Periféricos Refrigeração – Concorrência acirrada gera equipamentos mais produtivos, econômicos e até de custo menor

Os fabricantes de unidades de água gelada sentiram os efeitos da crise, agravada nos últimos meses de 2008. As vendas caíram, estabilizaram em patamares aquém do estimado e, embora já dêem sinais de recuperação, sinalizam

Plástico Modeerno, Periféricos Refrigeração - Concorrência acirrada gera equipamentos mais produtivos, econômicos e até de custo menor
Novo conceito em chiller agrega peças de última geração

o forte acirramento da concorrência no mercado local. Tal cenário moldou a participação do setor na Brasilplast 2009. Empenhadas em oferecer equipamentos mais produtivos, econômicos e, em alguns casos, com custo reduzido, as indústrias do setor trouxeram novidades para a feira. O transformador, com fôlego para investir em tempos de crise, certamente fez ou fará bons negóciosA Mecalor, de São Paulo, investe 10% de sua receita em desenvolvimentos. Na Brasilplast, expôs oito equipamentos, além dos 40 que estavam em operação em estandes de fabricantes de injetoras e extrusoras e que puderam ser avaliados na prática. Além das novidades que já estão no mercado, a empresa arriscou uma previsão do futuro e expôs um chiller digital. “Trata-se de máquina conceito que uniu todos os recursos mais modernos e eficientes, incluindo compressor digital importado dos Estados Unidos e bomba dinamarquesa”, explicou o diretor, János Szegö. Custa 50% mais em relação aos equipamentos convencionais. Porém, segundo Szegö, garante redução de 30% no consumo de energia elétrica, além de ganhos relativos à durabilidade, precisão, entre outros.

Plástico Moderno, Periféricos Refrigeração - Concorrência acirrada gera equipamentos mais produtivos, econômicos e até de custo menor
Novo refrigerador consome 30% menos energia, além de proporcionar muitos outros benefícios, disse Szegö

Entre os lançamentos, Szegö destacou também a unidade de ar frio (UAF) para extrusão de filmes que substitui a dobradinha chiller/ trocador de calor em algumas aplicações. A Mecalor recomenda a UAF para uso individual em extrusoras de médio e grande porte, com produção acima de 150 kg/h. “É mais econômica, ocupa menos espaço e assegura controle mais preciso da temperatura do ar do anel e do internal bubble cooling”, explicou. Citou ainda a estabilidade da temperatura e a facilidade de manutenção e operação. “Significativos ganhos de produtividade podem ser obtidos, além das melhorias na qualidade do filme produzido.”

Para grupos de extrusoras de pequeno porte, Szegö recomendou um chiller para atender toda a linha e trocador de calor independente para cada extrusora. A empresa apresentou também o termochiller Duo, com dois fluxos independentes de água, permitindo aquecimento e refrigeração. “Possui gabinete compacto, facilitando a instalação ao lado da injetora, e dispensa rede de água gelada.”

A Mecalor apresentou ainda torre de resfriamento de água de corrente cruzada, cuja principal vantagem se refere à redução das perdas de águas controláveis. “A necessidade de reposição e de tratamento de água é significativamente reduzida”, diz Szegö. De acordo com o fabricante, o equipamento possui concepção inovadora no trocador de calor e sistema de umidificação exclusivo. A Megacal, de Mairiporã-SP, apresentou sua linha de unidades de água gelada, termomisturadores, aquecedores de moldes, torres de resfriamento, além de seus serviços para instalações industriais específicas, projetadas de acordo com as necessidades dos clientes. As unidades de água gelada com condensação a ar ou a água operam em circuito fechado, com ajustes de temperaturas de 5°C a 25°C, e opcional de -30°C, com uso de agente anticongelante.

A linha Econômica tem painel frontal com controlador microprocessado e tubulação de PVC e garante, segundo o fabricante, redução de custos com alto desempenho e produtividade. A linha Plus tem CLP, botão de emergência e diagnóstico de operação e falhas com alarme sonoro e visual. Ambos são compactos e fáceis de instalar, cujas capacidades variam de mil a 240 mil kcal/h, de acordo com informações divulgadas pela empresa. Atuando desde 1977 no mercado de refrigeração, a Refriac, de Santo André-SP, também marcou presença na Brasilplast com sua linha de chillers, unidades de água gelada, termorreguladores, secadores e resfriadores de ar e dry coolers. Equipados com compressores herméticos sroll ou semi-herméticos, os chillers garantem a capacidade requerida à temperatura de 8°C e podem atender na faixa entre -40°C a 25°C. As unidades de água gelada a ar ou água operam na mesma faixa de temperatura, com capacidades desde 5 mil a 180 mil kcal/h. Reguladas a 15°C, as capacidades alcançam até 230 mil kcal/h.

De cara nova – No final de agosto, a Refrisat, de Guarulhos-SP, iniciou o processo de reformulação de toda a linha de equipamentos. O resultado pôde ser conferido na Brasilplast. Além de ganhar novo design, mais moderno, compacto e com linhas arredondadas, os sistemas de água gelada e os termorreguladores ficaram mais econômicos, produtivos e eficientes, segundo o fabricante.

Plástico Moderno, Rafael Kenji Saito, supervisor de marketing, Periféricos Refrigeração - Concorrência acirrada gera equipamentos mais produtivos, econômicos e até de custo menor
Kenji repassou aos clientes a redução obtida nos custos produtivos dos equipamentos

Outra iniciativa adotada foi a terceirização da produção do gabinete, a fim de reduzir custos e, consequentemente, o preço final dos equipamentos. Objetivos alcançados, de acordo com informações do supervisor de marketing, Rafael Kenji Saito. “O custo com a produção do gabinete caiu entre 6% e 7%, benefício que foi repassado para o cliente final”, garantiu, sem citar outros índices. A estratégia ampliou também a produtividade da fábrica. “A montagem do gabinete ocupava 40% da produção. Hoje focamos a operação interna na montagem do equipamento.” Tais iniciativas visam a reposicionar a marca no mercado, ampliando a participação com a entrada em novos nichos de aplicação. A Refrisat fabrica sistemas de água gelada com condensação a ar e a água, cujas capacidades variam de 5 mil a 480 mil kcal/h. Entre as principais características, citou o circuito hidráulico principal construído com material isento de corrosão e isolado termicamente, CLP universal, estabilidade da temperatura e a facilidade de manutenção e operação. A Refrisat apresentou também o termorregulador quente/frio, com sistema de refrigeração e aquecimento em gabinete único, para dois pontos de consumo com temperaturas diferentes. “Utiliza água como meio circulante e possui duas saídas com temperaturas controladas de 5°C a 25°C e de 5°C a 90°C.”

Plástico Moderno, Periféricos Refrigeração - Concorrência acirrada gera equipamentos mais produtivos, econômicos e até de custo menor
Novo modelo de água gelada tem capacidade dobrada

Saito destacou ainda o lançamento do aparelho gerador de ar frio (RA). “Aumenta em 30% a produtividade na extrusão de filme tubular, com preciso controle da temperatura.” Opera por sistema de refrigeração direta por meio de gás refrigerante. “A temperatura é controlada e estabilizada no fluxo de ar frio com excelente precisão, melhorando a transparência, o brilho e as características dimensionais do filme.”

A Tecnos, por sua vez, optou por controlar internamente toda a produção das unidades de água gelada. A antiga fábrica, distribuída em quatro prédios com 3,5 mil m², foi substituída por sede própria com 8 mil m², em Limeira-SP. Os investimentos contemplaram ainda novos equipamentos de corte a laser e cabine de pintura, entre outros.

Na Brasilplast, divulgou a ampliação da linha de unidades de água gelada, com condensação a ar e a água, que passou a contar com modelo para até 240 mil kcal/hora. “O dobro da capacidade anterior”, explicou o diretor-comercial Daniel Izu. Dentre as vantagens, citou também a facilidade de manutenção e operação, dois circuitos independentes de refrigeração, gabinete montado sobre rodízios e reservatório interno para operar em circuito fechado.

Os investimentos contemplam ainda outras operações da companhia que, além de fabricar as unidades controladoras de água gelada, distribui e representa outras marcas do setor de plástico, como a linha de resfriadores e a de aquecimento de água da italiana Frigel Firenze, as injetoras Engel e os equipamentos auxiliares de processo da Moretto. Após a associação com a Virginio Nastri, também da Itália, iniciou a fabricação local de esteiras de aço carbono na unidade de Limeira-SP.

A Körper, de Jundiaí-SP, apresentou sua primeira unidade de água gelada na Brasilplast. Há 23 anos no mercado de resfriamento de água e ventilação, a empresa lançou os equipamentos com condensação a ar ou a água, com capacidades entre 5 mil e 120 mil kcal/hora e ajustes de temperatura de 5°C a 20°C.

Antes da feira, no entanto, o equipamento passou por período de teste. A primeira unidade foi instalada em indústria de calçados, equipando uma injetora. “Comprovou sua eficiência na prática”, afirmou o engenheiro Roger Camargo, responsável pela gerência de aplicações especiais.

Segundo ele, o modelo possui controle eletrônico microprocessado com diagnóstico de operações e falhas, ajuste automático de capacidade e compressores scroll, entre outras características.
Na avaliação  de Camargo, um dos pontos fortes da Körper é a parceria com fabricantes de equipamentos de injeção e sopro. “Com a nova linha ampliamos a participação no mercado nacional. A estratégia é diversificar”, afirmou.

Entre as novidades apresentadas, destacou ainda as torres de resfriamento de água, séries SQ e SQB. Ambas, segundo o fabricante, garantem baixo consumo energético; facilidade de montagem, manutenção e limpeza; estrutura compacta; elevada resistência à corrosão e baixo nível de ruído; variando apenas as capacidades e aplicações finais.

Apresentou também a unidade controladora de temperatura para fornecimento contínuo de água em circuito fechado entre 10°C e 90°C em modelo estandarte ou até 130°C como opcional. “Possui controle microprocessado com diagnóstico de operações e falhas no painel central, reposição automática de água, tubulação e bomba não oxidáveis, entre outros benefícios.”

Mercado – Com a diversificação na linha de produtos, a Körper previa ampliar as vendas em 40% em 2009. “Crescemos 23% no ano anterior, e as expectativas eram muito favoráveis antes da crise.” Embora as previsões sejam menos otimistas, Camargo acredita que deve encerrar o ano com índices superiores aos registrados em 2008. O mercado já começou a reagir.

Dessa opinião compartilha o vice-presidente da Piovan, Ricardo Prado Santos. “Enfrentamos uma queda de investimentos nos primeiros meses de 2009. Recentemente, após a Brasilplast, notamos um aumento de demanda, em parte graças a uma melhora de mercado e em parte por causa do sucesso de alguns desenvolvimentos novos e de soluções que oferecemos no mercado”, afirmou. A meta da Piovan é alcançar resultado semelhante ao de 2008. “Por isso, continuamos investindo muito no desenvolvimento de novos produtos, aplicações e nas pessoas do nosso time da América Latina.”

Na avaliação de Santos, a participação na feira superou todas as expectativas. “O número de visitantes foi igual ou até maior quando comparado ao da última edição. Apesar de enfrentarmos um mercado menos aquecido, estamos bastante otimistas com os negócios gerados durante a exposição.”

A Piovan apresentou na Brasilplast uma área dedicada a soluções para refrigeração que incluía três lançamentos. De acordo com o fabricante, o Dry Cooler, para resfriamento de água industrial em circuito fechado, oferece uma série de vantagens, que garantem temperaturas constantes, sem desperdício de água e baixos custos operacionais de maneira sustentável. “Utiliza ventiladores de baixo consumo energético, sistema de pulverização inteligente sem desperdícios, construção modular de aço inox, e muitos outros benefícios.”

O segundo lançamento, o termocontrolador para resfriamento e aquecimento da água de processo, tem duplo circuito em um único gabinete e temperaturas independentes. “Foi projetado para diminuir o consumo de energia e reduzir custos de investimento, pois seu sistema proporciona o melhor reaproveitamento de energia entre os circuitos de aquecimento e resfriamento”, afirmou Santos.

Plástico Moderno, Periféricos Refrigeração - Concorrência acirrada gera equipamentos mais produtivos, econômicos e até de custo menor
Novo equipamento não desperdiça água e mantém a temperatura

Lançou ainda os trocadores de calor da linha TCP, exclusivos para aplicações específicas na área de extrusão de filmes, cujo principal apelo de vendas é o aumento de até 20% na produtividade. “Proporcionam maior estabilidade do balão, independentemente da temperatura ambiente, aumentando produtividade e qualidade”, justificou Santos. Construídos de aço inox, ocupam menos espaço graças à montagem modular. “A bandeja de condensado é isolada, evitando condensação externa. Esta gama vai até o modelo 800 com vazão máxima de ar de 8 mil m3/h.”

A Piovan possui fábricas no Brasil, Itália, China e Estados Unidos. No Brasil, oferece equipamentos para armazenamento, transporte, alimentação, secagem, dosagem, moagem e controladores de temperatura, além de linha completa para refrigeração industrial, garantindo soluções para os mais diversos processos de transformação de plásticos. “No caso específico da linha de refrigeração industrial, produzimos no Brasil unidades independentes de água gelada, sistemas especiais de refrigeração, dry coolers, termocontroladores para processos de injeção, sopro, extrusão e termoformagem, trocadores de calor para extrusão de filmes balão e sistemas geradores de ar seco, para evitar condensação em moldes.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios