K 2010 – 2ª Parte – Mercado de injetoras reitera vigor e evidencia inovações tecnológicas

Plástico Moderno, K 2010 - 2ª Parte - Mercado de injetoras reitera vigor e evidencia inovações tecnológicas
Allrounder 920 H

A empresa suíça também aproveitou a ocasião da K 2010 para introduzir seu novo controlador aXos, que passará a integrar máquinas produzidas a partir do primeiro trimestre de 2011. As injetoras Elion expostas na feira já exibiam o controlador, cujo principal atributo é a livre programação de sequências de produção.

Recorde brasileiro – Tradicionalmente atuante no segmento automotivo, a Arburg sentiu o baque em 2008 e 2009, mas demonstrou a mesma empolgação vista em toda a feira. Seu mercado doméstico, o alemão, registrava vendas em recuperação desde março de 2010. Outros países do centro e do leste europeu já se alinharam à tendência positiva e Brasil, Ásia e México registraram seus melhores anos na história da empresa no ano passado (a filial brasileira, por sinal, atingiu o grande resultado em seu décimo aniversário). Mesmo o mercado estadunidense, o mais afetado pela queda nas vendas, contrariou as expectativas mais pessimistas e se fortaleceu.

Plástico Moderno, K 2010 - 2ª Parte - Mercado de injetoras reitera vigor e evidencia inovações tecnológicas
Sacolas de PP

O choque de 2009, por outro lado, dada sua intensidade no setor automotivo, forçou a empresa alemã a dar mais atenção a outros segmentos, em particular o eletrônico, o médico e o de embalagens, fato demonstrado em algumas das dez injetoras em exposição.

Um dos destaques foi a Allrounder 920 H, uma máquina híbrida com força de fechamento de 500 t que expande o portfólio da Arburg na faixa de injetoras de maior tamanho. A unidade de fechamento servoacionada – combinada a uma unidade de injeção hidráulica – demonstrava aovivo a alta capacidade produtiva da máquina, fabricando sacolas de PP de 560 g em ciclos de 25 s, a uma taxa de 80 kg/h. “É uma máquina única no mercado, com ciclo de produção a seco de menos de 2 s”, avaliou Herbert Kraibühler, diretor de tecnologia e engenharia da empresa.

A própria 920 H ainda oferecia aos visitantes uma amostra de outra criação: o novo assistente de set-up do tradicional sistema de controle das máquinas da Arburg, o Selogica. Segundo as informações de Kraibühler, pela primeira vez, o programa permite o ajuste do set-up do processo de injeção completo, por meio de menus autoguiados, parecidos com os assistentes de instalação do Windows, em apenas cinco passos, sem que o operador necessite de maior conhecimento do funcionamento do sistema de controle. O novo dispositivo facilita a preparação da máquina, de maneira segura, bem como agiliza as trocas de produto.

Plástico Moderno, K 2010 - 2ª Parte - Mercado de injetoras reitera vigor e evidencia inovações tecnológicas
Assistente de set-up

O diretor de tecnologia e engenharia assinalou que a exposição da Arburg possuía um claro foco em máquinas híbridas e elétricas, e destacou o papel central dos acionamentos elétricos, uma tendência que deve se acentuar no futuro. Ele exemplificou o empenho da empresa nessa área apontando um desenvolvimento conjunto com a Siemens, apresentado na K no estande da parceira em umaAllrounder 370 A com 50 t de fechamento, dotada de uma unidade de injeção de alta velocidade combinando um motor linear para o eixo de injeção a um rotativo, na dosagem. O motor linear traz ampla vantagem a esse tipo de acionamento inovador, oferecendo acelerações altíssimas e velocidades máximas de 2.000 mm/s.Plástico Moderno, K 2010 - 2ª Parte - Mercado de injetoras reitera vigor e evidencia inovações tecnológicas

Animada por um crescimento na casa de 180% em suas vendas no ano de 2010, ante o complicado ano de 2009, a Wittmann Battenfeld levou à K diversos novos desenvolvimentos aos visitantes. Uma das tecnologias apresentadas foi o processo variotérmico BFMold, criado para lidar com o fato de que peças com requisitos de alto brilho dificilmente atingem um acabamento superficial adequado sem que se precise aquecer muito o molde. Isso ocorre porque quando a matéria-prima entra no molde, a cavidade, mais fria que o plástico, imediatamente provoca solidificação da superfície do polímero, sem “copiar” adequadamente o polimento do molde. Para contornar o problema, é necessária uma fase de compactação do fundido sob alta temperatura e isso causa problemas na desmoldagem da peça, que requer seu resfriamento. Essa etapa de diminuição de temperatura é feita, tradicionalmente, com vapor (que demanda caldeiras), aquecimento indutivo (com pouca eficiência energética), ou óleo (ambientalmente desvantajoso), mas a Wittmann Battenfeld realiza o processo de variação térmica (daí o neologismo variotérmico) com água pressurizada, circulando pelos mesmos canais tanto no caso do aquecimento quanto do resfriamento. Segundo o engenheiro de vendas da Wittmann Battenfeld do Brasil, Marcos Cardenal, a própria injetora controla esse sistema de variação térmica, que passa a ser integrado à máquina. No entanto, as trocas térmicas feitas em dutos no interior do molde, como é normal, poderiam ser melhoradas, e aí entra o BFMold. Ele consiste da inserção de uma espécie de “piscina” no seio do molde, recheada de esferas, por entre as quais circula água com uma superfície de contato muito maior que aquela dos dutos dos moldes convencionais.

Página anterior 1 2 3 4 5 6Próxima página

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios