Plastech – Feira acontece em meio à reestruturação da petroquímica

Num ano atípico, marcado pela saída da única empresa gaúcha da cadeia petroquímica, o grupo Ipiranga, os transformadores de termoplásticos do Rio Grande do Sul apostam suas fichas no sucesso da primeira edição da Plastech (Feira de Tecnologias para Termoplásticos e Termofixos, Moldes e Equipamentos) como forma de melhorar o desempenho do setor, que perdeu espaço para outras regiões nos últimos anos.

O evento acontece em Caxias do Sul, de 24 a 27 de julho de 2007, e até o fechamento desta edição de PM, conforme informações oficiais da organização da feira, 80% dos espaços estavam vendidos a 250 expositores. A expectativa era de chegar perto dos 100% nos dias que antecedem a abertura, sendo que 90% da feira será ocupada por empresas brasileiras. Os 10% restantes correspondem a grupos provenientes dos Tigres Asiáticos, China, EUA, Itália e Alemanha, entre outros.

Segundo o presidente do Sindicato da Indústria de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) – entidade promotora do evento – Orlando Marin, o objetivo da Plastech em sua primeira edição é contar com representantes dos diversos segmentos da cadeia petroquímica e por conta disso consolidar um espaço do sul do Brasil onde a cada dois anos os empresários possam atualizar seus conhecimentos relacionados ao negócio, propagando uma cultura do plástico com o que há de mais avançado em tecnologia industrial.

Na opinião do presidente do Sindicato da Indústria de Material Plástico do Rio Grande do Sul (Sinplast), Jorge Cardoso, a Plastech ocorre em um momento de inserção do pólo petroquímico gaúcho no cenário de globalização do setor. Na análise de Cardoso, o ambiente de organização da Plastech é complexo porque a compra da Ipiranga pela Braskem era uma questão de tempo.

Plástico Moderno, Plastech - Feira acontece em meio à reestruturação da petroquímica
Da dir. Cardoso, Marin e Eggers apostam no sucesso do evento

Conforme o dirigente, já não existia espaço na petroquímica para empresas sem ambições de alçar vôos ousados no cenário mundial. “

O cenário da petroquímica é de fusão ou aquisição e formação de grupos de classe mundial, mas ao mesmo tempo pequenas e médias empresas transformadoras começam a encontrar facilidades para a importação de insumos porque o dólar desvalorizado abaixo de dois reais permite montar esquemas de compra e logística em encomendas menores”, assinala Cardoso.

Gustavo Eggers, da empresa Bioplast, um dos responsáveis por uma série de reformulações gerenciais traçadas pelo Sinplast no sentido de modernizar a gestão das empresas, considera a realização da Plastech logo em seguida à Brasilplast como mais um recurso para atender às necessidades daqueles empresários do sul do País que por uma razão ou outra ficaram impossibilitados de ir a São Paulo. “A grande maioria dos que visitaram a Brasilplast comprou máquinas novas. Os que ficaram sabem que precisam investir para não perderem competitividade”, raciocina Eggers.

Em sua opinião, no entanto, o crescimento do setor proveniente dos novos investimentos será percebido em 2008, pois é preciso levar em conta o tempo de entrega das máquinas, a entrada em operação e a melhora das relações entre oferta e procura dos manufaturados. De acordo com Eggers, a indústria gaúcha precisa investir ainda mais em material de laboratório, como forma de melhorar a capacidade de injeção de peças técnicas, que exigem testes mais detalhados.

 Sobre a compra dos ativos de Triunfo pelo consórcio Braskem-Petrobrás, Eggers comenta: “O negócio está fechado. Queira ou não queira há um monopólio. Por outro lado, existe excesso de oferta de resinas na China e as facilidades ocasionadas pela desvalorização do dólar perante o real. Com isso, alguns distribuidores estão importando matéria-prima e formando estoques reguladores no Brasil. Isto vai ajudar a segurar os preços.” No seu entendimento, 87% dos transformadores gaúchos têm condições de adquirir resinas no mercado internacional por compra direta ou via intermediação das distribuidoras.

Em tempos de Plastech, a terceira geração petroquímica gaúcha conta ainda com uma iniciativa de aperfeiçoamento tecnológico recentemente implantada. Trata-se do Projeto Prumo, administrado pelos três sindicatos de transformadores do Estado em convênio com instituições de formação de mão-de-obra. Com oito meses de funcionamento, os técnicos do projeto, a bordo de uma van, já percorreram aproximadamente 50 empresas, onde realizaram inspeções e apontaram necessidades de melhoria em procedimentos e tecnologia.

O atual responsável por sua execução, Júlio Roedel, acredita que o programa passou a gerar benefícios significativos e financeiramente mensuráveis às empresas. Ele cita os primeiros números proporcionados pelas visitas técnicas: redução de 50% do custo de matérias-primas com economia de R$ 480 mil entre resinas e reforços, 12% de redução de perdas em decorrência da padronização do processo.

A melhoria na dispersão de pigmentos diminuiu as perdas por variações de cores em R$ 144 mil em termos de custos. Com a melhoria do layout das peças os ganhos em produtividade alcançaram 10%, com a adoção de novos procedimentos em treinamento de mão-de-obra. “O aspecto da segurança de sigilo oferece garantia ao empresário: o que for analisado em suas instalações, permanecerá dentro de seus portões”, afiança Roedel.

Também integra a programação da Plastech, o Seminário de Tecnologias de Transformação de Polímeros, de 25 a 27 de julho, promovido pelo Senai do Plástico de Caxias do Sul. As palestras  acontecem na sede da instituição localizada na Rua Giácomo Zatti, com os temas: manutenção preventiva e otimização de ciclos para máquinas injetoras, sistemas automatizados de alimentação e preparação de materiais, sistemas para elastômero termoplástico (TPE), transformação de materiais biodegradáveis, roscas e cilindros, tecnologia de extrusão, câmara quente e simulação de injeção.

Destaques da feira*

APTA RESINAS

Parceira de líderes mundiais em tecnologia na distribuição para todo o mercado de polímeros de engenharia e demais especialidades desenvolvidas pela Basf, Radici Plastics, Solvay Advanced Polymers, Solvay Solexis, Degussa HPP e Chem Trend, a empresa levará ao conhecimento do público amplo portfóliode matérias-primas para a fabricação de produtos finais de superior desempenho e alto valor agregado. Além da oferta diversificada, outro ponto forte é a sua dedicação ao desenvolvimento de produtos e de novas aplicações de plásticos de engenharia, em apoio às iniciativas dos transformadores. As parcerias firmadas ao longo de vários anos – desde 1998, ano de sua fundação – resultam em atividades de suporte aos clientes, tendo em vista os constantes treinamentos e atualizações promovidos pelos seus parceiros.

Plástico Moderno, Plastech - Feira acontece em meio à reestruturação da petroquímica
Linha Platek Ad,da Autotravi, suporta 300ºC

AUTOTRAVI PLÁSTICOS

Especializada na fabricação de ampla gama de peças de engenharia, a empresa brasileira, atuante em vários setores, até com a oferta de várias marcas próprias, destacará na Plastech Brasil a linha Platek AD, constituída de polímeros especiais de alto desempenho, capazes de suportar temperaturas até 300oC. Com parque fabril integrado por setores de injeção, extrusão, sinterização, fundição de poliuretano e de náilon, centro de usinagem e laboratório, processa mais de trinta diferentes tipos de polímeros, acumulando experiência desde 1972, no desenvolvimento de processos e produtos para atender os mercados nacional e internacional. Ao utilizar matérias-primas como poliuretanos e termofixos, tornou-se especialista na fabricação de tarugos, chapas, tubos, réguas, entre outras peças especiais, reconhecidas pela marca Politrav. Sob a marca Plastômero T, fabrica correias, perfis, entre outras peças, por extrusão ou injeção, utilizando poliuretanos termoplásticos. Barras, chapas e tubos, sob a marca Platek, são fornecidos ao mercado em PA, PP, PE 500 (PEAD), POM, PS, PC e ABS, extrudados e usinados. Sinterizadas e usinadas, barras e chapas são disponibilizadas em polietileno de ultra-alto peso molecular, sob a marca PE-Ultra. Em náilon fundido, também são fabricados barras, chapas e tubos da marca Tranyl. O cenário da petroquímica é de fusão ou aquisição e formação de grupos de classe mundial, mas ao mesmo tempo pequenas e médias empresas.

Transformadoras começam a encontrar facilidades para a importação de insumos porque o dólar desvalorizado abaixo de dois reais permite montar esquemas de compra e logística em encomendas menores”, assinala Cardoso.

BERTI  ULTRASONIC

A empresa projeta e constrói máquinas especiais para soldar plásticos por fricção rotativa, termofusão e ultra-som, o conceito mais difundido nos últimos tempos. Desde 1994, fornece máquinas para os setores de brinquedos, médico-hospitalar, proteção respiratória e embalagens, em modelos de 1.600 W, 2.800 W e com gerador portátil de ultra-som. Especialmente para o público da Plastech Brasil, programou o lançamento de máquina de solda por ultra-som. Trata-se da Titã, equipamento com comandos microprocessados e saída auxiliar programável, a ser conferido no estande.

CARBOMIL QUÍMICA

Há mais de quatro décadas produzindo carbonato de cálcio, a empresa marcará presença na Plastech Brasil, expondo ao público as tradicionais linhas formadas por cretáceos e cristalinos. Contando com licença do fabricante, a Itamil – Itaoca Mineração, também produz carbonatos de cálcio cristalinos, sob a marca Carbomil. A participação de ambas irá ensejar a oportunidade para que executivos das duas companhias possam difundir entre os visitantes a utilização de carbonatos de cálcio como aditivos para reduzir custos de formulação e agregar propriedades aos polímeros.

Plástico Moderno, Plastech - Feira acontece em meio à reestruturação da petroquímica
Moinho MFB -200 apresenta baixo nível de ruído

CARLOS BECKER

De Gravataí-RS diretamente para a Plastech Brasil, a empresa irá apresentar ao público sua ampla linha de equipamentos periféricos, integrada por silos, misturadores, transportadores, moinhos de martelos e moinhos de facas. Durante a feira, irá expor vários modelos. Um deles é o moinho de baixa rotação MFB-200.

Disponível com motorizações de 5 cv e 7,5 cv, e com capacidade para até 80 kg/h, apresenta alta produtividade, baixo nível de ruído e baixo consumo de energia, e foi concebido para operar junto às injetoras e sopradoras. Outro modelo a ser conferido pelo público é o MFPB-230. Projetado para a moagem de perfis, tubos, mangueiras, entre outras peças de grande comprimento, tem como características baixo nível de ruído, desenho e ângulo de facas rotoras diferenciados, podendo moer peças cujos comprimentos excedem a seis metros. A área de exposição se complementa com a apresentação de outros modelos da série MFB-300, indicados para centrais de moagem e que podem operar com injeção de água, e também pelo moinho MAB-240/3, desenvolvido com conceito inovador e que proporciona alto grau de rendimento às operações.

CHEMSON

As inúmeras vantagens técnicas de qualidade e produtividade, associadas ao emprego de estabilizantes para PVC à base de cálcio-zinco e orgânicos para a fabricação de tubos, conexões, perfis, fios e cabos, estarão em evidência nesse estande. Considerada líder de mercado, a empresa dispõe de unidades fabris na Alemanha, Áustria, Inglaterra, Austrália, Estados Unidos, China e Brasil. A unidade brasileira fica em Rio Claro-SP, conta com oitenta funcionários e produz estabilizantes orgânicos, estabilizantes à base de cálcio-zinco e de chumbo, além de sais de chumbo, estearatos de cálcio e zinco, lubrificantes e blendas para poliolefinas.

COMEPLAST

De Bento Gonçalves-RS para a exposição, a empresa levará ao público arqueadeiras automáticas, semi-automáticas e manuais, além de seladoras para filmes termoencolhíveis, fitas de arquear, filmes stretch, fitas adesivas e fitilhos. Focada desde 1985 em sistemas de fechamento de embalagens, a empresa desenvolve também projetos de automação para diferentes linhas de embalagens. Sua oferta de equipamentos abrange envolvedoras para filmes stretch, datadoras e seladoras para sacos plásticos.

DRAGON 

Especializada em importação e exportação de máquinas, a empresa sediada em Curitiba-PR apresentará linha de reciclagem de isopor, inédita no mercado brasileiro, além de sistema para reciclagem de pneus que separa aço, borracha e náilon. O público também poderá conferir linhas completas de reciclagem, providas de sistemas de trituração, limpeza, extrusão e granulação para garrafas PET. Também serão apresentadas as características de outros sistemas de reciclagem para ráfia, filmes, entre outros plásticos, incluindo até mesmo extrusoras especiais para perfis fabricados com compostos de PVC e madeira. A diversidade de oferta também abrange injetoras, sopradoras, impressoras flexográficas, máquinas de corte e solda de sacolas, máquinas para a produção de luvas descartáveis, fraldas, lenços umedecidos, absorventes higiênicos, papéis higiênicos, estendendo-se ainda a pulverizadores, moedores, granuladores, trituradores, extrusoras de lâminas e a linhas de termoformagem para PET/PE/PP/OS/ABS/PVC.

LGMT

O fabricante de cilindros, roscas e acessórios para processamento de termoplásticos, termofixos e borrachas destacará roscas com perfis especiais, conjuntos de ponteiras homogeneizadoras, cilindros, linha para recuperar filmes/aparas, sem aglutinar, linha de tubos corrugados, rígidos e flexíveis, co-extrusoras sobre rodas, incluindo linha de granulação para laboratórios.

Plástico Moderno, Plastech - Feira acontece em meio à reestruturação da petroquímica
Mainard mostra o medidor M- 73152 como novidades

MAINARD

Os grandes destaques preparados para a Plastech Brasil são os equipamentos para medição contínua de filmes flexíveis na saída das extrusoras. Em vários modelos, como o M-73152 em exibição, esses medidores propiciam controle preciso da espessura dos filmes. Como diferenciais, são integrados por roletes formados por rolamentos blindados de alto desempenho, para garantir deslizamento suave dos filmes, arco em alumínio fundido e estabilizado, e relógios para leitura centesimal, milesimal analógica ou digital. As opções ainda se estendem a medidores com arcos em várias profundidades, desde 30 mm até 500 mm, e pontas planas, em diâmetros entre 10 mm até 50 mm, incluindo pontas esféricas, abauladas, com roletes e cônicas, características que atendem os diversos segmentos de produção de filmes, sacolas, embalagens, borrachas, PVC, espumas, tubos, até mesmo os confeccionados em látex e aço, carpetes, tapetes, mangueiras, fios e cabos.

Única brasileira especializada no conserto e calibração de medidores de todas as marcas e modelos, a empresa também oferece serviços de assistência técnica permanentes e certificados de calibração de acordo com a ISO 9000 e com padrões rastreáveis pela rede brasileira de calibração (RBC). Além de estreitar relacionamento com clientes e firmar novas parcerias, a empresa irá disponibilizar na oportunidade condições especiais para a compra dos equipamentos, além de oferecer atendimento especial aos visitantes que necessitarem de serviços de calibração.

MIOTTO

O visitante poderá presenciar linha de granulação de polímeros que estará operando na feira. Integrada por extrusora de nova concepção, denominada Economáquina, essa linha inclui o modelo EM-60-25-E, acoplado a sistema de corte na cabeça, com resfriamento por anel de água e secagem centrífuga. Além da consagrada tecnologia de roscas e cilindros bimetálicos, o novo modelo de extrusão comporta sistema inovador de transmissão, de alta confiabilidade, maior rigidez estrutural e com melhor distribuição de temperatura. Os sistemas com corte na cabeça são particularmente indicados para granulação de PP/PE e PVC.

PEPASA

A tradicional linha de compostos termoplásticos de engenharia (Ultracomp) e a linha de blendas poliméricas (Ultralloy) serão destacadas ao público. A linha Ultracomp é formulada com base em polímeros, como náilon 6.6, náilon 6, policarbonato, ABS, PBT, PP, polissulfeto de fenileno (PPS), poliacetal, poliftalamida (PPA), SAN, e poliestireno de alto impacto (PSAI), e pode contar com reforços em fibras de vidro (5% até 60%), fibras de carbono (5% até 60%) e fibras aramidas (5% até 40%). A variedade de cargas também é grande, podendo ser empregados talco, mica, carbonato de cálcio, wolastonita e microesferas de vidro. Igualmente, são várias as opções em aditivos, podendo abranger grafites, bissulfeto de molibdênio, PTFE, silicones, retardantes de chama halogenados ou não, antioxidantes, lubrificantes internos e externos, antiUV e modificadores de impacto. Já na linha de blendas Ultralloy, o interessado encontra opções em ABS/PC, PC/PBT, POM/PU, náilon/poliolefinas e ABS/acrílico.

PERFILPOLIMER

A empresa irá expor seu mais recente modelo projetado para a extrusão de perfis rígidos e flexíveis. Trata-se da extrusora EMR 6028 Plus. Provida de sistema de aquecimento por controle microprocessado, resistências em cerâmica e dissipador de calor, a máquina incorpora ventoinhas em cada uma das zonas do canhão. Com acabamento em aço inoxidável, construção robusta, sistema de controle por CLP e interface interativa, trata-se também da primeira máquina a oferecer escada para abastecimento e armário para armazenagem de ferramentas, destacando-se ainda por oferecer painel de comando pivotante, que permite controle pelos dois lados do equipamento.

PLASTILUB

Com os sistemas Rekon, como o modelo EF-310-HT, os set-ups ganham em eficiência e rapidez. Desenvolvidos para prender moldes em injetoras ou matrizes em prensas, esses sistemas, disponíveis em vários modelos, atendem a quaisquer capacidades de máquinas ou pesos dos moldes e matrizes. Montados sobre bases com cilindros hidráulicos e acionados à pressão de 300 bar, proporcionam efetiva fixação dos moldes ou matrizes, e podem ser configurados para funcionar de forma automática, com controle a distância, bem como semi-automática ou convencional.

PRINCZ

Atuante no mercado brasileiro há doze anos, a empresa de compostos de PVC da Argentina destacará novos desenvolvimentos realizados para atender as áreas de materiais expandidos, emborrachados e de misturas com madeira, além de apresentar linha tradicional de compostos para aplicações na construção civil e setores moveleiro e automotivo.

ROMI

Com mais de 60 patentes aprovadas e outras 30 em vias de depósito e concessão em países dos continentes americano, europeu e asiático, a empresa deverá surpreender o visitante ao apresentar sua mais nova linha de máquinas de alta tecnologia e produtividade, comercializada a preço extremamente competitivo. Trata-se das injetoras para termoplásticos da série Prática. Resultante de investimentos feitos em pesquisas e inovações, essa série produz peças de pequeno a médio portes, em aplicações envolvendo até 380 toneladas. Tendo por princípio investir aproximadamente 4% do seu faturamento líquido anual em pesquisa e desenvolvimento (P&D), a empresa mantém suas tecnologias avançadas e conta com a experiência de mais de 190 engenheiros e técnicos. O comprometimento com seus colaboradores pode ser avaliado também pelas bases do sistema de gestão da qualidade, adequadas aos padrões ISO 9000, e pela certificação ISO 9002 desde 1994, atualizada de acordo com a ISO 9001, versão 2000, oferecendo escopo aos projetos, desenvolvimentos, produção, vendas e serviços associados às máquinas-ferramenta, injetoras, sistemas de alta precisão para usinagem, entre outros.

 RONAPLAST 

Instalada no município de Vale Real-RS, próxima dos pólos de transformação de Caxias, Triunfo e Porto Alegre, a empresa, focada em reciclagem, irá divulgar que triplicou nos últimos anos sua capacidade de processamento e ampliou sua área industrial, com a construção de prédio próprio em área de 1.500 m2, onde dispõe de vários equipamentos de grande porte, como moinhos, aglomeradores e extrusoras, para processar todos os tipos de plásticos.

Plástico Moderno, Plastech - Feira acontece em meio à reestruturação da petroquímica
Modelo pode moer bombona de até 30 I

SEIBT

O visitante da Plastech Brasil está convidado a conferir lançamentos em moinhos de baixa rotação. Com moinhos das linhas LR e LRX, concebidos com estrutura mais compacta, visando a facilitar as operações “aos pés” de injetoras e sopradoras, a limpeza se tornou bem mais rápida e foram

incorporados vários avanços tecnológicos. Um deles é representado pelo sistema de corte tesoura em X. Outra novidade está na pré-regulagem das navalhas, realizada fora da máquina, por meio de dispositivo especial.

Os usuários também poderão contar com navalhas fixas reversíveis, sistema de freio para manutenção de navalhas, mancais autocompensadores e afastados da caixa de moagem, isolamento acústico, incluindo itens consoantes à norma de segurança NBR 15107, da ABNT. A linha LR comporta os modelos 200LR, 250LR e 320LR. Já a linha LRX, além dos modelos 200LRX, 250LRX, 320LRX, abrange o 420LRX, projetado para a moagem de bombonas até 30 litros.

SICCUS

O visitante poderá conferir nesse estande peneiras vibratórias para a separação de pós e grãos, secadores, desumidificadores e cristalizadores de flakes. A linha Compact de secadores e desumidificadores, com capacidade para 50 kg/h, oferece equipamentos para extrair a umidade dos grãos por meio de ciclo fechado, propiciando filtragem do ar carregado com umidade, para reaproveitamento após desumidificação. Um inédito sistema de flutuação e atrito propicia a secagem e a desumidificação dos grãos por inteiro, em todos os lados. A linha de secadores, desumidificadores e cristalizadores de flakes de PET oferece equipamento inédito que extrai a umidade e cristaliza o flake do PET, operando à capacidade de 500 kg/h, e conservando as propriedades do material com baixo consumo de energia.

TERMOCOLOR

A diversidade de masterbatches, compostos e aditivos e os serviços de beneficiamento de PP, PS, ABS e PE estarão sendo destacados nesse estande, ocupado por uma das maiores fabricantes nacionais do segmento. Atualmente, com capacidade produtiva de 30 mil toneladas/ano, a empresa está investindo na instalação de nova extrusora dupla-rosca co-rotante, da marca Coperion, com capacidade para 7.200 toneladas/ano, mantendo em constante processo de atualização tecnológica seu parque fabril de Diadema-SP. Atuando em todo o território nacional, conta com cem funcionários e com equipe de doze profissionais especialistas em aplicações, preparados para contribuir para o sucesso dos negócios empreendidos pelos seus clientes.  Fundada em 1984, a empresa está completando 23 anos de atividades dedicadas ao desenvolvimento desse segmento.

Plástico Moderno, Plastech - Feira acontece em meio à reestruturação da petroquímica
Nova injetora Euromaq opera em ciclo rápido

TSONG CHERNG

Presente no mercado brasileiro há quinze anos e com fábrica há sete anos, a empresa irá destacar na Plastech Brasil sua mais nova linha de máquinas injetoras da série Euromaq, e levará à exposição máquina para operar em ciclo rápido, provida de sistema Three Loop. Trata-se de sistema que oferece simultaneidade nos movimentos de abertura, extração e dosagem, e que conta com acumulador de nitrogênio no sistema de injeção, para torná-la ultra-rápida. Fabricada com tecnologia de Taiwan, a série Euromaq foi concebida em modelos acima de 125 toneladas de força de fechamento (E-125), alcançando até 2.300 toneladas no modelo E-2300.

Os modelos vêm acompanhados por itens de série, como funil secador, sapatas antivibratórias, garras de fixação dos moldes, distribuidor de água para os moldes, suporte de talha, válvula de macho lateral, válvula de extração pneumática e caixa com ferramentas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios