Notícias

18 de dezembro de 2017

Notícias: Desafio de design estimula uso criativo dos plásticos

Mais artigos por »
Publicado por: Antonio Carlos Santomauro
+(reset)-
Compartilhe esta página

    Peças plásticas para piso, parede flutuante e revestimento, capazes de combinar sofisticação com custo acessível: essa é a tarefa proposta para os concorrentes da quinta edição do Desafio de Design Odebrecht Braskem, do qual participam estudantes de design e arquitetura de sete instituições de ensino superior de São Paulo. O vencedor será anunciado em dezembro, e seu trabalho poderá ser produzido e comercializado pela empresa Atex (que desenvolve produtos com resinas da Braskem). O dia a dia dos participantes – que durante dois meses passarão por um programa de capacitação em um ateliê de design –, será exibido em mídias digitais, como o YouTube.

    Representantes das principais unidades de negócios da Braskem compareceram ao lançamento do desafio, entre eles, Marcelo Neves, engenheiro de aplicação de polietilenos da empresa, que nota, entre os fabricantes de embalagens para produtos de higiene pessoal, crescente interesse por resinas nas quais a performance mecânica e a funcionalidade das embalagens possam ser associadas a atributos percebidos sensorialmente, como brilho e maciez, entre outros. A Braskem tem suprido essa demanda com produtos como a resina Rigeo Lumios, lançada em 2016. “Essa resina permite produzir embalagens sopradas multicamadas com incremento em brilho superior ao PEAD convencional”, destaca Neves.

    Por sua vez, as embalagens flexíveis para empacotamento automático de cereais – atualmente, quase todas confeccionadas com filmes laminados de PE –, requerem contínua redução de resina em sua confecção e são cada vez mais finas: embalagens de 5 kg, há alguns anos produzidas com média de 80 micrômetros de espessura, dependendo do tipo de equipamento e produto empacotado podem agora ter apenas 60 micrômetros. A resina Flexus9212XP, da Braskem, segundo Neves, alia essa possibilidade ao excelente rendimento no empacotamento e coeficiente de fricção estável, que possibilita altas velocidades e menor número de paradas.

    Também presente no lançamento do Desafio de Design, Monica Evangelista, responsável pelo desenvolvimento de mercado de polipropileno da Braskem, lembra que a legislação da cidade de São Paulo favorece a criação das “paredes verdes” (como são chamados os jardins verticais posicionados nas laterais de edifícios). Atenta a esse movimento, em parceria com as empresas Vertigarden e Cartonale, a Braskem desenvolveu uma estrutura de parede verde em PP.

    Comparativamente ao alumínio tradicionalmente utilizado nessa aplicação, o PP tem vantagens como maior leveza, transporte mais fácil, menor custo e alta proteção anti-UV. “Também propicia maior durabilidade, mais uniformidade e padronização do produto, com melhor acabamento, e permite a instalação em paredes curvas sem perder rigidez e qualidade”, complementa.



    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *