O EPS e a sustentabilidade – Plastivida

Passados períodos tão duros de pandemia, com o fechamento das instituições e o isolamento das pessoas, estamos aos poucos retomando o trabalho voltado à Educação Ambiental ligada ao poliestireno expandido (EPS), conhecido pela marca registrada Isopor®.

O Comitê de EPS da Plastivida, composto por oito empresas, iniciou o ano com otimismo frente à retomada das atividades voltadas à sustentabilidade.

Um dos motivos desse otimismo vem do anúncio do Governo Federal, por meio dos ministérios do Meio Ambiente (MMA) e da Economia (ME), sobre o lançamento do Certificado de Crédito de Reciclagem, o Recicla+, que visa a proporcionar injeção de investimentos privados na reciclagem de produtos e embalagens descartados pelo consumidor.

Da mesma forma, o lançamento do Plano Nacional de Resíduos Sólidos (Planares), que apresenta caminhos para se alcançar os objetivos da Política Nacional de Resíduos Sólidos, instituída pela Lei n° 12.305, de 2010, que englobam o encerramento de todos os lixões e o aumento da recuperação de resíduos para cerca de 50% em 20 anos.

Se já vínhamos avançando substancialmente no trabalho de disseminação da informação sobre a qualidade técnica do EPS em aplicações diversas e sobre a importância de sua coleta seletiva e reciclagem, hoje esperamos ampliar ainda mais o alcance dessas informações, assim como a efetiva coleta e reciclagem do EPS pelo Brasil.

O Comitê de EPS tem trabalhado para mapear e ampliar os pontos de coleta específicos do EPS, assim como os pontos de processamento, nos quais estão sendo instaladas prensas que cumprem uma primeira etapa da reciclagem do EPS, ou seja, faz a compactação do produto para que o transporte seja otimizado, assim como o processamento.

Hoje, contamos com mais de 300 pontos de entrega voluntária (PEV) exclusivos para o EPS pelo Brasil, mais de 50 máquinas e prensas compactadoras de EPS e mais de 60 pontos de processamento desse material para a reciclagem.

O EPS e a sustentabilidade - Plastivida ©QD Foto: Divulgação
Ivam Michaltchuk é conselheiro e coordenador do Comitê de EPS da Plastivida

Além da ampliação do número de PEV para o EPS e dos pontos de processamento, o Comitê de EPS a Plastivida também investe constantemente em Educação Ambiental, desde a capacitação do próprio catador (beneficiamos, diretamente, mais de 3 mil catadores até o momento), para a coleta específica desse material, quanto da população, com trabalhos em inúmeras escolas e em comunidades de todo o País.

Com todo esse cenário, é gratificante poder atender às necessidades de bem estar, higiene, praticidade e custo-benefício que os produtos de EPS oferecem e, ainda, poder contribuir para o avanço do conceito de Economia Circular, tão importante a sociedade e para o meio ambiente.

O aumento de ações que sejam efetivamente sustentáveis demanda de responsabilidade coletiva. Não se trata de solução mágica e sim de uma transformação perene de costumes e de processos que passa pelas mãos de cada um de nós.

Ivam Michaltchuk é conselheiro e coordenador do Comitê de EPS da Plastivida. É administrador de empresas com MBA em gestão global, pós-graduado em gestão ambiental, técnico em embalagens rígidas e flexíveis, coordenador nacional do Movimento Viramais, gestor de projetos da Meiwa Embalagens, professor, educador ambiental e diretor da MSI Treinamentos.

O EPS e a sustentabilidade - Plastivida ©QD Foto: Divulgação

PLASTIVIDA

Plastivida – Desde a sua invenção, os plásticos são um avanço para a sociedade. Mas além das suas funções e vantagens inquestionáveis, estamos aqui para iniciar uma nova fase da relação dos plásticos com a sociedade. Uma relação mais racional no consumo e mais responsável no descarte; para o nosso bem e o bem do planeta.
Mais informações: http://www.plastivida.org.br/

Leia Mais:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios