Moldes – Ferramenteiros marcam presença institucional, mas aproveitam para divulgar a carteira de produtos

O executivo ressalta a participação da empresa no nicho de ferramentas de grande dimensão, muito usadas para produzir peças de automóveis e de eletrodomésticos de linha branca. “Nós conseguimos atender esse mercado porque contamos com equipamentos de usinagem de grande porte, que suportam peças de aço de até duas toneladas”, justifica. Como destaque, ele citou uma furadeira capaz de fazer furos de quatro a 32 milímetros de diâmetro e dois metros de profundidade. Além dos porta-moldes, a empresa também oferece vários componentes para ferramentas, como pinos e buchas.

Há 39 anos no mercado e com cerca de cem funcionários, a Três-S- é bastante conhecida como fornecedora de variados componentes, entre eles molas, punções, pinos, extratores e outros itens que equipam as matrizes. Na Brasilplast, a empresa reforçou para o mercado sua entrada no campo de porta-moldes, produto que passou a oferecer nos últimos meses. “É a primeira feira que participo na qual divulgamos esses produtos”, revela o gerente de vendas Alberto Onofre Reis.

A nova linha da empresa é formada por quatro tipos de porta-moldes: a série normal (com placas de 450 mm a 650 mm); a série com placas flutuantes (340 mm a 500 mm); a de injeção capilar (300 mm a 350 mm); e redondos (diâmetro de 270 mm). As novidades da Três-S- não pararam por aí. A empresa também lançou outros componentes, como novas linhas de bases de estampos e colares de esferas, além de buchas e placas deslizantes, estes dois últimos fabricados em aço e bronze enriquecidos com grafite.

Os produtos apontados como carros-chefe da Tecnoserv, empresa com cerca de 50 funcionários, são os porta-moldes e as câmaras quentes, oferecidos em vários tamanhos e combinações. A empresa também comercializa resistências elétricas para bicos e manifolds destinados à reposição de peças, itens que oferece no regime de pronta entrega.

Na Brasilplast, porém, a Tecnoserv também destacou dois lançamentos voltados para o universo dos moldes de injeção. Um deles é um pó químico que age como desmoldante. “Ele pode ser adicionado ao polímero que será transformado e facilita a retirada das peças do molde. O produto é atóxico e permite ao transformador trabalhar com menor pressão de extração”, revela Wilson Teixeira, gerente técnico da Tecnoserv.

Outra novidade ficou por conta do lançamento de placas de isolação térmica, que evitam a passagem de calor das máquinas injetoras para os moldes. “As placas apresentam planicidade de 0,01 mm por cada 100 mm e suportam pressão de 340 MPA a uma temperatura de 23ºC e de 120 MPA, quando estão a 200ºC”, informa Teixeira. Essas placas são importadas da Alemanha.

Muitos outros componentes puderam ser conferidos pelos visitantes. No campo das matérias-primas, ATP Aços, Böhler-Udeeholm e Villares Metals apresentaram várias alternativas de aços com características especiais para a manufatura de ferramentas. A Stäubli expôs um sistema de troca rápida de moldes com placas magnéticas que pode ser instalado em injetoras com capacidade entre 40 toneladas e 4 mil toneladas. A Husky mostrou suas câmaras quentes, agora projetadas e fabricadas no Brasil, que podem ser instaladas em matrizes de peças dos mais variados pesos e formas. Não faltaram atrações para os interessados em novidades ligadas a esse segmento do mercado.

Página anterior 1 2 3

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios