Feiras e Eventos

Plastech 2015 – Prévia: Feira na Serra Gaúcha atrai visitantes com elevada qualificação

Antonio Carlos Santomauro
9 de outubro de 2015
    -(reset)+

    A HXF, diz Pavan, apresenta alto desempenho e grande economia de energia, adequando-se bem a aplicações como produção de brinquedos, pré-forma de PET, utilidades domésticas, produtos com paredes finas, produtos em PP/PL, além de PS, PC, conexões em PVC e materiais de engenharia, entre outros. “E na Plastech ela estará utilizando um inversor de frequência que proporciona economia de energia de até 35% em comparação com injetoras de bomba fixa”, ressalta.

    Pavan crê que, apesar da situação econômica adversa, haverá geração de negócios durante a Plastech. “A situação está difícil para essa indústria, mas algumas empresas vêm adquirindo novas máquinas e há muitos retrofittings (atualizações) de equipamentos”, ressalta. “Mas estaremos lá também para manter e fidelizar clientes.”

    Plástico Moderno, Elisangela: novos aditivos para melhorar produtos finais

    Elisangela: novos aditivos para melhorar produtos finais

    A possibilidade de fidelização e de relacionamento, aliás, constitui o atrativo principal da Plastech, como observa Elisangela Melo, gerente de vendas da indústria de masterbatches e aditivos Cromex, que exibirá sua vasta gama de produtos e serviços, inclusive com lançamentos, a exemplo de um aditivo redutor de odor para compostos e resinas olefínicas – indicado para produtos injetados e extrudados feitos com resina reciclada e recuperada –, um masterbatch preto superblack, e a linha de masterbatches líquidos Dispermix. Simultaneamente, a Cromex realçará a linha Microcolor, de compostos coloridos e aditivos customizados para rotomoldagem.

    Na opinião de Elisangela, mesmo na complexa conjuntura na qual atua hoje a indústria do plástico, a Plastech se mantém como evento relevante para o setor. “Sempre há um público expressivo e qualificado, e isso deve se manter neste ano”, comenta. Mas, se o investimento nesse evento foi mantido, as metas da Cromex para o decorrer de 2015 precisaram ser reconsideradas: “Esperávamos no início do ano um crescimento na casa de dois dígitos, mas agora estimamos uma expansão de aproximadamente 3%”, revela a gerente de vendas da empresa.

    Plástico Moderno, Gonçalves: mercado plástico apresenta fraco desempenho

    Gonçalves: mercado plástico apresenta fraco desempenho

    Laércio Gonçalves, diretor da distribuidora Activas, não apresenta índices, mas também fala em revisão das metas: “O momento é de crise para o mercado plástico e, consequentemente, para a Activas e isso faz com que nossas metas e previsões tenham de ser readequadas para a nova situação”, justificou. “Tivemos queda no mercado a partir do final de abril deste ano e há previsões de que essa crise perdurará por mais alguns meses; muitas empresas têm sinalizado queda em seu faturamento mensal, e isso influencia diretamente o seu volume de compra”, acrescenta.

    A Activas incluirá, entre as novidades de seu estande, um grade do copoliéster Tritan, da Eastman: o MXF 121, destinado ao segmento médico-hospitalar. “É um material mais opaco, com excelente resistência química e ao impacto, além de propriedades retardantes de chamas e compatibilidade com iniciativas sustentáveis”, diz Gonçalves.

    Outro destaque do estande da Activas será um agente de purga da linha Lusin, da Chem-Trend: “É um material excelente para limpeza de máquinas injetoras e extrusoras, que além de facilitar o processo de troca de cor reduz seu tempo, e ainda contribui para a manutenção dos equipamentos, trazendo significativa redução nos custos”, afirma o diretor da empresa.

    Expectativas e novidades – Num cenário no qual as próprias empresas participantes da Plastech buscam traduzir em valores mais modestos suas metas e seus objetivos comerciais, obviamente não é tarefa simples produzir prognósticos precisos sobre o potencial de geração de negócios do evento. Em 2013, segundo informações dos organizadores, foi gerado um volume de negócios fechados na feira ou no prazo máximo dos doze meses seguintes superior a R$ 173 milhões. “Com certeza serão estabelecidos negócios, mas não dá para dizer se eles serão concretizados durante o próprio evento, ou nos três, seis, ou oito meses posteriores”, observa a coordenadora Célia Marin.

    Plástico Moderno, Em 2013, Marin distribuiu bancos reciclados na feira para crianças

    Em 2013, Marin distribuiu bancos reciclados na feira para crianças

    Já Orlando Marin, presidente da feira e diretor do Simplás (Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho, entidade promotora do evento), argumenta que, até por precisarem atualmente se esforçar bastante para conseguir vendas, as empresas participantes trabalharão com preços bastante competitivos e isso o amplia o potencial de negócios do evento. “Deve-se, também, lembrar que a crise passará e logo haverá gente interessada em investir”, enfatiza.

    Além disso, prossegue Marin, se não ampliou a quantidade de expositores, a feira expandiu seu alcance e repercussão com novidades como o Fórum Plastech Brasil, programação paralela composta por debates e ações de capacitação pertinentes ao setor, focada em temas como tendências em materiais; aplicações e processos em compósitos e borrachas sustentáveis; novidades de programas como Inovar-Auto e PICPlast (Plano de Incentivo à Cadeia do Plástico); benefícios da reciclagem; combinação entre plástico, moda e estilo, entre outros.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *