Máquinas e Equipamentos

Notícias: Bloco para sopradora de PET assegura maior produtividade

Jose Paulo Sant Anna
10 de julho de 2013
    -(reset)+

    O Brasil é um dos maiores consumidores mundiais de refrigerantes. Para os especialistas do ramo, a realização da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos, eventos esportivos que serão realizados no país nos próximos anos, deve aumentar ainda mais o consumo dessas bebidas. Para os fabricantes de embalagens, a notícia é alvissareira.

    De olho na expansão do mercado, a multinacional Norgren, especializada em tecnologias de automação e controle de fluxos, quer fortalecer por aqui a venda de blocos para sopradoras de garrafas PET. Produto lançado na Europa há cinco anos e ainda pouco utilizado no Brasil, esses blocos são fabricados na Suíça. Instalados nas máquinas, garantem maior produtividade do que as soluções hoje adotadas no país. A empresa já fornece os dispositivos preferidos por aqui para os principais fabricantes nacionais do equipamento, entre eles Romi e Pavan Zanetti.

    Química e Derivados, Noal: o custo/benefício compensa

    Noal: o custo/benefício compensa

    Renato Noal, gerente de engenharia, explica a função desses blocos. Ele lembra que o sopro do PET pode ser realizado em máquinas rotativas ou lineares. No Brasil, os transformadores se utilizam das lineares, nas quais o ciclo de fabricação se desenvolve em três etapas. Na primeira, a máquina realiza o pré-sopro, quando ocorre o estiramento das pré-formas. Em seguida, é feito o sopro em si. Depois, as peças são submetidas à etapa de exaustão, na qual ficam em regime de alta pressão para adquirir o formato final.

    Hoje, para realizar essas três etapas, as sopradoras contam com circuitos pneumáticos montados em diferentes dispositivos. “Os nossos blocos concentram toda a estrutura necessária para realizar as três operações, com grande ganho de produtividade”, garante Saburo Aoki, diretor de engenharia e vendas da Norgren. De acordo com o executivo, eles permitem, em média, a redução de 15% dos ciclos. Em tempo: são indicados para a produção de garrafas de até cinco litros.

    Noal aponta ainda outras vantagens. “O bloco tem maior vida útil do que a solução atualmente adotada pela maioria dos transformadores brasileiros”, diz. Além disso, eles facilitam a manutenção. “Em caso de necessidade, a troca é muito rápida, o que evita a paralisação das linhas de produção.” Porém, é mais caro. “Mas o custo/benefício compensa seu uso”, diz o gerente.



    Recomendamos também:








    2 Comentários


    1. Maikon Santana

      Boa noite.
      Gostariamos de um entendimento melhor desse funcionamento. Se for eficiente para sopradoras rotativas temos interesse.


    2. Maikon Santana

      Boa noite.
      Trabalho na Leão Alimentos em Linhares ES, e fiquei bem interessado nesse bloco de sopro. Temos 03 Sopradoras hot fill e gostaríamos de entender este funcionamento, se for viável e eficiente gostaríamos de adquirir.



    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *