Mercado de chapas acrílicas cresceu 13,8% no Brasil em 2022

Dados do Instituto Latino-Americano do Acrílico (Ilac) indicam que, somadas, a importação e produção de chapas acrílicas no Brasil registrou incremento de 13,8% em 2022, passando das 10.630 toneladas de 2021 para 12.101 t no ano passado.

Mesmo considerando que o desempenho de 2021 tenha recuado 5,9% em relação ao resultado de 2020, quando a importação e a produção de chapas acrílicas no país somaram 11.296 t, o crescimento percentual de 2022 ainda assim é positivo, cerca de 7% sobre 2020.

Os dados incluem tanto as chapas acrílicas originais ou virgens, quanto as ecológicas, produzidas pela reciclagem de sucatas, e as chapas de superfícies sólidas.

A importação foi a grande responsável por esse crescimento, saltando das 5.730 t em 2021, para 7.386 t.

Os dados divulgados pelo Ilac têm por base informações retiradas do Comexstart (portal do Governo Federal sobre estatísticas de comércio exterior do Brasil).

Mercado de chapas acrílicas cresceu 13,8% no Brasil em 2022 ©QD Foto: iStockPhoto
Vian: associação quer apoiar desenvolvimento regional

“Devido a incongruências entre as informações do sistema e de nossos associados, percebemos que os dados do Comexstart precisariam ser ajustados”, explica João Orlando Vian, executivo do Ilac.

Segundo ele, os erros decorrem da mudança do sistema utilizado pelo governo no ano passado.

A ampliação do volume de chapas, no entanto, não necessariamente aponta um crescimento direto do consumo final desse produto, como explicam Ralf Sebold, diretor da fabricante de chapas acrílicas Bold, e Marcelo Thieme, presidente do ILAC.

Segundo eles, esse é um movimento que pode ser explicado principalmente pela aquisição de chapas para composição de estoques, principalmente de empresas varejistas.

Mercado de chapas acrílicas cresceu 13,8% no Brasil em 2022 ©QD Foto: iStockPhoto

No tocante à produção de chapas acrílicas nacionais, o montante de 4.715 t ficou abaixo do total produzido em 2021, de 4.900 t. Essa diferença entre os produtos importados e nacionais reflete em boa parte as políticas de favorecimento tributário da importação, explica Vian.

O Brasil é o segundo maior mercado de chapas acrílicas da América Latina. O México lidera a lista com 13 mil t/ano, segundo o Ilac.

O mercado de chapas acrílicas na Colômbia é de 3.500 t, seguido pelo da Argentina, com 2.500 t comercializadas, e do Chile e do Peru, com 2.300 t cada.

Esse é o primeiro levantamento da entidade para toda a região, que ainda não contava com dados regionais.

“Percebemos que o mercado latino-americano tem um potencial enorme de crescimento e queremos contribuir para que as empresas do setor possam se aprimorar e alcançar seus objetivos. No que depender de nós, iremos trabalhar para que o acesso à informação seja prioridade”, finaliza Vian.

Leia Mais:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios