K 2007 – Fabricantes mostram máquinas “verdes”, velozes e com novas funções no molde

Segundo Müller, em 2007 será registrado um acréscimo de 10% nas vendas. Mas o melhor deve ocorrer no final do ano fiscal de 2008, como reflexo do plano global de reorganização.

Nesse caso, aliás, o executivo cita recentes negócios fechados no Brasil e em outros países latino-americanos, os quais começam a revelar demanda por injetoras de grande porte.

EXTRUSORAS

Plástico Moderno, K 2007 - Fabricantes mostram máquinas "verdes", velozes e com novas funções no molde
Extrusora BEX 1-75-34 chega a 1.500 rpm

A busca por ciclos rápidos e alta produtividade, com economia de energia e de matéria-prima baseada em novos projetos de roscas e cabeçotes que também melhoram a qualidade dos filmes, foi ponto comum da exposição dos principais fabricantes de extrusoras. Máquinas para filme tipo balão com novos acessórios, por exemplo, têm conseguido aumentar a produtividade em até 30% e isso sem afetar a flexibilidade de operação com vários tipos de resina e camada. No caso das extrusoras de chapas, tubos e filmes planos, houve expositores apontando o dobro de velocidade de produção em suas máquinas, assim como fabricantes especializados em tubos e perfis também ressaltaram sistemas mais rápidos e flexíveis.

Em meio ao propósito comum de aumento de produtividade, os segmentos mais chamativos eram o de extrusoras de chapas para termoformagem, seguidas pelas voltadas aos mercados de tubos e cabos. Isso porque foram nessas aplicações que os fabricantes conquistaram as maiores velocidades nos últimos anos, mais do que dobrando o out-put das máquinas, passando da média das extrusoras convencionais, de 100 a 250 rpm, para incríveis 1.500 rpm. Essa tendência, iniciada em escala piloto na K 2004, mostrou-se comercial em 2007, com alguns expositores mostrando versões modificadas.

Plástico Moderno, Petra Wagner, relações-públicas da BEX, K 2007 - Fabricantes mostram máquinas "verdes", velozes e com novas funções no molde
Petra: mais de 30 extrusoras da alta velocidade vendidas

Na seara da alta velocidade, um dos destaques foi a Battenfeld Extrusionstechnik (BEX), ao apresentar a extrusora BEX 1-75-34, uma monorrosca de alta velocidade para a produção de chapas de termoformagem de PP, PS, PET, ABS e PEBD. Trata-se de uma segunda geração de extrusora lançada há 20 meses, a qual atingia a velocidade de 1.200 rpm. A atual foi ainda aperfeiçoada e agora chega a 1.500 rpm, com o mesmo diâmetro de rosca da anterior (75 mm), motor de 440 kW para alcançar a alta produtividade de extrusão de 2 t/h, se processar PP, ou de até 2,4 t/h, se a resina for o PS. Segundo a relações-públicas da BEX, Petra Wagner, já foram comercializadas da versão anterior cerca de 30 extrusoras. A apresentada pela primeira vez ao público na K já roda em uma importante transformadora especializada em termoformagem da Europa. Só para se ter uma idéia do upgrade conseguido, na K 2004 a máquina com a mesma função da BEX se orgulhava de chegar a 440 rpm.

Também em extrusão de chapas, mas de PET para a indústria de embalagens rígidas, a Battenfeld mostrava nova máquina com rosca única. Atingia também alto nível de velocidade, com produção de 800 a 1.000 kg/h. Seu conceito, ao envolver rosca com uma seção de rolamento planetário para melhorar a difusão do fundido, dispensa a pré-secagem dos modelos convencionais de extrusão para chapas de PET. Isso representa uma economia de energia de cerca de 60%, visto a secagem ser realizada por um secador de infravermelho combinado no contrafluxo da rosca.

Plástico Moderno, Alexander Lohmann, relações-públicas, K 2007 - Fabricantes mostram máquinas "verdes", velozes e com novas funções no molde
Lohmann: recorde mundial mostrado em Lengerich

Vale também acrescentar as informações e amostras de tubos produzidos pela linha de extrusoras dedicadas da BEX. Nesse sentido, chamava a atenção o fato de as extrusoras de rosca singular de 75 mm passarem a ser disponíveis a partir da feira em faixa de processamento de 30 a 40 L/D e com produtividade máxima de 1000 kg/h.

Filme rápido – Outra grande companhia alemã destacando a alta produtividade de suas novas extrusoras foi a Windmöller & Hölscher. As façanhas conseguidas por seu esforço de desenvolvimento foram em parte mostradas no estande e em sua unidade de Lengerich, nas proximidades de Düsseldorf, em quatro dias de apresentações in-house. A estratégia foi considerada um sucesso e cerca de 250 pessoas por dia se deslocaram, por microônibus providenciado pela W&H, para ver máquinas expostas em seu quartel-general.

Plástico Moderno, K 2007 - Fabricantes mostram máquinas "verdes", velozes e com novas funções no molde
Filmex: nove camadas para filmes cast

Em termos de velocidade, o destaque ficou por conta da extrusora de nove camadas Filmex, de filmes tipo cast, mostrada para os visitantes convidados em Lengerich. Conforme o relações-públicas Alexander Lohmann, a máquina registrava um recorde mundial: processava um filme de polipropileno assimétrico (CPP) de 1.800 mm de largura em uma velocidade superior a 350 m/minuto, com taxa de produção de 1.000 kg/hora. A máquina processava um filme laminado de 25 micrômetros e três camadas com boas propriedades ópticas, especialmente em termos de transparência e brilho.

A alta produtividade foi atingida, segundo explicou Lohmann, em primeiro lugar por causa da nova concepção da rosca SMB (smooth barrier screw, rosca de barreira suave), que permite melhor distribuição das camadas, e também em virtude da unidade de calandras, com capacidade melhorada de resfriamento por ter controle separado de temperaturas. As novas roscas, ainda de acordo com o executivo, permitem um aumento de 50% na produtividade, em comparação com os projetos convencionais.

Página anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9Próxima página

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios