Logística: Resinas e aditivos garantem resistência e durabilidade

Grandes corporações do setor químico fornecedoras de matérias-primas e aditivos têm no nicho de armazenamento e logística de produtos um cliente especial.

“É um mercado importantíssimo. Além de possibilitar o transporte seguro e viabilizar o armazenamento barato, o plástico agrega cadeias produtivas em diversos outros aspectos”, explica Mauricio Donadio, líder do segmento de Irrigação e Proteção & Armazenagem Agro da Braskem.

Como nicho de negócios de sucesso, o executivo cita o setor do agronegócio, que com a perspectiva esse ano de aumento de safra deve se tornar bastante expressivo para os negócios da empresa.

“O silo bolsa permite que o produtor faça uma gestão estratégica dos estoques e venda, pois os grãos embolsados têm sua qualidade conservada. Os big bags são fundamentais para garantir o escoamento de produção e distribuição de insumos e alimentos para diversas cadeias produtivas”.

Para atender esse segmento do mercado, a Braskem tem um portfólio de resinas de polipropileno e polietileno desenvolvidos para atender os requisitos técnicos indicados a essas aplicações.

Resinas e aditivos garantem resistência e durabilidade ©QD Foto: iStockPhoto
Donadio oferece grades de PEBD e PEBDL adequados para silos

“Contamos com um time de engenheiros especializados para recomendar qual resina se aplica melhor em cada caso”.

Os filmes destinados ao silo bolsa demandam produtos específicos em sua formulação, devido às grandes exigências da aplicação.

“Desenvolvemos resinas a base de PEBD e PEBDL e combinações destas duas resinas para diferentes camadas do processo de coextrusão”.

A estratégia é conferir ao produto final elevadas propriedades mecânicas e garantir processamento adequado, com alta produtividade. As melhores opções são convertidas com a ajuda do know how dos convertedores.

Outro aspecto importante para aplicações de movimentação e armazenagem é o da circularidade.

“Temos desenvolvido desde 2018 um processo de retorno de nossas próprias embalagens, big bags de polipropileno e sacarias de polietileno, para que sejam recicladas adequadamente e se transformem em matéria-prima para outros produtos”.

Com o projeto foram desenvolvidos novos produtos, como o DP241, proveniente de big bags e indicado para fabricar novamente esta mesma embalagem.

Multicamadas e aditivos – Conforme a aplicação é necessária a utilização de coextrusão. Existem várias opções de matérias-primas oferecidas pelo mercado que podem ser adotadas na composição final do filme. Uma delas é a poliamida.

“A razão de seu uso é a alta resistência à perfuração e resistência ao rasgo”, explica Jose Angel Prieto, do departamento de pesquisa e desenvolvimento do escritório espanhol da multinacional japonesa UBE, fabricante dessa resina.

Ele lembra que em algumas aplicações, casos dos silos bolsas usados para armazenar ervas ou cereais, é necessário armazenar objetos pontiagudos em terrenos com grande quantidade de terra e pedras.

“Eles também são sacos muito grandes e se quebrarem se tornam um problema”.

O grade de poliamida oferecido pela UBE usado na produção de silos de bolsa é o 6434B. “A estrutura clássica do filme seria PE/Adesivo/6434B/Adesivo/PE”.

Fornecedores de aditivos também estão de olho nesse filão. É o caso da alemã Basf.

“A indústria de plásticos tem papel muito importante no processo de armazenamento e logística dos produtos, preservando propriedades e prolongando a vida útil”, afirma Daniella La Torre, especialista técnica de aditivos para plásticos da Basf para a América do Sul.

Ela destaca a necessidade de materiais resistentes para determinadas aplicações, casos, por exemplo, dos silos bolsas.

Nesse cenário, é necessária a adoção de aditivação apropriada. Daniella explica que o dimensionamento dos materiais precisa atender as condições climáticas onde os produtos serão instalados.

A empresa oferece ampla gama de produtos voltados para melhorar a qualidade técnica dos materiais, entre eles antioxidantes, estabilizadores de luz e calor e absorvedores de raios ultravioletas, entre outros.

É preciso ser levada em conta a tendência de uso de defensivos agrícolas nas redondezas dos silos bolsas. “Os aditivos convencionais não têm a resistência química necessária para suportá-los”.

Para resolver esse problema, a Basf criou a tecnologia NOR-HALS, que ajuda os plásticos usados em todos os tipos de cultivos a ter longa duração.

Outra preocupação é a de facilitar a reciclagem dos materiais utilizados.

“A linha IrgaCycle pertence à marca B-Cycle, portfólio robusto de soluções que resolvem desafios que dificultam a reciclagem dos plásticos usados na agricultura, principalmente a degradação térmica e mecânica. Os produtos também reduzem a perda de qualidade após cada processo de reciclagem”.

Os produtos IrgaCycle, são destinados ao processo de extrusão e peletização, fases nas quais o resíduo plástico está mais suscetível à degradação térmica e oxidativa.

“A família conta com aditivos que oferecem estabilidade ao processo, melhoram as propriedades mecânicas e conferem proteção térmica de longa duração para prevenir a degradação e oferecer nova vida ao material”.

Leia Mais:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios