Periféricos – novos equipamentos embutem mais precisão e operam com menor consumo energético

Gravimétricos com tecnologia alemã – Os dosadores gravimétricos fabricados pela iNOEX, representada pela By Engenharia no mercado brasileiro, apresentam tecnologia diferenciada e podem comportar até seis componentes, um principal e cinco secundários, sendo considerados “totalmente diferentes da maior parte dos dosadores fornecidos no mercado atualmente”, afirmou Flávio Gianesi, diretor da By Engenharia.

“Cada componente (resina, masterbatch, material reciclado etc.) é colocado em um funil e cada funil conta com uma célula de carga para controlar precisamente a quantidade de material que está alimentando a extrusora. O componente principal sempre cai por gravidade e os componentes secundários são dosados lateralmente através de roscas dosadoras. A velocidade das roscas é comandada pela célula de carga do componente principal que, a todo momento, registra a quantidade do material principal que está entrando na extrusora”, informou Gianesi. Esse conceito permite que a receita do produto final seja sempre precisa, envolvendo, por exemplo, 80% do componente principal, 17% de reciclado e 3% de masterbatch.

Além da precisão na receita dos produtos finais, os equipamentos fabricados pela Inoex oferecem mais alguns controles, podendo ser utilizados para tubos, fios e cabos, perfis, filmes, chapas etc.

Os controles disponíveis dependem da aplicação final. Para tubos, normalmente, de acordo com Gianesi, controlase o puxador para manter o peso por metro constante e, consequentemente, o produto final mais uniforme. “Através da célula de carga sabemos, a todo momento, quanto material está caindo na extrusora e isso sempre varia em função da densidade aparente dos materiais. Portanto, se a velocidade do puxador for constante, o peso por metro do tubo variará muito e o produto final não será uniforme. Sendo assim, a Inoex controla a velocidade do puxador, acelerando ou diminuindo a velocidade quando necessário, para manter o peso por metro constante e o produto final mais uniforme, possibilitando a economia de material.”

Para as demais aplicações, o controle normalmente é feito através da rosca da extrusora. “O sistema Inoex acelera ou diminui a velocidade da rosca da extrusora para manter a produção da extrusora (kg/h) sempre constante. Sendo assim, com a produção (kg/h) constante e a velocidade da linha constante, temos produtos finais mais uniformes”, concluiu.

 

Página anterior 1 2 3 4 5 6

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios