Mini Injetora? O equipamento opera com sistema de pistão, assegurando economia de material e é capaz de injetar quantidades mínimas

mini injetora Haake MiniJet

A Polimate anuncia o lançamento da mini injetora Haake MiniJet, de sua representada Thermo Electron, especialmente desenhada para permitir o preparo rápido e fácil de corpos-de- prova, com tempo, esforço e consumo de material reduzidos.

O equipamento opera com sistema de pistão, assegurando economia de material e é capaz de injetar quantidades mínimas, cerca de 5 g, para a produção de diferentes tipos de corpos-de-prova.

Segundo informa a Polimate, o consumo de material pode ser reduzido drasticamente em comparação com unidades convencionais de injeção.

O ganho é possível graças ao volume reduzido do cilindro e transporte quase completo do material ao molde. Injeta com pressão de até 1.200 bar, possibilitando processar materiais de alta viscosidade.

O equipamento possui desenho vertical, fácil alimentação para pós ou pellets no cilindro e projeto simples para troca de molde.

Além disso, assegura uma preparação consistente e reprodutível dos corpos-de-prova graças ao controle microprocessado.

É possível controlar e monitorar todos os parâmetros de processamento, tais como: temperatura (cilindro e molde separados), pressão, duração da injeção e pressão pós-injeção.

Além da Mini Injetora: a nova Mini Extrusora Haake MiniLab, do mesmo fabricante, destinada a operações com pequenos volumes de amostras (cerca de 7 cc).

Segundo o representante brasileiro, o equipamento dispõe de alta tecnologia e é ideal para processar materiais de alto valor agregado, tais como nanocompósitos ou biopolímeros.

O sistema é baseado em uma extrusora cônica de rosca dupla com canal de retorno integrado. Graças a esse canal e à válvula integrada de bypass, que possibilitam a recirculação do fundido, o tempo de residência pode ser bem definido.

O canal de retorno possui integrados dois sensores de pressão que proporcionam a medição simultânea da viscosidade (relativa).

A mini extrusora oferece dupla opção de operação: co ou contra-rotante.

Dispõe, ainda, de tela de cristal líquido para display digital e gráfico e pode ser controlada manualmente ou por software.

A empresa disponibiliza dois tipos de alimentadores.

Um sistema pneumático acompanha o instrumento como padrão, mas é possível adquirir alimentador forçado como opcional. Para o caso de testes com materiais sensíveis, o fabricante oferece a purga com gás inerte. Também é possível acoplar uma matriz de fita ou redonda para a produção de pequenas fitas.

Multinacional inaugura em São Paulo laboratório para insumos de PA e PU

Transformação ganha laboratório de aplicações

Feiplastic 2013 – Vitrine Feiplastic 2013

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios