Aditivos e Masterbatches

Masterbatch – Pulverizado, mercado se abre para investidor estrangeiro e torna concorrêcua mais acirrada

Jose Paulo Sant Anna
2 de julho de 2012
    -(reset)+

    Certificada desde 2008 pelas normas europeias RoHS, atua com materiais isentos de metais pesados para evitar riscos de contaminação ambiental. “Temos mais de 1 .000 cores desenvolvidas e estamos entre as maiores do país”, diz. Uma das características da empresa, de acordo com a executiva, é trabalhar de acordo com os requisitos técnicos do cliente. “Estamos dando destaque para os masterbatches de aditivos e perolados. Até o final do ano iremos lançar nosso masterbatch biodegradavel”, explica.

    Apesar da crise mundial, este ano está sendo especial para a empresa. Nos primeiros meses do ano, os resultados foram positivos. “ Nós tivemos crescimento de 15% em relação ao mesmo período do ano passado”, informa Roberta. Entre os segredos para obter bons números, atender ao desejo dos clientes é prioridade. “Cumprir prazos, garantir a qualidade dos produtos, respeitar normas e requisitos técnicos, e dar a certeza de que todos os pedidos atenderão às especificações fideliza compradores.”

     

    Cenário é positivo para insumos

    O mercado brasileiro de masterbatch vem evoluindo. Novas formulações surgem todos os dias, impulsionadas pela entrada do plástico em aplicações inovadoras e por produtos que não agridam o meio ambiente. Prova disso é a constante atenção de empresas multinacionais, que estão entrando ou aumentando sua participação no país por meio de aquisições ou de outros investimentos. As empresas nacionais também anunciam a modernização de suas linhas de produção ou a construção de novas plantas.

    O cenário anima os fornecedores de insumos para os fabricantes de masterbatches. É o caso do grupo M. Cassab, empresa há 84 anos no mercado brasileiro, com quinze unidades de negócios e previsão de crescimento de 23% para 2012. “Nós ainda somos novos nesse mercado, estamos atuando há apenas três anos”, informa Aloisio Sposito, gerente de produtos.

    A ideia, no entanto, é fornecer ampla gama de insumos. “Quando o produto final precisa ser colorido, fornecemos, além da resina, os pigmentos orgânicos de várias cores ou o titânio no caso do produto final ser branco e ter necessidade de solidez à luz”, exemplifica. A empresa também comercializa óleos minerais e plastificantes à base de ftalatos como veículos para masterbatch líquido. Ainda são oferecidos lubrificantes e auxiliares de processo, retardantes de chama, base halogenados e não halogenados, quando o produto final ou peça não pode propagar chamas, e também produtos com característica antiestática, muito utilizada em componentes eletrônicos, embalagens e calçados de segurança. As vendas vão bem. “Temos crescido desde que entramos no nicho”, diz.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *