Compósitos

Linha Branca: Condições severas de funcionamento

Jose Paulo Sant Anna
1 de setembro de 2019
    -(reset)+

    Plástico Moderno - Plásticos de engenharia suportam condições severas de funcionamento

    Linha Branca: Plásticos de engenharia suportam condições severas de funcionamento

    Os plásticos de engenharia e outros materiais sofisticados apresentam vantagens como densidades menores e permitem níveis de acabamento superiores. Bom motivo para que as indústrias de produtos de linha branca avaliem e passem a utilizar de maneira progressiva as resinas desenvolvidas de forma contínua pelas grandes multinacionais do ramo da química. O objetivo constante dessas corporações é obter materiais mais econômicos, capazes de resistir às condições de funcionamento às quais serão submetidos. São os casos, por exemplo, dos usados na confecção de gavetas de geladeiras com paredes cada vez mais finas, tampas de máquinas de lavar mais leves e resistentes ou de engrenagens outrora fabricadas em metais.

    A brasileira Braskem se encontra nesse time. “Os transformadores do segmento de eletrodomésticos representam parte importante do volume de vendas de polipropileno da Braskem. Temos um portfólio robusto de grades para o segmento”, revela Thiago Gomes Shinzato, líder de segmentos eletrodomésticos. A empresa tem como estratégia atuar fortemente em conjunto com os clientes para desenvolver resinas com o intuito de atender aos requisitos das aplicações e necessidades do mercado. “Na linha branca, é de suma importância que o transformador conheça as necessidades do consumidor final, faça pesquisas de mercado e utilize outros métodos para detectar carências, anseios e sugestões desse público”.

    Essas informações geram oportunidades para o desenvolvimento de formulações inéditas ou para empreender melhorias nas já existentes. Para esse nicho de mercado, as pesquisas da Braskem têm como objetivo desenvolver resinas que possibilitem ciclos de produção mais rápidos, redução do consumo de energia, melhor controle de reologia (útil na produção de peças grandes por injeção), melhor balanço de rigidez e resistência ao impacto e produção de peças com alto brilho e boa aparência.

    Shinzato explica que, na maioria dos casos, um único eletrodoméstico utiliza mais de um tipo de resina. “Cada componente exerce uma função diferente e demanda propriedades específicas”. As famílias de produtos mais procuradas para essas aplicações são os polipropilenos Homopolímero (Homo) e Copolímero (Copo). “O polipropileno é bem versátil e consegue ser empregado na substituição de outros materiais”. A empresa também disponibiliza a linha de produtos com o selo Maxio, que abriga resinas com maior eficiência nos processos de transformação e redução no impacto ambiental.

    Plástico Moderno - Feltran: PU e poliamidas têm demanda crescente no setor

    Feltran: PU e poliamidas têm demanda crescente no setor

    Plástico de engenharia – A alemã Basf também se preocupa bastante com o segmento. “O mercado de linha branca é importante e tem potencial de crescimento muito elevado. Em nossa região temos a importante presença de grande parte dos players mundiais”, resume Murilo Feltran, gerente de marketing e produto de materiais de performance. Para o setor, a empresa fornece uma enorme variedade de soluções, que vão de plásticos de engenharia a sistemas de poliuretano. Podem ser utilizados na fabricação de todo tipo de peças moldadas por injeção, extrusão ou sopro ou no recobrimento de fios e cabos elétricos.

    Um recente lançamento é a poliamida semicristalina Ultramid Vision, destinada a componentes semitransparentes ou transparentes presentes em ambientes com muitos desafios químicos. “Ela combina transparência à luz com baixíssima dispersão, resiste aos raios UV, temperatura, riscos e atende os requisitos de segurança ao fogo”. Pode ser usada em diversas áreas, em especial em peças sujeitas a controle visual, iluminação ou design de luz. “É uma alternativa versátil aos materiais normalmente usados, como poliamidas alifáticas amorfas, policarbonato ou copolímeros de estireno-acrilonitrila”.

    O carro-chefe são os sistemas de poliuretano rígido utilizados em refrigeradores comerciais e de uso doméstico, como freezers e geladeiras. Para essa aplicação, a Basf disponibiliza as linhas Elastocool e Elastopor, apresentadas como de ótimo desempenho e mais amigáveis à natureza. Um exemplo se encontra na nova geração do sistema Elastopor, dotado com agentes expansores alternativos ao gás refrigerante 141-b. “A solução tem como base o HFO e a água aplicados como agentes expansores de quarta geração. Ela oferece desempenho de isolamento térmico superior e é uma alternativa com menor emissão de gases de efeito estufa quando comparada aos agentes de expansão utilizados convencionalmente”.

    Entre as poliamidas, a maior procura está entre os materiais enriquecidos com aditivos retardantes à chama e outros voltados para mercados mais sofisticados, que demandam maior desempenho e características especiais. “Dentro de nosso portfólio, os grades das linhas A3X e A3U têm se mostrado de grande aceitação pelo mercado, pois combinam excelentes propriedades mecânicas e tribológicas (fricção) com excelente desempenho ao fogo. Eles atendem aos requisitos da UL94 V-0, 5VA, entre outras normas, e podem ser processados de forma fácil e econômica”.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *