Últimas Mudanças na Legislação de Resíduos Impacta a Reciclagem

Navegando pelas últimas mudanças na legislação de resíduos - Legislação global muda e impacta a reciclagem

Legislação de Resíduos: A decisão da China de Proibir a Importação de Resíduos Sólidos

Outra lei de resíduos que entrou em vigor no início de 2021 é a proibição da China de importações de resíduos sólidos, incluindo plásticos, produtos de papel e têxteis.

A China tem sido um importante destino final para esses materiais nos últimos 40 anos, mas sua política de limitação de materiais recuperados importados começou em 2013 e a decisão mais recente de banir a importação de resíduos sólidos reflete o compromisso das autoridades chinesas em promover mais reciclagem de resíduos sólidos domésticos e reduzir a dependência do país das importações.

A decisão da China de proibir as importações de resíduos sólidos terá consequências de longo alcance para os gestores de resíduos que, até agora, dependiam da China como mercado final para seus materiais.

Este último movimento segue o apoio de outros países, incluindo Malásia, Tailândia e Índia, que tomam medidas para proibir a importação de resíduos plásticos e, em alguns países, a importação de papéis mistos.

Tal como acontece com as Emendas de Resíduos de Plástico da Convenção de Basileia, o não cumprimento da nova proibição de importação de resíduos sólidos da China pode resultar em multas pesadas tanto para o transportador de resíduos quanto para o importador, em valores entre entre RMB 500.000 (equivalente a aproximadamente US$ 71.000) e RMB 5 milhões (equivalente a aproximadamente US$ 710.000).

As autoridades aduaneiras também ordenarão que os resíduos sólidos sejam devolvidos ao local de exportação para eliminação.

Os gestores de resíduos que historicamente dependiam da exportação deste material para a China ou para outros países que agora também proibiram esses materiais agora terão que encontrar novos mercados finais para seus resíduos sólidos ou investir em tecnologia de seleção para atingir pureza excecionalmente alta que a China exige a fim de conceder uma licença de importação para resíduos sólidos.

Vejamos o exemplo de resíduos de produtos de papel. A China tem sido historicamente o maior mercado importador de aparas de papel do mundo, mas agora só concederá licenças de importação para aparas de papel com nível de pureza superior a 99,5%.

Isso significa que os gestores que desejam continuar exportando para a China terão que aumentar e investir em seus esforços de triagem, destintagem e reciclagem.

Isso pode ser obtido aproveitando-se dos avanços mais recentes em tecnologia baseada em sensores para reciclagem de papel para separar papéis de não-papéis e também produzir frações finais de alta pureza de diferentes tipos de papel, como papelão marrom, caixas impressas, caixas revestidas de plástico, papel tingido, papel de jornal e papel impresso em quatro cores (CMYK).

A seleção baseada em sensor pode permitir que os gestores de resíduos continuem exportando seu material para a China ou, se preferirem, encontrem rotas alternativas no país ou no exterior para comercializar, onde seu material terá um preço de mercado muito mais alto como resultado de seus níveis de pureza.

Europeus Proíbem o envio de Resíduos de Plástico Mistos

Coincidindo com a decisão da China de proibir todas as importações de resíduos sólidos, a Europa também está tomando outras medidas para resolver a questão da poluição do plástico, introduzindo novas regras de envio da UE que proíbem o envio de resíduos de plástico mistos para países estrangeiros.

No âmbito do Acordo Verde Europeu da Comissão Europeia, que entrou em vigor em 1º de janeiro de 2021, existem novas regras que regem a exportação, importação e transferência intra-UE de resíduos de plástico.

Essas novas regras proíbem a exportação de resíduos de plástico da UE para países não pertencentes à OCDE, exceto resíduos de plástico “limpos” que são enviados para reciclagem.

Como é o caso com as Emendas de Resíduos de Plástico da Convenção de Basileia e a proibição de importação de resíduos sólidos da China, essas regulamentações mais rígidas significam que os gestores de resíduos não serão mais capazes de exportar facilmente seus resíduos de plástico, a menos que possam gerar frações de plástico de único material com alta pureza.

Portanto, podemos ver, mais uma vez, onde a tecnologia de seleção baseada em sensores pode ajudar.

Um cenário legislativo em evolução

Os regulamentos que explorei neste artigo são apenas algumas das mudanças mais recentes que afetarão diretamente os gestores de resíduos. A próxima legislação significativa que deverá entrar em vigor durante 2021 em todos os estados membros da UE é a proibição de plásticos descartáveis.

Tom Eng, vice-presidente sênior e head da Tomra Recycling Plástico Moderno - Reciclagem - Navegando pelas últimas mudanças na legislação de resíduos ©QD Foto: Divulgação
Tom Eng, vice-presidente sênior e head da Tomra Recycling

Com uma base de clientes global, a Tomra Sorting monitora ativamente todas as mudanças legislativas, tanto em nível nacional quanto internacional.

Isso nos coloca em uma posição forte para apoiar nossos clientes à medida que essas mudanças acontecem.

Manter-nos informados sobre quaisquer mudanças a serem introduzidas nos permite adaptar nossa tecnologia e processos para garantir que sejam adequados para o propósito, à prova de futuro e, o mais importante, ajudem nossos clientes a prosperar em um mercado internacional desafiador e competitivo.

Texto: Tom Eng

Leia Mais:

 

 

Página anterior 1 2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios