Aditivos e Masterbatches

Masterbatch: Setor renova portfólio com fórmulas especiais

Renata Pachione
25 de setembro de 2013
    -(reset)+

    A empresa apresentou masters de aditivos que otimizam o processo de extrusão de filmes, como o 103751-AB e o 103753-AB. “Eles possibilitam reduzir a frequência de paradas dos equipamentos de extrusão para limpeza da matriz ou troca de filtros e telas. Assim resulta em uma menor formação de géis e ponto de degradação de polímeros nos extrusores”, explica Bianchini. Segundo ele, nas concentrações adequadas e por causa de uma combinação de componentes multifuncionais em sua formulação, o produto gera um efeito sinérgico capaz de aumentar o regime de produção em kg/hora, tornando-se um processo mais eficiente e sustentável.

    A fabricante oferece também uma linha para estender a vida útil das poliolefinas recicladas e dos materiais de descarte. Trata-se de um antioxidante de alto desempenho, denominado 100900-BC. De acordo com Bianchini, ele possibilita incorporar ou aumentar o uso de material reprocessado no sistema de fabricação, sem alterar, e até melhorando as propriedades mecânicas e estéticas do produto final (permitindo, por exemplo, reduzir a espessura do transformado). A ideia aqui é aumentar o percentual do reciclado em suas formulações, mantendo as propriedades mecânicas e ópticas originais e preservando o percentual de reciclado.

    Outra novidade da Ampacet diz respeito ao mercado de coextrusão. O seu novo desenvolvimento se propõe a melhorar as transições entre distintas aplicações de polietileno (PE) na mesma linha. As transições e os purgados de resinas como náilon e copolímero de etileno e álcool vinílico (EVOH), por exemplo, são normalmente utilizados como barreira ao polietileno (PE) e podem demandar muitas horas improdutivas. Para resolver este problema, a companhia criou o 103828, uma formulação desenvolvida para remover plásticos de engenharia e poliolefinas das roscas e dos canhões. “Esta nova purga deixa preparado o extrusor para o material subsequente a ser processado na metade do tempo, pelo menos do gasto por um purgado sem este aditivo”, conclui.

    Plástico Moderno, Ronchini: na forma líquida, o produto apresenta vantagens

    Ronchini: na forma líquida, o produto apresenta vantagens

    Especialidade – A suíça Clariant também segue a linha da diferenciação. Não é à toa que o grupo conta com um time global diversificado, interdisciplinar e inter-regional, a fim de oferecer inovação ao setor. Segundo Juelso Ronchini, gerente de produto América Latina, a empresa por tradição aposta nas especialidades em masterbatches, aliando cor e efeitos a funcionalidades, tais como auxílio no processo, proteção e longevidade do produto final.

    Não por acaso, um dos focos da companhia se trata do segmento de masterbatch líquido, formulação composta por dispersão de pigmentos, corantes e aditivos em forma líquida, como o nome sugere. “Este segmento vem demonstrando ser uma excelente opção para agregar valor aos produtos feitos de plásticos, tanto para colorir ou aditivar como em forma combinada”, afirma Ronchini. Ele explica que o produto traz vantagens perceptíveis, sobretudo quando há exigências apertadas de especificações da peça final, sejam elas de cor ou dimensional, ou ainda quando há trocas constantes de cor, aumentando a produtividade e reduzindo desperdícios.

    Para a transformação de poliolefinas, foi desenvolvido um veículo líquido (LVT) capaz de agregar benefícios ao processo, minimizando os tempos de ciclo e melhorando as propriedades finais da peça produzida, o que inclui mais primor no acabamento, diminuindo drasticamente as intervenções para o polimento das ferramentas. Em tempo, a companhia adquiriu, em 2008, duas empresas norte-americanas: a Rite Systems e a Ricon Colors, passando a ter mais know-how para atuar no segmento dos líquidos.

    Plástico Moderno, Fabricante aposta nos benefícios do masterbatch líquido

    Fabricante aposta nos benefícios do masterbatch líquido

    Entre os desenvolvimentos mais recentes, a Clariant também destaca o Cesa Laser (Laser Marking) para marcação a laser. Trata-se de um master de aditivo capaz de produzir um efeito térmico e fotoquímico na frequência de radiação de energia emitida por um laser de alta definição, permitindo a marcação individualizada e permanente de todos os polímeros. A empresa também aposta no Hydrocerol, um agente de expansão química e de nucleação utilizado em diversos processos de transformação de termoplásticos que, em condições de temperatura controlada, libera gases, formando estruturas celulares. Segundo a fabricante, a tecnologia do Hydrocerol permite reduzir custo e o peso da peça, além de melhorar o processo, por exemplo.

    Produção nacional – Esses desenvolvimentos se inserem em um setor bastante heterogêneo. Os números são imprecisos, até porque não há uma associação ou câmara setorial. O volume de masterbatches aproximado totaliza 170 mil toneladas/ano, e representantes do ramo estimam que o mercado nacional esteja sendo servido por cerca de 150 fabricantes, dos quais no máximo 10% têm atuação em âmbito nacional e apenas uma parcela mínima tem alcance internacional. Ou seja, a grande maioria das fabricantes de masterbatch é de pequeno porte e de atuação local.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *