K 2010 – Expositores notam recuperação nas vendas, puxada principalmente por demanda de países emergentes

Plástico Moderno, Elisabeth Braumann, da W&H, K 2010 - Expositores notam recuperação nas vendas, puxada principalmente por demanda de países emergentes
Elisabeth: recorde de produção de filme multicamada

Outro grande destaque em filmes balão marcou presença na exposição da alemã Windmöller & Hölscher, que apresentou uma máquina para cinco camadas da linha Varex, cujo novo cabeçote de 400 mm Maxicone P foi especialmente desenvolvido para produzir filmes poliolefínicos com estruturas inovadoras. Além disso, segundo explicou Elisabeth Braumann, da W&H, o cabeçote de cinco camadas torna a máquina capaz de bater o recorde mundial de produtividade, atingindo a faixa de 1.000 kg/h, o que foi devidamente divulgado no estande. Com cinco extrusoras Varex na linha em operação na feira – que precisava ser alimentada por quatro silos com resinas instalados fora do pavilhão –, a maior delas era responsável pela camada do meio do filme. Isso também é considerado um feito inovador, possível graças ao novo cabeçote, que no fim gera o filme com melhores propriedades.

Plástico Moderno, K 2010 - Expositores notam recuperação nas vendas, puxada principalmente por demanda de países emergentes
A coextrusora Varex: filme de 5 camadas mais fino

O filme produzido durante a K 2010 era de 40 µm, o que até então era conseguido apenas com máquinas de três camadas. De acordo com Elisabeth, o desenvolvimento veio atender a uma demanda crescente do mercado. Para a concretização, a ExxonMobil Chemical, uma das líderes mundiais na produção do polietileno metalocênico (mPE), foi envolvida no projeto para criar a nova geração de filmes de cinco camadas com base poliolefínica. Os resultados do desenvolvimento são filmes com melhores propriedades e mais finos, em comparação com os filmes de três camadas disponíveis no mercado. “Além disso, o projeto atendeu à nossa filosofia de ‘greenovation’ (inovação verde), ao reduzir de forma substancial o uso de matérias-primas para produção de filmes”, disse Elisabeth Braumann.

Se as melhoras nas propriedades do filme foram obtidas pela otimização da linha e pelo novo cabeçote, a alta produtividade é em razão do novo anel de resfriamento Opticool, sucessor do anel duplo Multicool D. A novidade tem melhor controle de fluxo de ar, o que evita quedas abruptas de pressão do ar de entrada, tornando possível a alta produtividade, pois o sistema garante resfriamento superior aos convencionais, segundo a empresa.

Plástico Moderno, Robert Deitrick, Diretor de vendas da EDI, K 2010 - Expositores notam recuperação nas vendas, puxada principalmente por demanda de países emergentes
Deitrick: multiplicador de camadas barra oxigênio

Inovação nas camadas – Na área de balão, porém, o considerado mais inovador foi apresentado pela Extrusion Dies Industries (EDI), empresa norte-americana especializada em cabeçotes. Trata-se de nova geração de blocos de alimentação para coextrusão com matriz plana, da linha Ultraflow, que funciona como multiplicador de camadas em filmes para melhorar as barreiras e o formato de embalagens alimentícias. Segundo a empresa, o bloco simplifica o ajuste fino de espessuras de camadas de estruturas de filme, com diminuição nas paradas, em aplicações diversas, desde a mais simples chapa até complexos filmes para embalagem.Plástico Moderno, K 2010 - Expositores notam recuperação nas vendas, puxada principalmente por demanda de países emergentes

De acordo com o diretor de vendas da EDI, Robert Deitrick, o bloco pode criar dezenas de microcamadas nos filmes, criando barreiras rigorosas. Um de seus primeiros usos, segundo ele, foi para o Exército Americano, que precisava de embalagens para alimentos de campanha que tivessem transmissão de O2 perto de zero, a fim de aumentar a vida útil dos produtos em zonas de combate. “E atendemos com sucesso. Depois de 30 dias de teste, as propriedades praticamente isolaram a embalagem do oxigênio”, disse Deitrick. De forma geral, com base em estudo científico da EDI, o “multiplicador de camadas”, em uma única camada de EVOH com várias microcamadas (houve um caso em que foram criadas 78 delas), pode reduzir a transmissão de oxigênio entre 60% e 80% e ainda melhorar a produtividade da extrusão.

Plástico Moderno, Paulo Sérgio Leal, Engenheiro, K 2010 - Expositores notam recuperação nas vendas, puxada principalmente por demanda de países emergentes
Leal: Rulli marcou presença entre os latinos

O bloco de alimentação Ultraflow V combina o fluxo de material derretido da extrusora em uma espécie de “sanduíche” de múltiplas camadas que a matriz de extrusão distribui para a largura pretendida para o produto. Mas o seu diferencial reside no fato de contar com “planos de combinação” ajustáveis, localizados onde os fluxos de material derretido se encontram com o canal de fluxo central. Esses planos de combinação podem operar de forma automática, sem necessidade de ajuste do bloco pelo operador, apenas deixando o plano ajustável no modo de flutuação livre, quando a posição é determinada diretamente pela pressão de equilíbrio desenvolvida pelo fluxo das extrusoras.

Mas a operação também pode ser ajustada manualmente. Principalmente em casos nos quais haja polímeros cuja interação no ponto de confluência tem a probabilidade de prejudicar ou comprometer a estrutura de múltiplas camadas. Nesse caso o operador pode fazer o ajuste fino do fluxo de polímero, por meio de um simples sistema em que eixos se estendem da parte externa do bloco de alimentação até os centros dos planos ajustáveis. Bom ressaltar que os novos blocos podem ser projetados para qualquer número de extrusoras ou camadas. No Brasil, a EDI é representada pela BY Engenharia.

Brasileiros – Na área de extrusão, havia duas empresas brasileiras expondo: a Rulli Standard e a Carnevalli, ambas com fábricas em Guarulhos-SP. A primeira não colocou em operação as máquinas, apenas expôs um modelo para chapas de 100 mm e outro de filme de 75 mm. De acordo com o engenheiro Paulo Sérgio Leal, presente no estande, embora a empresa já tenha participado da edição de 2007, quando conseguiu fechar negócio até com cliente na Tailândia, dessa vez a participação foi mais para marcar presença entre os muitos visitantes brasileiros e da América Latina. “Com nossa moeda forte não dá para sonhar com muitas vendas externas”, disse.

Plástico Moderno, Celso Giannico, Gerente comercial, K 2010 - Expositores notam recuperação nas vendas, puxada principalmente por demanda de países emergentes
Giannico: Brasil chega em breve nas multicamadas

Já a Carnevalli, além de servir uma concorrida caipirinha no estande, colocou para rodar uma coextrusora balão para três camadas, mercado para o qual mais se capacita e tem clientes no Brasil. Mas, segundo afirmou durante a K o gerente comercial Celso Giannico, a tendência é o país acompanhar a evolução do mercado mundial ampliando o número de camadas dos filmes. “Já vendemos máquinas de sete e cinco camadas e tenho certeza de que esses negócios passarão a ser mais frequentes no futuro”, disse.

Segundo Giannico, essa tendência deve se fortalecer para atender à necessidade de modernização do parque de extrusão no Brasil, estimado em cerca de 3.500 máquinas, a maioria delas com no mínimo uma década de operação contínua. E para essa renovação ele confia em plano específico para o setor plástico divulgado pelo BNDES, que financia máquinas novas e ainda capital de giro para os tomadores de empréstimo. “Nesse projeto acreditamos que as coextrusoras com multicamadas, máquinas mais eficientes em energia e as ambientalmente amigáveis serão as privilegiadas”, completou.

 

Saiba mais:[box_light]K 2010 – Sopro elétrico ganha força com motores mais baratos[/box_light]

Página anterior 1 2 3 4

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios