Moldes – Fabricantes de porta-moldes e componentes marcam presença e ganham destaque

Uma das surpresas agradáveis da feira, para o gerente de vendas, ficou por conta da presença em ótimo número de representantes de outros países, em especial da América do Sul. “Temos bom desempenho nas vendas para países como Argentina e Peru”, revelou. Ele também viu a exposição como oportunidade para divulgar as vantagens da padronização no mercado brasileiro. “Muitos clientes gastam mais ao usinar buchas com medidas similares às que temos na prateleira e podemos fornecer de imediato a preços acessíveis”, exemplificou.

Lançamentos – Outros importantes fornecedores de componentes para moldes também mostraram novidades na Brasilplast. A Miranda aproveitou a exposição para mostrar várias novidades, entre as quais uma série de componentes, casos

Plástico Moderno, José de Oliveira Miranda Neto, gerente-comercial, Moldes - Fabricantes de porta-moldes e componentes marcam presença e ganham destaque
Miranda Neto: feira ajuda empresa a divulgar peças para manutenção

de pinos, lâminas e buchas voltados para sistemas de extração, gavetas e centralizadores. “Falta hábito no Brasil para utilizar padronizados na hora da manutenção dos moldes”, justificou o gerente-comercial José de Oliveira Miranda Neto.

Com algumas centenas de milhares de combinações de porta-moldes oferecidas em seus catálogos, a Tecnoserv aproveitou a

feira para anunciar alguns produtos importados de empresas que passou a representar no Brasil. Entre eles, uma nova linha de sistemas valvulados e câmaras quentes fabricados na Nova Zelândia, controladores de temperatura de câmaras quentes para moldes com até 128 cavidades, produzidos em Taiwan, e placas de isolação térmica trazidas da Alemanha.

Plástico Moderno, Wilson Teixeira, diretor técnico da Tecnoserv, Moldes - Fabricantes de porta-moldes e componentes marcam presença e ganham destaque
Teixeira: cursos promovidos pela Tecnoserv colaboram com disseminação da adronização

Wilson Teixeira, diretor técnico da Tecnoserv, encontra-se entre os profissionais do ramo mais otimistas. “A crise não nos afetou com força, desde janeiro estamos conseguindo crescer em relação ao mesmo período do ano passado”, revelou. Para o profissional, a feira se mostrou surpreendente. “Tivemos visitantes de vários países e o mercado interno apresenta boas perspectivas, está havendo a retomada da economia”, garantiu.

Teixeira reconhece a falta de hábito de padronização existente no mercado brasileiro. “O problema existe, mas estamos procurando agir para combater o problema”, informou. A maneira de “pôr a mão na massa” foi investir em educação. “Temos promovido treinamentos gratuitos nos clientes para preparar os técnicos a utilizar melhor os moldes com câmaras quentes”, contou.

Outro expositor do ramo foi a Três-S, empresa bastante conhecida como fornecedora de componentes como molas, punções,

Plástico Moderno, Claudir Sandro Mori, gerente-comercial, Moldes - Fabricantes de porta-moldes e componentes marcam presença e ganham destaque
Mori: mercado para a Três-S não sofreu muito com crise econômica

pinos e extratores, entre outros. Há dois anos, a empresa entrou para o mercado de porta-moldes e está satisfeita com os resultados obtidos. “O mercado não parou de forma muito violenta, estamos passando pela crise sem muitos sustos”, diz Claudir Sandro Mori, gerente-comercial.

Entre as novidades da Três-S apresentadas na feira, encontra-se uma maior oferta de combinações de mediA empresa oferece milhares de combinações com placas de dimensões de até 450 mm x 600 mm. Os produtos foram conferidos por um bom número de visitantes. “A feira está boa, estamos travando muitos contatos novos, inclusive com empresários de outros países da América do Sul”, ressaltou Mori.

Matéria-prima – Fabricantes nacionais e representantes de fornecedores internacionais de aços para a construção de ferramentas também estiveram presentes na exposição. Entre os fabricantes nacionais, a Villares Metals teve estande dos mais movimentados. Na linha de aços oferecidos, o mais vendido é o VP20 ISO, com dureza na faixa entre 30 e 34 HRC. O material está presente em aproximadamente 85% dos moldes produzidos com as matérias-primas da empresa.

O mercado de matérias-primas com dureza até 30 HRC, em que hoje a Villares Metals atua de forma tímida, é o novo alvo. Para esse nicho de mercado, a empresa lançou na feira o aço VP100. Dirigido aos fabricantes de moldes de menor porte, o produto apresenta características ressaltadas pelos profissionais da empresa. “O VP100 tem propriedades mecânicas muito

Plástico Moderno, Osmar Donizetti, gerente de marketing, Moldes - Fabricantes de porta-moldes e componentes marcam presença e ganham destaque
Donizetti: estamos passando pela crise sem muito susto

homogêneas e uniformidade de dureza. Permite ótima soldabilidade, apresenta superior condutividade térmica e maior facilidade de usinagem por eletroerosão”, enumerou Osmar Donizetti, gerente de marketing. A Villares Metals também participa com vários produtos do mercado de aços com durezas superiores.

Página anterior 1 2 3 4

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios