extrusora presente no conjunto possibilita o processamento de PET sem pré-secagem, utilizando sistema simples de vácuo com bombas de anel líquido. Isto se torna possível pela sua unidade de processamento peculiar e patenteada.

Periféricos – Um grande número de empresas de equipamentos auxiliares para as linhas de produção dos diferentes métodos de transformação do plástico estarão com estandes na exposição. São produtos valiosos nos dias atuais, quando investir em automação está na ordem do dia. O grupo multinacional Piovan, nome bastante forte nesse segmento de mercado, vai exibir seus mais recentes desenvolvimentos. Entre muitas novidades, os visitantes poderão assistir a uma demonstração do Winfactory 4.0, software de supervisão digital desenvolvido para aumentar eficiência e produtividade por meio do gerenciamento e integração dos processos produtivos.

Plástico Moderno, Piovan levará novos sistemas de alimentação para exposição
Piovan levará novos sistemas de alimentação para exposição

Outro produto a ser divulgado é o Winenergy, sistema de monitoramento de energia de toda a fábrica. A Piovan também apresentará o QuantumE, novo controlador gravimétrico especialmente desenvolvido para filmes flexíveis usados em embalagens. Ainda na área de controle gravimétrico destaque para o Ryng, medidor de consumo de matéria prima instantâneo para as máquinas transformadoras, item indispensável para o controle de processo em qualquer sistema de Indústria 4.0. Além de novos produtos, a feira também será importante ocasião para apresentar ao mercado sul-americano a nova identidade corporativa da Piovan, o que inclui apresentação de novo logotipo.

A Stäubli divulgará suas principais soluções indicadas para a indústria de injeção do plástico. Seu estande contará com duas de suas divisões, Robotics e Connectors, ambas com produtos em funcionamento. Na linha de robôs, a maior atração será o modelo TX2-90, de seis eixos, indicado para muitas condições de uso, incluindo a manufatura de alto volume de peças, aplicações em indústria 4.0 e interação com humanos em situações distintas.

A principal característica dos robôs da linha são as rigorosas condições de segurança com as quais opera – cada movimento é monitorado por sensores. Eles são oferecidos em seis modelos de série e capazes de manipular peças de 1,7kg a 20kg com alcance de 515mm e 1450 mm. Também será apresentada o modelo de quatro eixos TS2-60, da nova série TS2.

Na área de conectores, a Stäubli vai mostrar, entre outros vários itens, uma linha de engates e placas de multiacoplamento para conexão rápida dos moldes feitas a partir dos mais variados tipos de energia – água e óleo para controle térmico, ar comprimido, óleo hidráulico, sinais e potência elétricos. Também exibirá um sistema magnético que estará disponível para demonstrações de suas condições de operacionalidade.

Plástico Moderno, Terra: demonstrações durante a feira tem cunho estratégico
Terra: demonstrações durante a feira tem cunho estratégico

Braskem – Representantes da indústria de matérias-primas prometem apresentar novidades durante a feira. Entre os expositores do ramo, destaque para a multinacional brasileira Braskem, cujos carros-chefes são as linhas de polietilenos e polipropilenos obtidas a partir do petróleo ou da cana-de-açúcar. “A Braskem participa da Plástico Brasil desde sua primeira edição, em 2017. Temos grandes expectativas para este ano de estreitar ainda mais nosso relacionamento com os parceiros que estarão presentes e fazer novos contatos”, explica Edson Terra, vice-presidente Unidade de Poliolefinas América do Sul e Europa. Ele diz que o formato do evento contribui para importante networking do setor, pois reúne um público altamente qualificado.

A estratégia da Braskem para divulgar seus produtos foi traçada a partir de parcerias com alguns expositores que farão demonstrações com as resinas oferecidas pela empresa. ”Acreditamos que este é um importante canal para que o público veja o alto desempenho dos nossos produtos e suas diferentes possibilidades”. Para tanto, serão oferecidos aos visitantes tours guiados pela equipe de engenharia de aplicação da fabricante de resina que passarão por estandes estratégicos nos quais alguns processos e tecnologias serão explicados. A ação, realizada duas vezes ao dia, será aberta ao público.

No evento, os interessados podem se informar sobre os lançamentos recentes da Braskem. Um deles é o novo polipropileno DP213A, da linha Maxio. A resina possui baixo índice de fluidez e contém aditivação anti-UV. Ela é indicada aos produtores de big bags utilizados para embalar e transportar grãos, fertilizantes, minérios e produtos químicos. O produto, de acordo com a empresa, permite melhora de 30% na produção sem aumento do consumo de energia. Foi desenvolvida para atender o elevado nível de exigência dos clientes em relação a propriedades mecânicas da fita de rafia e proporcionar maior eficiência na operação de extrusão.

PETtalk – Não faltam motivos para os visitantes de alguma forma ligados à indústria do PET marcarem presença na Plástico Brasil. Durante a feira será realizada a conferência PETtalk, realizada pela Associação Brasileira da Indústria do PET (Abipet), que promete abordar, com a presença de grandes de especialistas nacionais e internacionais, todos os temas ligados a esse segmento, da produção da matéria-prima aos processos de transformação – injeção, sopro e operações paralelas, como secagem, filtragem e outras.

Plástico Moderno, Marçon: PETalk atualizará a cadeia do PET na região
Marçon: PETalk atualizará a cadeia do PET na região

A reciclagem também contará com bom espaço nas discussões, com a apresentação de técnicas da coleta e moagem, produção e transformação do material recuperado. Entre as empresas que estarão representadas na conferência se encontram Amcor, Husky, Alpek, Indorama, Globalpet, Krones, Gneuss e Piovan.

Auri Marçon, diretor executivo da Abipet, garante que o conteúdo a ser apresentado será de grande valia para os profissionais do setor. “Uma das atrações será a presença de representante da consultoria PCI Wood Mackenzie, uma das maiores conhecedoras do mundo de toda a cadeia de produção e de dados sobre o mercado de produtos em PET”, revela. Outro destaque fica por conta do lançamento de um projeto grandioso de recadastramento das empresas que atuam no Brasil e são de alguma forma ligadas à indústria da matéria-prima. “Esse projeto está sendo desenvolvido por nós com a ajuda de parceiros e será apresentado em um dos debates previstos para o painel”.

Moldes – Uma parceria entre a Informa Exhibitions, organizadora da Plástico Brasil, e a Associação Brasileira da Indústria de Ferramentais (Abinfer) resultou na criação de um acontecimento inédito. O “Abinfer Business Center – ABC 2019”, a ser realizado em uma área de 270 m², promete reunir ferramentarias e fornecedores da cadeia fabricante de moldes para que os visitantes do ramo possam encontrar produtos os mais variados sobre o setor. Além da exposição de marcas e do incentivo ao aprendizado de novas técnicas e tecnologias por meio de palestras e workshops em auditório exclusivo, o espaço terá células de geração de negócios e reuniões setoriais.Entre as empresas importantes do setor presentes na feira se encontra a Polimold, fabricante nacional de porta-moldes e componentes de moldes padronizados, câmaras quentes, controladores de temperatura e outras soluções para a indústria de ferramentas voltada para a operação de injeção. A empresa vai expor toda a sua linha de produtos, com destaque para os sistemas de câmara quente Infinity e soluções para injeção em moldes de múltiplas cavidades. Também divulgará seu novo portal de vendas, dotado com vasta biblioteca em duas e três dimensões, a partir da qual projetistas podem fazer downloads de diversos itens, inclusive porta-moldes de duas ou três placas.

A Romi, que além de máquinas para transformação de plástico é nome tradicional no segmento de máquinas-ferramenta, lançara a nova geração de centros de usinagem da linha D. Na feira, irá mostrar um modelo D 1250 trabalhando na usinagem de um molde para injeção. De acordo com a empresa, entre os diferenciais da máquina se destacam a estabilidade térmica e geométrica e a alta capacidade de absorção dos esforços de usinagem, características que garantem grande capacidade de remoção de cavacos e redução dos tempos de trabalho.

A Oerlikon, multinacional especializada em tratamentos de superfícies, promete vários lançamentos. Entre eles alguns novos serviços, como o Balinit Triton (DLC-Diamond Like Carbon), revestimento aplicado pela tecnologia PACVD com base em carbono, indicado para elementos móveis, gavetas e extratores. O Balinit Croma Plus (CrN, nitreto de cromo) é um revestimento multicamadas depositado pela tecnologia PVD, que apresenta alta resistência a corrosão, abrasão e adesão de material. É recomendado tanto para os moldes de injeção quanto para os moldes de extrusão de filmes e tubos.

Enquanto isso – Outros acontecimentos acontecerão em paralelo à exposição e se mostram valiosos aos visitantes interessados em se aprofundar em temas importantes para o aperfeiçoamento tecnológico de suas empresas. A indústria 4.0, assunto a ser muito discutido nos estandes de vários expositores, contará com o seminário “RoadShow VDI: Boas Práticas Alemãs para a Indústria 4.0”, organizado pela VDI Brasil (Associação de Engenheiros Brasil-Alemanha), em parceria com a VDMA (Associação Alemã de Fabricantes de Máquinas e Instalações Industriais). O seminário tem objetivo de demonstrar os benefícios da aplicação de boas-práticas alemãs por meio de palestras ministradas por especialistas internacionais, representantes de empresas como Arbug, Stäubli, Wittmann Battenfeld, e da própria VDMA.

O projeto “Parque de Ideias” promoverá a aproximação entre universidades e setor produtivo, apontado como fator preponderante para o desenvolvimento tecnológico, econômico e social dos países industrializados. Nesse espaço da feira, algumas das maiores instituições de ensino do Brasil apresentarão projetos de inovação e palestras sobre temas relevantes e estratégicos. Dois assuntos receberão atenção especial: design de embalagens e reciclagem.

Outro evento será a demonstração e informações sobre o sistema SMED (Single Minute Exchange of Die) desenvolvido pelas empresas Romi e Stäubli para agilizar a operação de setup de moldes de injeção nas linhas de produção. Com a técnica, a operação pode ser feita sem qualquer interação humana em menos de dez minutos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios