K 2013: Cadeia do plástico ganha uma injeção de ânimo na maior feira mundial do setor

Plástico Moderno, K 2013: Cadeia do plástico ganha uma injeção de ânimo na maior feira mundial do setor
Texto de Marcelo Furtado e fotos: divulgação

Está tudo pronto para o maior evento mundial da indústria do plástico e da borracha, a feira alemã K, de Düsseldorf, marcada para o período de 16 a 23 de outubro no imenso pavilhão com 170 mil metros quadrados de área útil de exposição ocupados. Como jamais deixou de ocorrer, e mesmo com a crise econômica global, que começa a dar sinais de lenta recuperação, a K ampliou seu número de expositores. Apesar de representar apenas um pequeno acréscimo, neste ano 3.100 expositores, de 60 países, darão o ar da graça. Na última edição, de 2010, foram 3.094 empresas, de 56 países, que ocuparam 162 mil m2 da Messe Düsseldorf.

A manutenção da grandeza da feira soa como alento para os organizadores, que esperavam no decorrer do intervalo desde a edição de 2010 um impacto negativo maior sobre os resultados conseguidos. Durante a apresentação da K aos jornalistas da imprensa internacional especializada, no começo de julho, para a qual a reportagem de Plástico Moderno foi convidada, era nítida a preocupação com a baixa na economia europeia. A menor produtividade de clientes importantes, como a indústria automotiva e a de construção, e o aumento nos preços da energia e das matérias-primas são os atuais “fantasmas” que rondam a Europa.

Plástico Moderno, Reifenhäuser aponta uma crescente presença dos asiáticos na exposição
Reifenhäuser aponta uma crescente presença dos asiáticos na exposição

Mas o próprio descontentamento com o desempenho europeu motiva as expectativas com a K, a feira mais global do setor, que pode alavancar negócios em partes do mundo menos afetadas pela crise econômica. Essa é a esperança, pelo menos, do presidente da K 2013, Ulrich Reifenhäuser, que identifica oportunidades no Japão, em crescimento surpreendente, nos Estados Unidos, país que já demonstra sinais de recuperação, principalmente por causa da disponibilidade de energia barata por meio do gás de xisto, e até na China, que antecipou uma projeção de crescimento de 7% em 2013.

A avaliação de Reifenhäuser, também um dos sócios-proprietários da fabricante homônima de máquinas extrusoras, não esquece o desempenho fraco da Europa. Segundo ele, é unanimidade entre os empresários do ramo a previsão de que 2013 no mínimo será estável, com pequena queda nas vendas na pior das hipóteses, e, mais provavelmente, na melhor, com ligeiro crescimento. Neste último cenário, para ele, a realização da K dará novo ímpeto ao setor, em virtude da grande quantidade de inovações previstas.

Uma análise dos expositores da K 2013 revela que, entre os 60 países representados, os fornecedores da Alemanha, Itália, Áustria, Suíça e França continuam a ser os mais presentes. Uma característica da atual exposição que chamou a atenção de Reifenhäuser foi o fato de as empresas de países mais fortemente afetados pela crise do euro não terem desistido da exposição. “Percebemos que fornecedores espanhóis, italianos e gregos mantiveram participação estável em comparação com 2010 e, em alguns casos, registraram presença até mais importante”, disse.

Mas o que chama mais atenção é a crescente participação de expositores asiáticos, o que para o presidente da K demonstra uma clara mudança no cenário global da indústria do plástico. A curva ascendente passou a se revelar de maneira mais rápida desde a K 2010. A área útil de exposição ocupada pelos cinco grandes países asiáticos (China, Taiwan, Índia, Japão e Coreia do Sul) crescerá quase 1/3 na próxima exposição, passando dos 18 mil metros quadrados de 2010 para 25 mil m2 em 2013.

Outra participação que mereceu destaque na computação final dos expositores foi, em primeiro lugar, a das empresas norte-americanas, que, segundo Reifenhäuser, voltaram com carga total, ocupando 5.300 m2, contra os 4.400 m2 de 2010. Também vale citar o aumento da crescente indústria turca plástica, cujas fornecedoras estarão presentes em 4 mil m2 da Messe Düsseldorf, um aumento de mil m2 em comparação com 2010.

Logicamente, a presença dos fornecedores alemães continua sendo a principal, com 43% da área total de exposição. Mantendo a tradição, apesar da crise forte local, a Itália aparece como a segunda mais representada na feira, com 26 mil m2, seguida pela China (9.600 m2), Áustria (8.100 m2), Suíça (6.400 m2), Taiwan (6.100 m2), Índia (5.300 m2), Holanda (4.700 m2) e França (4.500 m2). Os expositores brasileiros registrarão queda na participação, com somente dez expositores e 1.670 m2 de área ocupada, contra 14 e 1.433 m2 de 2010 (os estandes – possivelmente o da Braskem colaborará com isso – serão maiores).

Como sempre, as áreas dedicadas a máquinas e equipamentos serão as maiores, o que não foge à regra neste ano. Os fornecedores do segmento ocuparão 119 mil m2, 4 mil a mais do que em 2010, ficando nos pavilhões de 1 a 4 e nos de 9 a 17. As empresas de matérias-primas ficarão com 37.500 m2 de área de exposição, enquanto as de bens semimanufaturados, componentes industriais e plásticos reforçados ocuparão 11 mil m2.

Energia preocupa – Uma questão que para os organizadores continuará em pauta na K, com até mais intensidade, será a da energia. Nesse sentido, máquinas com menor consumo, por exemplo, injetoras e sopradoras elétricas, materiais inteligentes para uso na indústria automobilística e de transportes em geral, mais leves e ao mesmo tempo com igual ou maior resistência mecânica, serão comuns na feira. Dentre os vários temas da chamada sustentabilidade, a questão energética com certeza ocupa espaço maior nas preocupações da indústria do plástico e da borracha. E isso vai se refletir não só nos estandes das empresas como também no ânimo dos expositores e visitantes, todos eles, em especial os europeus, cada vez mais preocupados com o tema.

Segundo Josef Ertl, presidente da federação alemã da indústria do plástico (WVK), entidade que representa 7.100 empresas, 415 mil empregados e uma receita de 95 bilhões de euros, hoje a indústria na Alemanha vive um momento de incertezas em relação à política energética adotada pelo país. E isso pode ajudar a aumentar a preocupação do setor de plástico em enveredar de vez pelos caminhos da eficiência energética ou, em última análise, a migrar a produção para outros países.

O motivo para a preocupação é simples: o governo alemão decidiu abandonar a energia nuclear até 2022 e diminuir de forma paulatina o consumo de combustíveis fósseis, promovendo as fontes eólica e solar como substitutas principais. Para Ertl, isso tornará a produção na Alemanha cada vez mais cara. Aliado à crise financeira internacional, o custo da energia elevada pode tornar, a médio prazo, a situação insustentável para a indústria alemã do plástico, a maior do continente europeu.

Para o presidente da federação, a situação se agrava com o desenvolvimento da exploração do shale gas nos Estados Unidos, energia barata que tem atraído muitos investimentos industriais, entre eles os petroquímicos. “Vamos perder competitividade globalmente, os americanos estão se reindustrializando com energia e matérias-primas baratas”, disse.

“Se desprezar as fontes tradicionais na sua matriz energética, a Alemanha não terá células solares e nem pás geradoras eólicas suficientes para sustentar o crescimento da indústria”, alertou Ertl durante palestra para a apresentação da K aos jornalistas de todo o mundo. Ainda há oito usinas nucleares funcionando na Alemanha. Com a decisão referendada por seu parlamento de desligá-las até 2022, o país pretende basear sua matriz nas fontes renováveis. Embora ainda não tenha sido estudado o quanto essa transição significará de custos para a sociedade alemã, apenas a descontinuidade de uma usina nuclear consome cerca de 1 bilhão de euros. Enquanto a Alemanha estiver fazendo a transição, as emissões de gases de efeito estufa devem aumentar, porque usinas térmicas a carvão e a óleo diesel precisarão gerar a energia deixada de ser produzida pelas nucleares.

Plástico Moderno, Haitian_Jupiter-II-16000Extrusão do futuro – Uma prova da preocupação com a energia se refletirá na exposição da Reifenhäuser. A empresa promete mostrar uma nova tecnologia em estudo para extrusoras monorroscas. Trata-se de um conceito de plastificação que, além de minimizar a necessidade de energia, opera a maior parte do tempo sem cilindro de resfriamento.

Apresentada na prévia em Düsseldorf, a tecnologia se baseia no conceito de plastificação denominado Energizer, que permite a operação sob temperaturas de fusão 20ºC mais baixas. Segundo o diretor-geral da Reifenhäuser, Tim Pohl, esse ganho permite não só abaixar o consumo de energia como também melhorar a produtividade da máquina. O conceito será apresentado na K 2013 e a previsão é a de que em breve ele esteja disponível, assim como outras melhorias em estudo, com o objetivo de reduzir o consumo de energia e também de oferecer facilidades operacionais e de manutenção.

Além desse novo sistema de plastificação, outra novidade a ser mostrada na feira, que só estará disponível comercialmente em 2015, será um design de acionamento de extrusora que permite a seleção livre do tipo de motor que o cliente desejar. Sem investimento em engenharia adicional, é possível escolher a classe de proteção do motor e o tipo de resfriamento, o que torna as extrusoras facilmente adaptadas a ambientes de sala limpa. A tecnologia é em cooperação com a também alemã Siemens.

Outro destaque prometido pela Reifenhäuser na K 2013 é na área de coextrusão de plástico e madeira (WPC, Wood Polymer Composite). Trata-se de sistema para produção de decks que combina novos designs de perfil e de cabeçote, capaz de reduzir os custos operacionais em até 50%. Isso é possível por causa da nova geometria dos perfis, que possibilita uma economia de até 20% de materiais processados.

Para finalizar, a empresa alemã também mostrará sua plataforma de ofertas “sustentáveis” com foco em eficiência energética chamada Blue Extrusion, que envolve uma série de medidas possíveis nas suas unidades de extrusão. Faz parte dessas alternativas a economia de energia por meio de roscas a baixas temperaturas para todos os tipos de poliolefinas e barreiras, recuperação de calor pela exaustão de ar, aquecimento por gás em vez de eletricidade, combinação de unidades de força e calor para suprir linhas de produção com eletricidade e aquecimento, entre outras medidas.

Plástico Moderno, Battenfeld_Cincinnati_Pre-K_Packaging_high-speed-extruder
Extrusora da Battenfeld-Cincinnati garante maior eficiência energética

Mais com menos energia – Também vai para a K 2013 demonstrando preocupação com a eficiência energética outra grande alemã da área de máquinas, a Battenfeld-Cincinnati. A divisão de infraestrutura da empresa vai apresentar na feira uma nova série das extrusoras monorrosca soIEX GL. São quatro modelos com diâmetros de rosca de 45, 60, 75 e 90 mm, todos com a capacidade de operar sob baixas temperaturas de fusão ao mesmo tempo em que otimizam a produção das máquinas.

Essas máquinas operam com novo conceito de acionamento que combina transmissão e motor com alto torque. Benefícios adicionais do novo sistema são os níveis baixos de ruído e vibração, com demanda de manutenção quase inexistente, segundo a empresa. Além da ausência de transmissão, o design da nova extrusora é mais compacto.

Outra linha de extrusoras da Battenfeld-Cincinnati com foco no baixo consumo de energia mostrada na K será voltada para o mercado de embalagens. Trata-se de extrusora monorrosca de 75 mm com alta velocidade e comprimento de processamento de 40 D. Segundo a empresa, a máquina consome 25% menos energia do que equipamento similar convencional de igual desempenho. Além disso, a extrusora também assegura qualidade na fusão de variados materiais, como PS, PET, PP e EVA e também filmes coextrudados. Compacta, a máquina atinge produtividade de até 2 mil kg/h.

Para a indústria de PET, a empresa também vai mostrar extrusora monorrosca com uma seção de compostos integrada, para produções de 500 a 1.000 kg/h. A extrusora também atinge diminuição de até 16% nos custos de energia pelo fato de poder processar o PET sem prévia secagem.

Plástico Moderno, Renaudeau põe em funcionamento na feira 23 de seus robôs
Renaudeau põe em funcionamento na feira 23 de seus robôs

Robôs – Adiantou também sua exposição na K 2013 a Sepro, fabricante francesa de robôs para automação de máquinas de processamento plástico. Segundo revelou o diretor-geral da empresa, Jean-Michel Renaudeau, serão ao todo 23 robôs em operação na feira, tanto em seu estande como no de seis fabricantes de máquinas, entre eles a brasileira Romi, que já havia mostrado máquina com robô Sepro na Feiplastic. Na K, o estande da Romi contará com dois robôs Sepro Success 33 em uma injetora de 450 t de força de fechamento e um S5-25 em máquina de 300 t.

No seu estande, a empresa mostrará duas unidades de braços articulados de seis eixos que estarão operando junto com três robôs 5-eixos em uma demonstração automatizada de entretenimento. O sistema foi desenvolvido em cooperação com a Stäubli Robotics e é voltado para aplicações em injeção que demandem manipulação de partes complexas, em máquinas de 20 a 4.000 toneladas de fechamento.

Outro destaque dos robôs Sepro se dará em unidade injetora vertical da Sumitomo Demag, que processa dois materiais. O Sepro Multi-Inject 20, apresentado pela primeira vez ao mercado, foi especialmente projetado para operar na injetora de 210 t em molde rotativo de duas posições. O sistema estará processando raspadores de gel, e o robô manipulará um selo decorativo a ser colocado no corpo do raspador moldado antes que o segundo material de revestimento seja injetado. O robô também remove o produto final para um transportador.

Plástico Moderno, Franz aponta as qualidades das suas injetoras made in China
Franz aponta as qualidades das suas injetoras made in China

Chineses presentes – Como mostra da força asiática crescente no mundo do plástico, a fabricante de injetoras chinesa Haitian, com faturamento de 850 milhões de euros, também teve direito à apresentação especial durante a prévia para jornalistas da K 2013. Na oportunidade, seu diretor, o alemão Helmar Franz, além de defender a qualidade dos produtos chineses, mostrou os quatro destaques da Haitian apresentados em outubro em Düsseldorf.

Da série Zhafir Mercury, a ME 550/26/26 vai produzir braçadeiras de cabos de poliamida 12 usando um molde de oito cavidades. A unidade de injeção utiliza sistema de placas inovador que permite alcançar até mais de 70% da superfície do molde, com um design de máquina 30% menor. “O design simétrico concentra toda a força da operação no centro da unidade, garantindo alto paralelismo da placa e melhor tolerância”, disse Franz.

Também será mostrada pela Haitian uma versão de alta velocidade da série Zhafir Venus II. Trata-se da VE II 1900p, que produzirá em molde de 24 cavidades uma pequena colher para misturar café de 0,6 g, feita de poliestireno, em um ciclo de 2,9 segundos. A máquina, segundo a empresa, tem versão mais compacta e pode ser ofertada para uma faixa de força de fechamento de 1.500 a 3.800 kN e velocidades de até 350 mm/s.

A terceira máquina é a Haitian Mars II eco Series, cujo modelo MA II 1200 eco produzirá um case em PP transparente que pesa 135 g, em ciclo de 24 segundos. Seu destaque é o acionamento servohidráulico otimizado para consumir menos energia. Por fim, a exposição contará com a Haitian Jupiter II Series, para moldes grandes, cuja versão A JU II 5500/2950, pela primeira vez mostrada, vai produzir uma tampa de motor de PA6-35 GF, com 700 g e duas cavidades, em ciclo de 43 segundos.

K 2013: Brasileiros na K

Texto de Maria Aparecida de Sino Reto e fotos: divulgação

Participar como expositora em um evento do porte da K, a maior vitrine mundial da cadeia do plástico, é uma oportunidade ímpar para empresas brasileiras, particularmente quando existe a intenção de prospectar novos negócios no mercado externo. Nesta edição de 2013, dez indústrias nacionais compraram espaço no evento.

A megapetroquímica brasileira Braskem comemora sua primeira participação na mostra na condição de um player local, reafirmando sua condição de petroquímica global (a companhia comprou da Dow, em 2011, duas plantas de PP situadas em solo europeu). Outra proposta da expositora na K é buscar a liderança em química sustentável. Sua apresentação, portanto, tem como destaque os desenvolvimentos de cunho ecológico: o polietileno verde “I’m green” e a linha Maxio, criada para diferenciar as resinas de seu portfólio com atributos diferenciados de sustentabilidade.

A fabricante informa que o conceito da sua linha Maxio envolve novos desenvolvimentos e resinas do seu portfólio que ofereçam maior eficiência à cadeia do plástico e minimizem o impacto ambiental no processo de transformação. Essa família engloba produtos com uma ampla janela de processamento e que podem propiciar vários benefícios aos seus usuários, tais como redução do consumo de energia, obtida com o processamento a temperaturas mais baixas; diminuição do ciclo produtivo; eliminação de etapas; e redução no uso de matéria-prima, mantendo as propriedades do produto final. Atualmente, oito grades de polipropileno e um de EVA fazem parte desta linha considerada a mais competitiva e sustentável, mas o objetivo é crescer e abranger novos produtos.

As resinas de PEAD e PELBD da família de plásticos verdes, baseados em fontes renováveis (eteno proveniente do etanol da cana-de-açúcar), também comparecem em posição de destaque no estande da empresa, que anunciou, no início deste ano, o desenvolvimento de uma nova linha de polietileno verde, agora em baixa densidade. A Braskem prevê produzir, em volumes anuais, cerca de 30 mil toneladas da nova resina, a partir de janeiro do próximo ano.

Os grades atuais de PE verde são voltados para as aplicações de filmes, injeção, extrusão de fibras e sopro. A nova família de baixa densidade se endereça aos mercados de filmes, injeção e revestimento (coating). A expansão da linha dos bioprodutos tem a proposta de reforçar o compromisso da empresa com a criação de valor por meio do desenvolvimento sustentável.

Cores e aditivos – A Cromex, tradicional fabricante de masterbatches, também ocupa um espaço nos pavilhões de Düsseldorf, onde divulga toda a sua ampla família de produtos: masterbatches brancos, pretos e coloridos, além das especialidades; soluções voltadas para plásticos de engenharia, BOPP e a sua linha sustentável. Os produtos da Cromex cobrem uma extensa gama de aplicações, entre as quais os plásticos de engenharia. A linha para BOPP, com masterbatches brancos, aditivos e cargas minerais, considerada pela Cromex de alta performance técnica, merece especial atenção no estande da expositora, que explica tratar-se de produtos desenvolvidos para proporcionar o melhor desempenho das máquinas, de acordo com as necessidades da indústria. Os concentrados livres de metais pesados e os desenvolvimentos de cores e aditivos para atender o mercado de biopolímeros baseados em fontes renováveis constituem outros destaques da Cromex, que também divulga na feira alemã a distribuição da resina PLA (ácido poliláctico). Com o propósito de se situar entre as cinco grandes produtoras mundiais de masterbatches, a Cromex tem investido para ampliar e melhorar seus produtos e serviços, em parâmetros globais. Para tanto, a expositora ampliou suas atividades para o ramo da distribuição de resinas termoplásticas. A empresa comercializa seus produtos para mais de 60 países. Atualmente, 20% dos negócios da empresa são voltados para os mercados externos e a tendência é ampliar esse número.

A linha de aditivos antimicrobianos para plásticos é o foco do estande da brasileira Nanox, que espera nessa feira abrir portas para novos parceiros, até para revender ou distribuir os produtos da expositora. Denominada Nanox Clean, a tecnologia conta com a homologação da brasileira Anvisa e da americana FDA para uso em contato com alimentos. São produtos desenvolvidos com know-how próprio e voltados para diversas aplicações, desde commodities até plásticos de engenharia. Seu uso garante proteção permanente contra bactérias e fungos nas superfícies do plástico em variados processos produtivos.

Plástico Moderno, carnevalli---coex---DSC_0695Máquinas e periféricos – As extrusoras da Carnevalli prometem fazer sucesso nos pavilhões alemães. O diretor comercial Wilson M. Carnevalli Filho se orgulha do fato de a empresa exibir em seu estande máquinas em operação. “Mostraremos toda a nossa tecnologia e qualidade, que se encontra no mesmo nível dos nossos concorrentes internacionais”, declara. Na opinião dele, o cenário mundial dá sinais de melhora, sentida nas exportações da empresa. “Somos mais competitivos com o câmbio do atual momento. Aliando uma boa estratégia, faremos uma excelente feira.”

A Carnevalli apresenta dois equipamentos em seu estande: uma coextrusora de três camadas e uma extrusora de 40 mm. Máquina versátil e de fácil operação, a coextrusora oferece largura útil de 1.600 mm e produção de até 250 kg/h. O equipamento produz filmes técnicos, termocontráteis e laminados com altíssima qualidade. Segundo informa o diretor, trata-se de máquina de setup rápido, portanto, indicada para transformadores que têm em sua gama de produtos muitas formulações e mudanças de largura e espessura. A máquina conta com sistema gravimétrico e anel de ar de controle automático de espessura. “Tem excelente custo/benefício e visa a atender os transformadores que nunca adquiriram uma coextrusora. Escolhemos essa máquina porque ela se encaixa perfeitamente na nossa estratégia de atender os mercados latino-americanos e do leste europeu, entre outros que procuram qualidade a um preço acessível”, diz.

O outro equipamento, a extrusora E-40, é um modelo de máquina pequena, mas que na opinião do diretor também se encaixa muito bem naqueles mercados, pois possibilita uma boa produção em relação ao seu diâmetro de rosca: 40 mm com até 60 kg/h, na largura de 800 mm de filmes de PEAD, PEBD e PELBD, incluindo bobinas do tipo “fundo estrela”.

Plástico Moderno, Romi-EL75O cardápio de máquinas brasileiras na feira alemã inclui injetoras e sopradoras. No campo da injeção, a Romi expõe três novos modelos: o EN 450, o EL 75 e o mais recente deles, o EL 300. A máquina da série EN representa uma linha compacta, equipada com servomotor no acionamento hidráulico, garantia de melhor desempenho com redução energética. Trata-se de uma injetora de 450 toneladas de força de fechamento, que oferece operação e manutenção simples, e ainda agrega, segundo a fabricante, alta tecnologia e produtividade a um custo muito competitivo. Com acionamentos totalmente elétricos, os modelos da família EL prometem elevada eficiência energética (economia de até 60% de energia) e nível de ruído em 60 decibéis, associados a uma altíssima precisão nos movimentos.

A renomada fabricante brasileira de sopradoras Pavan Zanetti exibe o modelo BMT 5.6D/H da série Bimatic, voltada para a maioria dos setores de sopro até 5 litros. “Levaremos apenas uma máquina, pelo alto custo da feira, pois enviar máquinas até a Alemanha e trazê-las de volta é muito oneroso”, comenta o diretor Newton Zanetti. Totalmente automático e equipado com comando de última geração da marca Beckhoff, o modelo escolhido para a exibição possui dupla estação de sopro, cabeçote 4 x 100 mm entre centros e molde de 1.000 ml. “Instalaremos, numa parceria com a fabricante mundial de cabeçotes Mueller, um dos seus modelos de alta performance”, informa Zanetti, que espera ganhar maior visibilidade, de acordo com seus projetos de expansão de mercado. “Queremos abrir novos mercados, como o árabe e o africano, e aumentar nossa participação no mercado latino-americano. Com a nova base de valor do dólar no país, vamos tentar incrementar nossas exportações, que andam muito lentamente.”

Plástico Moderno, eletro-forming---tb-isoEm sua terceira aparição na K, a Eletro-Forming, fabricante brasileira de máquinas de termoformagem, exibe em seu estande vídeos e imagens dos seus equipamentos, com ênfase na termoformadora T-B, que molda, corta e empilha embalagens de PET para diversas aplicações (ovos, tampas para copos, descartáveis etc). Trata-se de uma termoformadora contínua e automática, de grande produção. Totalmente servomotorizada, não despende muito ar comprimido e seu ciclo é mais produtivo e preciso em comparação às máquinas convencionais, segundo informa o fabricante. Possui formato máximo do molde de 730 mm por 600 mm, profundidade máxima de 120 mm, força de fechamento de 500.000 N e ciclo em vazio de 48 ciclos por minuto. A empresa também divulga suas máquinas para chapas grossas. Jorge Lakatos, dono da empresa, espera repetir o bom desempenho de sua participação em duas edições anteriores da feira, e vender equipamentos.

Plástico Moderno, seibt---MGHS-420-LRXOs periféricos brasileiros também se exibem na Alemanha. A fabricante de moinhos Seibt, de Nova Petrópolis-RS, estreia na feira de Düsseldorf com equipamentos que passaram por mudanças para se adequar ao mercado europeu. De acordo com informações do analista de exportação, Gilson Muller, a marcação CE na linha de produtos direcionada ao mercado europeu e a outros países foi analisada e avalizada pela Seibt em parceria com a TÜV Rheinland. A fabricante apresenta em seu estande os modelos MGHS 420 LRX e 320 LRX, indicados para a moagem de sobras e perdas do processo de injeção e sopro, operando em circuito fechado, ao pé de máquina. Os equipamentos possuem rotores de diâmetros a partir de 200 até 350 mm e largura entre 205 mm e 425 mm e corte tipo tesoura em X. Além de segurança, esses moinhos oferecem um alto rendimento com um baixo consumo de energia, e ainda evitam a contaminação e misturas de material, suscetíveis de ocorrer em processos de moagem não contínuos. Essa linha disponibiliza a opção de descarga manual ou automatizada e isolamento acústico. “O mercado europeu ainda é pouco explorado pela Seibt, mas, com as políticas comerciais e de expansão da empresa, e com sua presença no evento, pretendemos aumentar a fatia global de participação de mercado ocupada atualmente pela Seibt”, comenta Muller.

Plástico Moderno, mecalor---Compact_ChillerCom objetivos semelhantes ao da Seibt e igualmente estreante no evento, a Mecalor leva para a feira o inédito CompactChiller e o painel wireless, este último lançado na Feiplastic, realizada em maio, em São Paulo. “A nossa intenção nesta primeira participação na feira K é exibir a marca para um mercado pouco explorado, o continente europeu, pois a atuação da Mecalor está mais concentrada na América Latina. Será um grande passo para grandes oportunidades de negócios”, declara o coordenador de marketing Italo Leme.

O novo CompactChiller, com capacidade efetiva entre 5.000 e 60.000 k/cal, foi projetado para o resfriamento de moldes de injeção e sopro, bem como para uso na extrusão de balão, casting, chapas, termoformagem, e ainda na impressão flexográfica, laminação, entre outras aplicações. O equipamento, com gabinete feito de aço inoxidável AISI304, é dotado de circuitos frigoríficos redundantes, bomba de água Grundfos, condensadores microcanal de alumínio para ambientes com temperatura de até 42°C, filtro de água e evaporadores a placas de aço inox, além de ventiladores EC com controle de rotação para baixo nível de ruído e redução do consumo de energia. O equipamento tem como recurso opcional compressor scrool digital, que ajusta a capacidade de resfriamento à carga térmica do processo. Tais características atribuem à nova série um aumento expressivo de eficiência energética e otimização da performance de refrigeração. Além dessa novidade, a Mecalor exibe o painel de gerenciamento a distância, com tecnologia Wireless e tela sensível ao toque, que pode ser aplicado em toda a linha de chillers e drycoolers, instalado a uma distância de até 500 metros. O comando realiza o monitoramento do sistema, indicando a temperatura da água, alarmes e desempenho, além de gerenciar a capacidade de revezamento de até quatro chillers.

K 2013 – Vitrine: Confira os Lançamentos*

* O texto desta seção foi editado com base nas informações das empresas, em resposta ao convite enviado por Plástico Moderno a todos os expositores da K’2013. Fotos divulgação

APEX

A impressora multicor S-11 de alta velocidade, para substratos planos, estreia no estande dessa fabricante, que também exibe o modelo C-40, para peças cilíndricas e cônicas. Ambas podem ser conferidas em operação. Segundo informações da expositora, as configurações especiais de ambas as séries lhes conferem versatilidade, destinando-as a uma ampla gama de aplicações exclusivas. Para dar uma ideia, a S-11 opera à velocidade de 120 metros por minuto, enquanto a C-40 pode imprimir até 2.000 peças por minuto. Para a Apex, o que torna os seus sistemas de impressão tão atraentes é que eles são individualmente concebidos para uma ampla gama de peças e tamanhos diversos, sinônimo de maior flexibilidade e alta produtividade para os usuários. A empresa disponibiliza diversos métodos de impressão e decoração, entre os quais dry offset, rotogravura e ainda um sistema próprio denominado Flexapex, de impressão multicor em alta velocidade, uma alternativa aos processos silkscreen, hot stamping ou tampografia, com garantia de um registro perfeito. Durante a feira, os especialistas da Apex demonstram as várias opções de sistemas disponíveis, orientando os interessados quanto às soluções mais adequadas às suas necessidades individuais: impressão e decoração para produtos tridimensionais, peças grandes ou pequenas, mono ou multicor, baixa ou alta velocidade, impressão em linha ou fora dela.

ARBURG

Plástico Moderno, ARBURG-35203-01-820A-MaschineA expositora convida o público da feira para conferir uma diversidade de equipamentos funcionando em seu estande, que ocupa uma área de 1.650 m2 e tem por tema central a eficiência na produção. O espaço reservado às injetoras enfatiza as máquinas Allrounder elétricas e de maior porte. A maioria refere-se aos modelos elétricos, das séries Edrive e Alldrive. Equipamentos com 3.200 e 4.000 kN de força de fechamento representam os de maior porte. Em termos de aplicações, a injeção de multicomponentes predomina no estande da empresa, que também reserva espaço para expor equipamentos para automação, desde simples soluções para remoção de peças até sistemas robóticos de seis eixos, para realizar tarefas complexas.

Os visitantes conferem a versatilidade e o alto desempenho das séries elétricas produzidas pela Arburg: uma célula produtiva apresenta o modelo Allrounder 370 E, da série Edrive, integrado com um sistema robótico de seis eixos e uma instalação de impressão em linha da Robotik; uma Allrounder 470 A pretende demonstrar o alto desempenho das máquinas da série Alldrive, exibida com um molde de 64 cavidades, produzindo com elevada precisão delicadas unidades de dosagem em ciclos de apenas dois segundos. O uso de máquinas elétricas na produção de componentes médicos em condições de sala limpa pode ser conferido em uma Allrounder 520 A, injetando pipetas em ciclos de cerca de 4,5 segundos, em molde de 64 cavidades.

A feira serve de palco para a estreia da injetora elétrica Allrounder 820 A, que incorpora unidades de fechamento (de 4.000 kN) e de injeção (de tamanho 2.100) desenvolvidas especialmente para ela, que complementa a série Alldrive. O modelo ocupa o vácuo que existia entre os de 3.200 e 5.000 kN. Os novos tamanhos de unidade de fechamento e de injeção oferecem aos clientes a possibilidade de configurar melhor a sua produção e eficiência. A empresa informa que a série híbrida de alto rendimento Hidrive também contará em breve com novos tamanhos.

Outra novidade em âmbito global pode ser conferida no espaço reservado à automação, em cooperação com sua parceira Robotik: o robô de seis eixos Agilus, da empresa Kuka, e com interface integrada Selogica. Esse robô fica suspenso em um eixo linear disposto transversalmente na máquina. A combinação do robô de seis eixos com um eixo linear possibilita movimentos mais dinâmicos e intervenções mais ágeis no molde, sinônimo, para o transformador, de ciclos mais rápidos e maior produtividade. Um benefício adicional apontado pela Arburg para o novo equipamento é a disponibilidade de uma maior área de trabalho, visto que o pequeno sistema robótico pode se mover sobre o eixo e o espaço ocupado abaixo pode ser usado sem restrição. O equipamento foi projetado para suportar pesos entre 6 e 10 kg, o que o torna adequado para as diversas necessidades dos transformadores de plástico.

A exposição da Arburg ainda conta com uma nova solução em automação na Allrounder 470 S, demonstrando o último desenvolvimento de injeção multicomponente para compostos de partículas espumadas (PCIM), um processo novo, desenvolvido em conjunto pela Arburg e as empresas Ruch Novaplast e Krallmann, que abre novas possibilidades para o mercado de construção de baixo peso. A injetora demonstra aos visitantes da feira o novo processo de sobreinjeção. E um robô de seis eixos realiza todas as operações de manipulação da célula produtiva.

A exposição da Arburg ainda contempla outro processo inovador também destinado à construção leve, representado por um equipamento para injeção direta de fibras longas. Neste processo, fibras de até 50 mm de comprimento podem ser adicionadas diretamente na resina fundida, com uma distribuição homogênea, por meio de uma alimentação lateral, na unidade de injeção. O comprimento e a porcentagem das fibras podem ser ajustados individualmente. Para demonstrar o processo, produzindo peças de elevada resistência e com peso abaixo de 300 g para comprimentos acima de 500 mm, a Arburg exibe uma célula produtiva automatizada com robô de seis eixos em uma Allrounder 820 S, injetora hidráulica de baixo consumo energético, equipada com servohidráulica, em operação com um molde da empresa alemã Georg Kaufmann Formenbau AG. O amplo espaço da Arburg ainda apresenta outros equipamentos, para atender às diversas necessidades da indústria plástica.

BAERLOCHER

Uma das principais fabricantes de aditivos do mundo, especialmente desenvolvidos para compostos de PVC, a expositora destaca o conceito e o projeto de seu estande, que foram delegados a um time de jovens arquitetos e projetistas, todos graduados na State Academy of Fine Arts, em Stuttgart, Alemanha. A fabricante destaca suas formulações sustentáveis para PVC, como as baseadas em cálcio, em substituição ao chumbo. Entre os seus principais produtos constam uma ampla gama de estabilizantes, além de outros aditivos para plásticos e de um sistema inovador de lubrificante para composites de madeira plástica.

BASF

A família de poliamida 610 reforçada com fibra de vidro da s Ultramid S Balance comparece em maior tamanho nesta edição da feira alemã. A expositora anuncia a ampliação da linha Ultramid S Balance com dois novos grades de poliamida 610 reforçada com fibra de vidro: o S4Z5 é uma resina semiflexível que atende aos requisitos de temperaturas elevadas, enquanto o S4Z4 XS é um grade flexível, caracterizado por elevada resistência ao stress cracking. Ambas as formulações empregam PA610 de alta viscosidade, modificadas para atingir uma boa resistência ao impacto sob baixa temperatura. A elevada maciez da S4Z4 XS confere aos tubos grande flexibilidade, o que simplifica a instalação. Os dois novos grades diferem em termos de rigidez e dureza e, ainda, o S4Z5 possui maior resistência à pressão e à explosão e melhor desempenho em termos de envelhecimento ao calor, enquanto o S4Z4 XS se caracteriza por melhor resistência ao cloreto de zinco. Por sua composição química, a PA610 é considerada uma poliamida de cadeia longa e pertence à família que inclui as PA612, PA12 e PA11, e que recentemente agregou também as PA1010, PA1012 e PA1212. Todas se caracterizam por uma baixa absorção de umidade, em comparação com as PA6, PA66 ou PA46, e ainda exibem boa resistência a produtos químicos e stress cracking, e atendem os mercados de injeção e extrusão.

BATTENFELD-CINCINNATI

Plástico Moderno, Pre-K_Infrastructure_solEX-GL_front-viewA família de extrusoras monorroscas solEX de alto rendimento, para a fabricação de tubos de PEAD e de PP e também de tubos corrugados, comparece a mais uma edição da K, desta vez com a nova série solEX GL, que se diferencia dos outros modelos por seu sistema de acionamento sem engrenagens. Trata-se de um motor de alto torque, com maior eficiência energética. Além de praticamente dispensar manutenção, o novo sistema também é vantajoso por conta da ausência de ruídos e vibrações. A ausência de engrenagens resulta em uma extrusora mais compacta, proporcionando um alto rendimento em um espaço pequeno. As quatro extrusoras da série GL, com tamanhos 45, 60, 75 e 90, incorporam todas as características da família solEX.

Além da nova série de extrusoras, os visitantes ainda conferem no estande da Battenfeld-Cincinnati a nova calandra Multi-Touch, para sistemas de extrusão em alta velocidade – equipamento que pode ser adquirido individualmente ou integrado a uma linha completa de extrusão. Essa calandra foi desenvolvida para produções de filmes em alta escala e velocidade, sem comprometimento da qualidade, da transparência, ou da espessura do filme. Ao contrário dos equipamentos convencionais, o Multi-Touch opera com espaços diferentes entre os cilindros, assegurando o resfriamento em ambos os lados do filme. Além disso, dois cilindros efetuam uma pré-calibração e os outros (três, cinco ou sete) se encarregam da calibração posterior, em projeto que assegura a produção de um filme sem tensões e de espessura homogênea. De acordo com a expositora, o novo Multi-Touch alcança precisão da ordem de 1%. Além de contribuir para reduzir custos, também garante uma operação com maior eficiência energética. O equipamento se destina a uma ampla variedade de resinas e materiais coextrudados. A empresa indica também sua linha de extrusoras monorroscas de alta velocidade, configuradas com roscas de 75 mm de diâmetro e disponíveis com quatro diferentes tamanhos de acionamentos, além dos equipamentos necessários para complementar a linha. Na transformação de polipropileno, essas extrusoras atingem uma capacidade produtiva de até 1.500 kg/h, e na de poliestireno, até 2.000 kg/h.

BAYER

Um dos focos dessa fabricante global de polímeros de engenharia é o policarbonato. De olho na tendência do mercado de eletrônicos pelos ultranotebooks, a expositora lança um novo produto para fabricar as carcaças desses computadores: policarbonatos reforçados que conferem às peças leveza, durabilidade e liberdade de design, além de possibilitar uma elevada produção. Os visitantes conferem no estande essas carcaças de laptops feitas com o novo grade de PC. A empresa aposta na tendência da computação móvel e na exigência de hardwares mais sofisticados, que pedem materiais de desempenho superior. E é essa a proposta do novo PC reforçado da Bayer: a permissão para produzir peças mais leves e finas, associadas com resistência, robustez e segurança. Além disso, o produto possibilita que os transformadores poupem energia no processo produtivo. Enquanto os notebooks tradicionais podem pesar até 2,6 kg e ter uma espessura de parede de 3,5 cm, a nova geração desses computadores portáteis ultrafinos pesa apenas aproximadamente 1,5 kg e possui espessura de apenas 2,1 cm. A nova formulação de PC da Bayer contribui para reduzir o peso em mais 100 g, baixando para 1,4 kg; e a espessura, para 1,4 cm ou menos. Disponível em diversas cores, a nova resina ainda permite produzir estruturas com geometrias complexas (3D), bem como superfícies com textura (2D) ou soft touch. A exibição da Bayer ainda contempla protótipos de uma gama de soluções, incluindo compósitos reforçados com fibras contínuas.

BOY

Especialista em injetoras de pequeno porte, até 900 kN, a renomada fabricante alemã comemora a exibição da máquina com a melhor eficiência energética desse segmento de mercado, a Boy 55 E, que conquistou classificação 8+ em eficiência da Euromap 60.1. A expositora também lança na feira as novas Boy 25 E, sucessoras da Boy 22 E; e a Boy 25 E VH, equipada com unidade de injeção horizontal, direcionada ao mercado de injeção com insertos.

Plástico Moderno, burgsmuller---Photo_1_130708_PM_BM_K2013BURGSMÜLLER

Roscas e cilindros constituem os principais focos de atuação dessa fabricante, que carrega uma experiência de quase 140 anos de atuação no ramo e estreia na megafeira alemã. A especialista aproveita a ocasião para divulgar seu amplo know-how em materiais e processos. Esse conhecimento envolve desde componentes padronizados para extrusoras dupla rosca e injetoras até soluções sob medida. A empresa também fabrica e comercializa máquinas-ferramenta em todo o mundo.

Plástico Moderno, Comexi_FLEXO_F2_WBCOMEXI

A fabricante italiana de impressoras exibe a nova flexográfica Flexo F2 Water Based, desenhada com uma tecnologia inovadora de impressão à base de água. Para conseguir a adaptação a esse tipo de tinta, a Flexo F2 WB possui um fluxo de secagem com ar desumidificado exclusivamente dedicado à secagem do branco como primeiro fundo de cor. A capacidade de secagem entre cores também foi elevada em 50%. Além disso, a impressora dispõe de um sistema de tinta em aço inoxidável, especialmente projetado para tintas à base de água. A impressora offset CI8, lançada no ano passado, e a rotogravura ACOM R2 completam a exposição da fabricante.

DOW

O estande dessa renomada indústria química deve ser palco para a divulgação dos seus projetos globais de crescimento, como a joint-venture da companhia na Arábia Saudita (Sadara Chemical Company) e os investimentos na Costa do Golfo dos Estados Unidos. A Dow também convida os visitantes da feira a conferir o seu Business Center, onde, entre outras atividades, eles poderão participar de uma variedade de discursos programáticos especiais sobre tópicos que incluem energia e sustentabilidade. A Dow representa na K os seus negócios de embalagens plásticas flexíveis e rígidas para os mercados de alimentos e bebidas, industriais, e de consumo (Performance Packaging); de elastômeros (Elastomers), com um portfólio amplo de poliolefinas e terpolímero de etileno-propileno-dieno (EPDM) com metaloceno; de materiais de alto desempenho para os mercados de higiene pessoal, fraldas infantis e para adultos, assim como embalagens médicas (Hygiene and Medical); de produtos adesivos, que melhoram a resistência de adesão com estética aprimorada (Adhesives and Functional Materials); de soluções impulsionadas pela tecnologia para as indústrias elétrica e de telecomunicações (Electrical & Telecommunications); e de materiais para tubos (Polymers for Pipe). A Dow ainda planeja demonstrar seus produtos em estandes de fabricantes líderes de máquinas, oferecendo aos visitantes a oportunidade de conferir o processamento e o desempenho desses materiais durante o evento. A empresa também será a anfitriã de uma série de apresentações técnicas, com especialistas que falarão sobre tópicos que incluem sustentabilidade, desempenho da aplicação de produtos, tendências do mercado e design de embalagens, entre outros.

DSM

Soluções sustentáveis e inovadoras compõem a atração dessa expositora, dona de um portfólio de plásticos de alto desempenho, e que promete fazer todo o possível para contribuir para um mundo mais sustentável. Várias aplicações inovadoras automotivas ilustram o estande da empresa, demonstrando como ela se posiciona perante as principais tendências de aumento da demanda e de redução de emissões, diminuindo o peso dos veículos e aumentando a eficiência de combustível, como comprovam os reservatórios de óleo de poliamida 6 Akulon Ultraflow, desenvolvidos com a Steep Plastique para a Peugeot; e com a BPP para a Daimler. Segundo a DSM, as peças são 60% mais leves do que as versões de metal e ainda são altamente resistentes a impactos. Novas aplicações para a poliamida 410 EcoPaXX incluem a tampa do motor do novo Mercedes-Benz Classe A, bem como a tampa do virabrequim para uma nova geração de motores eficientes em termos de combustível da Volkswagen. A empresa ainda destaca novos materiais voltados especificamente para aplicações automotivas, como o grade da resina Arnite A (PET) resistente à hidrólise, desenhado para peças cuja dimensão é importante, além de um portfólio de compostos termoplásticos avançados de alto desempenho para componentes estruturais.

Considerando que, em elétrica e eletrônica, a miniaturização, a leveza e a velocidade da inovação são fundamentais, a DSM contribui com os clientes na produção de designs mais finos e na integração de funções utilizando materiais com excelentes propriedades de processamento e ainda livres de halogênio, sinônimo de menor impacto ambiental do lixo eletrônico. Listada entre as principais produtoras de conectores de memória, a Lotes emprega Stanyl For Tii para caixas para a nova geração de conectores DDR4, apropriados para a solda de refluxo por onda e infravermelho. O Stanyl For Tii T11, um novo grade livre de halogênio para bornes, oferece retardante à chama de classificação UL94-V0, combinado com excelente desempenho térmico e mecânico, e resulta em componentes com pegadas de carbono significativamente mais baixas do que as versões feitas de materiais rivais. A resina também fez um grande avanço com a aprovação da Cicorel, especialista em sistemas e componentes eletrônicos, para uso em dispositivos tridimensionais moldados de interconexão, 3D-MIDs.

ENGEL

Plástico Moderno, ENGEL_e-motion_30_TLA tradicional fabricante de injetoras exibe o novo rebento de sua família de máquinas totalmente elétricas, o modelo e-motion 30 TL, fechamento de 30 t, um design compacto, mais leve, e configurado para oferecer máxima precisão e eficiência energética, em aplicações tais como a produção de componentes eletrônicos e ópticos de precisão. A expositora destaca na nova e-motion 30 TL o novo conceito de quadro “inteligente”, com a garantia de um elevado paralelismo entre as placas, e uma distribuição uniforme da força de fechamento através de toda a placa fixa do molde. Com sistema de fechamento operado com servomotor, assegura ciclos a seco muito curtos, inferiores a um segundo. Equipada com unidade de injeção 50, a máquina atinge uma velocidade de 800 mm/s. São disponíveis três diâmetros de cilindros: D15, D18 e D20. A empresa ainda destaca outro lançamento: a nova unidade de controle CC 300, que promete redefinir a interface homem/máquina. A empresa atribui ao novo gerenciador tecnologia de ponta e ergonomia otimizada, com uma disposição ideal dos elementos de comando e funções. O CC 300 é simples de operar e dispõe de recurso denominado e-move, que lhe confere precisão milimétrica de alta sensibilidade para controle dos movimentos, contribuindo para reduzir significativamente os erros de operação. O instrumento gerencia toda a célula produtiva, reduzindo tempos de ciclo e elevando a produtividade do usuário. A nova geração de controladores da Engel se alia a robôs lineares e robôs de múltiplos eixos integrados nas suas injetoras.

GNEUSS

Plástico Moderno, Gneuss---MRS_130A divisão de tecnologia de processamento comparece no estande da empresa com sua extrusora exclusiva MRS, dotada de sistema de rotação múltipla e desenhada para a recuperação de PET sem pré-secagem. O equipamento foi um sucesso após a sua apresentação na última edição da K, em 2011. Desde então, cerca de 40 desses modelos para aplicações em chapas, fibras e peletização foram vendidos para diversos países. De acordo com informações da expositora, essa tecnologia, que combina extrusora monorrosca com seção de múltiplas roscas, destaca-se por conferir ao equipamento um desempenho extremamente alto de desvolatilização e descontaminação, além de torná-lo robusto, facilitar a operação e a sua manutenção. Disponíveis em modelos com capacidades desde 35 kg/h até 2.000 kg/h, essas extrusoras também se prestam a outros tipos de aplicações, como processamento de poliamida ou poliolefinas.

A empresa exibe em seu estande uma linha composta por uma extrusora MRS 160 com sistema de rotação múltipla, um sistema de filtração totalmente automático RSF genius 200 e um viscosímetro Online VIS. Maior linha que a Gneuss já apresentou em uma feira, essa célula produtiva foi vendida para um cliente da Ásia e processará até 1,5 t/h de flocos de garrafas de PET.

A empresa ainda mostra uma linha de extrusão com uma MRS 130 de sistema de rotação múltipla, sistema de filtração totalmente automático RSF genius 200 e um sistema de filtração totalmente automático RSF genius 250. Destinada a processar até 1.000 kg/h de flocos de garrafas de PET diretamente em filamento contínuo, que requer filtração de 25 micra, a linha tem um sistema de filtração em “tandem”.

A Gneuss aponta como uma das principais vantagens da extrusora MRS a sua capacidade para processar PET sem pré-secagem, feito obtido com sua tecnologia patenteada, de seção de processamento exclusiva. O cilindro cortado no tambor tem uma abertura de aproximadamente 30%, propiciando ótima exposição da massa fundida. Por conta desse design, e utilizando vácuo de apenas 25 a 40 mbar, o desempenho de desvolatilização chega a ser 50 vezes maior em comparação com uma extrusora monorrosca convencional. Além disso, a MRS ainda oferece excelente desempenho em descontaminação, permitindo o processamento de até 100% de flocos de garrafas PET em produtos finais para contato com alimentos, e sem necessidade de qualquer tratamento prévio ou posterior do material.

A Gneuss também anuncia na feira a ampliação de seus modelos de filtros rotativos, com inúmeros desenvolvimentos em tecnologia de filtração. Trata-se dos novos modelos RSF genius e SFX magnus, de sistemas de filtração rotativa, totalmente automáticos, em processo e pressão constantes, com um conceito inovador de acionamento e autolimpeza.

O RSF genius M foi especialmente projetado para materiais altamente contaminados, tais como em processos de reciclagem. A sincronização inovadora do acionamento e o conceito de retrolavagem do filtro rotativo autolimpante RSF genius possibilitam uma redução drástica da quantidade de material perdido na autolavagem. O SFX magnus R também integra uma autolimpeza dos elementos do filtro e garante simultaneamente um processo constante. Esse sistema de filtração rotativa foi projetado para aplicações com nível de contaminação mais baixo, como no setor de reciclagem, no qual a retrolavagem se justifica, mas sem a obrigatoriedade de ciclos frequentes.

A empresa também apresenta um novo sistema para processamento e reciclagem de PVC, o SF pvc, desenhado sob medida para tais aplicações. Esse filtro rotativo se distingue por um processo otimizado, mesmo com altos níveis de contaminação, e por uma tecnologia de acionamento muito robusta. A exposição de filtros se completa com o KR, baseado em um projeto totalmente novo que combina a série de trocadores de tela descontínuos com o conceito de tecnologia de filtração rotativa. O produto também se destaca por seu design compacto e robusto.

Outro segmento de negócios presente no estande é o de sensores. A Gneuss desenvolveu uma tecnologia de membrana especial, de elevada resistência a materiais altamente abrasivos, portanto, com uma vida útil superior em relação aos sensores convencionais, para aplicação no processamento de compostos de plástico e madeira (WPC). Também disponibiliza projeto especial de sensores para trabalhos pesados, para condições de processo especialmente difíceis: com poucas pressões excessivas, picos de pressão frequentes, ou componentes não fundidos no material.

HAITIAN

Listado entre os maiores fabricantes mundiais de injetoras, o grupo chinês põe em funcionamento na feira modelos de suas diversas séries. Equipada com um molde de oito cavidades, a Mercury ME 550/26/26 produz abraçadeiras, peças de geometria complexa, de PA 12. Projetado com um sistema diferenciado de placas, que possibilita alcançar até 70% mais a superfície do molde, o equipamento ainda é mais compacto. Seu design simétrico mantém todas as forças no centro da unidade, assegurando um elevado paralelismo e melhores tolerâncias. A VE II 1900p da série Venus representa uma versão de alta velocidade, em operação no estande com molde de 24 cavidades, produzindo pazinhas para café com peso de apenas 0,6 g (de poliestireno), em ciclos de 2,9 segundos. O equipamento dispõe de unidade de injeção mais compacta e que propicia maior estabilidade e dinâmica no processo de injeção. A série Venus II possui modelos desde 1.500 kN até 3.800 kN, com velocidades acima de 350 mm por segundo, disponíveis com até 8 unidades de injeção para cada força de fechamento. A exposição ainda contempla o modelo MA II 100 eco, da série Mars, produzindo peças de PP com peso de 135 g em ciclos de 24 segundos. A injetora opera com acionamento servohidráulico, o que a torna mais eficiente e econômica em termos energéticos. Da série Jupiter, a fabricante exibe uma estreia mundial: o modelo JU II 5500/2950 opera no estande produzindo uma cobertura de motor de PA 6 reforçada com fibra de vidro, com peso de 700 g, em molde de duas cavidades, em ciclos de 43 segundos. A série Jupiter II promete alta repetibilidade, precisão e eficiência energética para uma ampla diversidade de aplicações. A injetora incorpora novo projeto, com tecnologia de duas placas, em forças de fechamento desde 12.000 kN até 66.000 kN, em espaços menores. A fabricante disponibiliza até seis tamanhos de injeção para cada unidade de fechamento.

Plástico Moderno, Hasco-moldesHASCO

Especializada no segmento de moldes, a empresa anuncia para a feira diversas novidades das suas divisões Mould Base e Hot Runner, com foco nos temas “Orientação e Localização” e “Temperatura de Controle”. Além de apresentar uma diversidade de novos componentes, a Hasco também destaca melhorias de produtos, tais como tolerâncias refinadas de montagem para elementos de localização; e exibe novos acoplamentos de conexão e mangueiras de controle de temperatura. Outros componentes funcionais com revestimento DLC também oferecem, graças à sua maior vida útil, novas possibilidades de aplicação. Uma nova placa isolante térmica de alta qualidade garante um equilíbrio ideal de calor nos moldes de injeção.

HERAEUS NOBLELIGHT

Especializada em equipamentos de emissão de infravermelho, a expositora assegura um processo eficiente e de forma orientada de soldagem de componentes plásticos, sem a necessidade de adesivos ou outros dispositivos de fixação, e ainda com economia de tempo e de energia. A Heraeus apresenta em seu estande sistemas e aplicações otimizadas de emissões de infravermelho, como carcaças para filtros de piscina, peças relativamente grandes e de paredes grossas, moldadas por injeção de PP, em duas metades, que são soldadas de modo perfeito, sem marcas de união. O equipamento utilizado nessa aplicação é um dos maiores emissores de infravermelho. Seu projeto tem o formato da letra grega Ômega, diâmetro de 61 cm e é equipado com um refletor de 180o, de modo que o calor seja totalmente direcionado para onde for necessário. De acordo com o fabricante, o sistema de solda por infravermelho oferece ciclos de tempos mais curtos. Além disso, a tecnologia infravermelha permite que as peças sejam precisamente centradas; a radiação é transmitida sem contato e gera calor diretamente no produto, evitando deslocamento das peças após a soldagem. Subsidiária do grupo alemão Heraeus, a Heraeus Noblelight fabrica e comercializa sistemas de emissão por infravermelho e ultravioleta para diversas aplicações.

KRAUSSMAFFEI

A nova injetora de duas placas e 900 toneladas de força de fechamento incorporada à série GX estreia na megafeira alemã. O modelo GX 900-8100 demonstra seu desempenho para ciclos rápidos produzindo embalagens em ciclos de sete segundos, e com consumo energético mínimo. A linha insere sistema de troca rápida de molde, com a célula produtiva incorporando dois robôs desenhados para operação em altas velocidades e sistema de controle MC6. A série GX agora também conta com opção para injeção multicomponente. O modelo GX 550 SpinForm produz na feira peças injetadas de termoplástico e poliuretano. De acordo com a fabricante, o equipamento associa ciclos rápidos e alta eficiência energética. A célula é equipada com robô para a remoção das peças. A exposição da KraussMaffei ainda dispõe de equipamentos para o segmento de poliuretano.

Plástico Moderno, Krauss-Maffei-Photo_1_130805_PM_EXTHAN_SchaumtandexKRAUSSMAFFEI BERSTORFF

A empresa alemã exibe o novo sistema para laboratório Schaumtandex ZE 40/KE 90, um conceito exclusivo de máquina composta por uma extrusora dupla rosca e outra monorrosca, destinada ao desenvolvimento e à otimização dos processos de produção de espuma. Fácil de operar, o equipamento tem um design modular e permite o processamento de diferentes matérias-primas. Além disso, mesmo em baixas velocidades, quando os resultados dos testes só podem ser transferidos de forma limitada, a produção consome menos matéria-prima. De acordo com informações da expositora, o projeto modular permite, por exemplo, que a extrusora dupla rosca ZE 40 UTXi seja configurada individualmente, para processar formulações com até dez componentes diferentes. Com respeito à fusão do material, o conceito da ZE 40 UTXi oferece condições ideais para processar todos os polímeros padrões e ainda plásticos de alta temperatura, até 350oC. Agentes de expansão sustentáveis são injetados diretamente para a zona de processamento através de bicos injetores e são misturados homogeneamente ao plástico fundido. O equipamento ainda dispõe de recursos que permitem uma fácil conversão para mudança de formulação. Plástico Moderno, Krauss-Maffei-Photo_2_130805_PM_EXTHAN_SchaumtandexEspecialmente concebida para o resfriamento, a extrusora monorrosca KE 90 possui uma geometria de rosca especial que assegura um ótimo resfriamento do material fundido. Segundo o fabricante, o equipamento consome entre 30% e 40% menos energia. As extrusoras de fusão e de resfriamento são coordenadas para otimizar todo o processo, mesmo com a produção máxima, alto teor de agente expansor ou formulações complexas. Todo o conceito operacional da Schaumtandex é projetado de forma intuitiva e de fácil entendimento. Suas funções de controle podem ser acionadas em um botão. O monitor fornece uma visão total do processo de extrusão. Além da Schaumtandex ZE 40/KE 90, a empresa dispõe de linha menor, a ZE 30/KE 90. A exposição contempla ainda duas novas soluções em extrusão para reciclagem, para converter resíduos plásticos com elevado teor de umidade em material de alta qualidade. O processo utiliza extrusora dupla rosca com componentes projetados de acordo com as especificações de cada cliente.

Plástico Moderno, LPKF_534_KS_PrecisionWeldLPKF

O sistema de soldagem a laser
PrecisionWeld é a principal atração dessa expositora. O novo processo a laser (clear joining) dispõe de uma tecnologia de fechamento e permite a soldagem de plásticos transparentes sem quaisquer aditivos. Além da novidade, os visitantes conferem no estande o amplo portfólio de sistemas de soldagem ofertados pela empresa, como o InlineWeld 6200, desenhado para uma integração em linha de produção do cliente; o InlineWeld 2000, em versão desenvolvida para soldagem radial; e o TwinWeld3D, sistema de soldagem híbrido para grandes peças em 3D.

LUBRIZOL

A expositora destaca na feira alemã a sua ampla gama de polímeros de engenharia (marca Estane) e as especialidades de poliuretano termoplástico da Merquinsa, incluindo as famílias Pearlthane, Pearlbond, Pearlstick e Pearlcoat. Esse extenso portfólio agrupa diversos produtos, entre os quais aqueles baseados em fontes renováveis. Nesta edição da feira, a Lubrizol enfatiza especialmente as soluções de TPUs alifáticos para aplicações nos segmentos automotivo, industrial, de eletrônicos, de esportes e de recreação.

NETSTAL

Plástico Moderno, Netstal---ELION1750_MEDSpez_2011_25_Presse_1773Reconhecida mundialmente pela alta precisão de suas injetoras, a fabricante suíça, pertencente ao grupo KraussMaffei, anuncia o lançamento de dois novos modelos na sua linha Elion: a injetora híbrida Elion 4200, e a totalmente elétrica Elion 2200. A primeira comparece ao estande produzindo tampas de PEAD, em molde de 96 cavidades, da sua parceira suíça Schöttli, em ciclos de apenas dois segundos. A Elion 2200 exibe seu desempenho em ambiente de sala limpa, produzindo componente de PP para a área médico-hospitalar, com molde de 48 cavidades da suíça Tanner, em ciclos de 9,6 segundos, curto, considerando o peso do produto, de 1,54 g.

Também com produção endereçada ao segmento médico-hospitalar, o visitante confere a injetora totalmente elétrica Elion 1750, para aplicações em sala limpa, destinada à área médica, em conformidade com as diretrizes internacionais, no estande da sua parceira HRSflows. Além da precisão suíça, o equipamento cumpre os requisitos de limpeza exigidos pela área médica, proporcionando aos fabricantes desses componentes ciclos muito rápidos. De acordo com a Netstal, a Elion é o equipamento ideal para tais aplicações, com garantia de alta produtividade e elevada precisão na produção de peças estéreis em acordo com todas as normas do setor.

Durante a feira, a expositora ainda demonstra o modelo da Elion 1750-530 em funcionamento, produzindo dispositivos de infusão de policarbonato, em ciclos médios de 16 segundos, em molde de 16 cavidades da empresa italiana RB/HRS. A Elion também opera com baixo consumo energético graças ao seu princípio de recuperação de energia. A fabricante estima que a economia de energia elétrica alcance até 70%, em comparação aos sistemas convencionais.

Além dos modelos da série Elion, os fabricantes de componentes para a área médica ainda dispõem das linhas CX e AX da KraussMaffei, as quais contam com uma ampla família de robôs projetados para melhorar a eficiência do processo e da produção.

PLASMATREAT

Plástico Moderno, Plasmatreat--The-market-leader-in-atmospheric-openair-plasma_hubcap_radkappeSituada entre as principais do mundo em tecnologia de jato de plasma atmosférico, a empresa alemã apresenta o seu sistema de plasma de última geração e desenvolvimentos sustentáveis para pré-tratamento de superfícies de materiais. A expositora promete demonstrar sua tecnologia de plasma Openair em funcionamento em seu estande, durante todo o evento. No mesmo espaço da Plasmatreat, comparece à feira a sua parceira CeraCon, especializada em tecnologia de espuma, que exibe uma nova célula robotizada para demonstrar que com o auxílio de plasma se obtém uma forte adesão entre um polímero apolar, no caso, o polipropileno, e uma espuma de poliuretano.

Segundo a Plasmatreat, o pré-tratamento com plasma Openair aumenta significativamente a capacidade de aderência e “molhabilidade” da superfície do material, assegurando uma longa estabilidade na colagem entre os adesivos e os revestimentos, mesmo sob condições adversas.

O mais recente sistema de plasma Openair foi concebido para pré-tratamento de perfis EPDM, de tamanhos variáveis e em processo de produção totalmente automatizado. A empresa criou também um sistema de pré-tratamento de plasma atmosférico de 180 cm de largura para uso em placas ou painéis leves. Além disso, demonstra o tratamento de alta precisão em peça geometricamente complexa, como a carcaça de farol, e as vantagens da ferramenta de análise da superfície, totalmente automatizada e integrada. A Plasmatreat destaca também o seu processo de plasma FPC (revestimento de pó fino), que a empresa considera como extremamente rápido e ambientalmente amigável, para a criação de superfícies metalizadas de plásticos. A expositora ainda exibe pela primeira vez uma nova gama de produtos que utilizam a tecnologia de baixa pressão de plasma para modificar e funcionalizar superfícies poliméricas.

RADICI

A fabricante italiana de plásticos de engenharia demonstra sua família de produtos, com especial foco em algumas de suas últimas inovações, como a nova poliamida com maior resistência intrínseca ao calor, de até 230oC, resultado de uma nova tecnologia de polimerização desenvolvida pela empresa. O novo grade complementa o portfólio da família de poliamidas Radilon HHR (high heat resistance), resistentes a altas temperaturas, as quais abrangem aplicações de até 210oC. Outra novidade fica por conta das novas especialidades em PA6 e PA6.6 reforçadas com fibras longas, agregadas à família Radistrong. Os produtos são indicados para substituir metal em aplicações críticas. Em comparação com plásticos convencionais, os novos materiais oferecem uma série de vantagens, entre as quais maiores rigidez, resistência ao impacto, resistência à fadiga e ao creep, e às altas temperaturas. As novas resinas estão disponíveis em grades de 20% a 60% de fibra de vidro. A Radici também apresenta uma nova família de PA6.12. Esses polímeros de cadeia longa possuem uma excepcional resistência química, até mesmo a sais como cloreto de zinco e cloreto de cálcio. As PA6.12 engrossam o portfólio da família de polímeros de cadeia longa PA6.10 feitas com 64% de matéria-prima obtida de fonte renovável, comercializadas sob a marca Radilon D.

SCHLICHT

Plástico Moderno, schlicht---Movacolor-MC-Weight-DurchsatzmengenerfassungsgerätA expositora divulga em seu estande produtos de diversas empresas representadas por ela. Da Sagitta, apresenta granuladores para compostos de borrachas não-vulcanizadas, de base natural ou sintética, e também para todos os tipos de termoplásticos, rígidos ou flexíveis. Entre as novidades dessa representada, destaca a família TEM, com sistema de corte com facas circulares e controle de velocidade, para corte de borrachas extrudadas ou outros elastômeros em formatos de perfis ou mangueiras; a série TGM, de máquinas projetadas para corte de mangueiras de borracha ou outros elastômeros; e ainda a linha TGT, de máquinas automáticas para aparar gaxetas e outras peças. Todas as suas operações são completamente automatizadas e uma célula fotoelétrica ajusta a quantidade de peças a serem aparadas.

De sua representada Duroplast, disponibiliza partículas baseadas em melamina ou ureia, em diferentes tipos e tamanhos (de acordo com a aplicação), para uso em cabines de jateamento. O produto se destina à remoção de revestimentos de superfície, lacas e cores de peças metálicas; à limpeza da máquina; ao preparo de tratamentos de superfície de plástico antes da aplicação do revestimento ou cor; e ao tratamento pós-aplicação da cor. O produto é isento de poeira, pode ser utilizado até 20 vezes e efetua uma limpeza suave e rápida.

Linhas de extrusão completas, incluindo os ferramentais, para perfilados em geral e tubos, são o destaque do grupo italiano Friul Filiere. O cardápio italiano é amplo, dispondo de extrusoras monorroscas, dupla rosca (cônicas ou paralelas), e ainda coextrusoras. O grupo entrega plantas completas (chave na mão), incluindo o know-how. O seu novo desenvolvimento consiste em uma linha de extrusão ultrarrápida, com velocidades acima de 200 metros por minuto, para tubos pequenos, com diâmetros entre oito e dez mm.

A nova unidade de medição MC Weight, da Movacolor, promete medir a real capacidade de alimentação de uma extrusora. Combinada com um ou mais dispositivos de dosagem gravimétrica, como o MC Balance, o MC Weight assegura precisão na autocorreção do sistema de dosagem de aditivos para extrusoras, detectando as menores variações na capacidade da extrusora, e ainda ajusta as unidades de dosagens. O MC Weight pode ser conectado com até seis unidades dosadoras MC-Balance sem necessidade de controle de interface com a extrusora. O equipamento também pode ser utilizado para controlar a própria extrusora.

A expositora ainda leva para seu estande o composto de limpeza Rapid Purge, com destaque para os grades MP 1000 e MP 900, desenvolvidos para uma limpeza mais fácil de máquinas injetoras, extrusoras e sopradoras, prontos para uso (não devem ser misturados) e para todos os grupos de termoplásticos. A empresa dispõe de uma ampla gama de compostos de limpeza, todos eles não abrasivos, atóxicos e isentos de fibras de vidro. Os produtos cobrem uma temperatura desde 170oC até 410oC.

TOPAS

O novo grade do copolímero cíclico-olefínico (COC) 7010F-600 para filmes é a atração dessa fabricante de resinas especiais. Segundo a expositora, o produto combina maior estabilidade térmica, com uma temperatura de transição vítrea de 110oC, e com um desempenho robusto no processo de extrusão multicamadas. O novo polímero dispensa pré-secagem e suporta temperaturas de processo acima de 230oC. É ideal para estruturas multicamadas com poliolefinas e resinas de barreira, como poliamida e EVOH, na produção de ampla gama de filmes para embalagens para a indústria alimentícia. A Topas apresenta também toda a sua linha de resinas COC, polímeros amorfos de alta transparência, com excelente barreira à umidade, elevada rigidez e resistência, além de ótima biocompatibilidade e boas propriedades de isolação elétrica.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios