Notícias

Notícias – Mercado reage e aquece os negócios no sul do país

Fernando C. de Castro
16 de agosto de 2010
    -(reset)+

    Entretanto, se a contagem é feita da base de Caxias do Sul, a segmentação é diferente. Predomina a transformação de peças técnicas e a injeção corresponde a 58%. A extrusão consome 27% das resinas e a termoformagem, outros 11%. Os quatro por cento restantes se dividem em sopro, fibras, acrílicos, spray-out, e rotomoldagem, sendo que 20% das empresas que possuem processos de transformação do plástico promovem mais de um tipo de processo.

    O Paraná representa cerca de 8% a 10% do segmento plástico brasileiro, com faturamento de R$ 3,2 bilhões, empregando 18 mil funcionários, transformando mais de 300 mil toneladas por ano de resina termoplástica, compreendendo 600 empresas ao todo. No Paraná, a produção de peças e componentes para a indústria automotiva corresponde a 20% das resinas transformadas.

    A extrusão de filmes perfaz 27% e a ráfia empregada em embalagens de grãos consome 10%. A injeção de utilidades domésticas e bombonas outros 10%. O sopro de embalagens rígidas das mais variadas aplicações fica com 12%. No Paraná, são mil empresas que venderam R$ 7,2 bilhões em 2009 e geraram 26 mil empregos diretos.

    Fabricante amplia família de borrachas de EPDM

    A família de elastômeros baseados em EPDM (etileno-propileno-dieno) comercializada pela Dow sob a marca Nordel ganhou um novo componente: o grade 4785HM, sucessor dos polímeros de fase gasosa para aplicações de extrusão densa. Segundo a fabricante, trata-se de um polímero com alto teor de etileno e elevado peso molecular, desenhado para otimizar os custos do transformador.

    A Dow partiu das características tecnológicas diferenciadas presentes no grade Nordel IP para formular o novo produto e oferecer melhor capacidade de carga, maior velocidade de cura e resistência mecânica pós-moldagem, mantendo a capacidade de combinação e as propriedades do material sob temperaturas baixas.

    Embora seja indicado especialmente para moldagem de peças rígidas destinadas ao segmento automotivo, o grade 4785HM também pode ser usado em mangueiras, perfis para construção, telhados e peças em geral. Em todas as aplicações, o novo produto comporta níveis de carga e óleo elevados ao nível de um polímero com viscosidade 60-70 Mooney, a fim de oferecer a melhor relação custo/eficiência.

    De acordo com o fabricante, um diferencial desse novo membro da família fica por conta da sua distribuição de peso molecular, que oferece rápida velocidade de cura e de extrusão, além de uma ótima retenção de formato, especialmente em compostos com altos níveis de preenchimento.

    A Dow assegura para a sua linha Nordel baixíssimo conteúdo de géis. Todos os produtos da família informam a especificação do gel de acordo com o Certificado de Análise, garantindo produtos finais com a qualidade exigida. As especificações desses elastômeros, assegura seu produtor, estão entre as mais exigentes da indústria, o que permite reduzir a variação do produto final e o nível de refugo.

    Maria A. de Sino Reto

     

    Leia a reportagem principal:

    Saiba mais:



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *