K 2007 – Fabricantes mostram máquinas “verdes”, velozes e com novas funções no molde

Plástico Moderno, K 2007 - Fabricantes mostram máquinas "verdes", velozes e com novas funções no molde
LED (acima) é injetado e montado em hidráulica triocomponente

Foi esse o caso da alemã Arburg, que em meio a seu estande de 1.400 m2, com nove injetoras expostas, reservou um espaço de destaque para mostrar um desenvolvimento definido pela própria empresa como a maior tendência futura da moldagem por injeção. Trata-se da produção em uma única etapa, na célula de injeção do molde, de uma lâmpada com base em diodos emissores de luz (LED). O projeto é uma parceria de pesquisa e desenvolvimento que conta ainda com a companhia especializada em moldes Oechsler AG, responsável pela idéia inicial; além da Günther, de câmara quente; as de automação Kiki e Rohwedder; a Osram, de semicondutores; e a Siemens, que forneceu o plástico condutivo.

O processo, na verdade uma demonstração modelo, foi concebido em uma injetora hidráulica AllRounder 370 S 600-70-30-30 tricomponente. O ciclo de produção, de apenas 40 segundos, começa com a injeção do suporte externo em ABS, ao que se segue, nos demais componentes do molde, de três lentes  em poliamida (PA) transparente especialmente concebidas para receber os diodos. Após isso, um robô (Multilift) insere o resistor e três LEDs nas lentes. Para finalizar, o terceiro componente, um PA altamente condutivo, é sobreinjetado sobre a peça para moldar a parte inferior da lâmpada. Todo o processo resulta em uma lanterna acabada, pronta para o uso.

Plástico Moderno, Kai Wender, diretor da Arburg, K 2007 - Fabricantes mostram máquinas "verdes", velozes e com novas funções no molde
Wender: montadoras devem se interessar pelo novo processo

Embora pareça simples, o novo projeto envolve detalhes sofisticados. Para injetar o PA altamente condutivo, por exemplo, foi necessário usar a tecnologia de câmara quente e os componentes eletrônicos precisaram ser encapsulados. Para isso, foi preciso combinar um sistema completo de

câmara quente com outro de três placas hot-runner/cold-runner em uma estação tricomponente rotativa, que eletricamente realizasse uma rotação de 120º até a próxima estação. A operação envolveu muito esforço de pesquisa entre os envolvidos na tecnologia.

De acordo com o diretor da Arburg, Kai Wender, a operação do processo na feira tinha caráter apenas demonstrativo. Mas o objetivo era justamente mostrar a possíveis futuros clientes que essa complexa produção já é possível. “Acreditamos que a indústria automotiva vai se interessar muito pela técnica, pelo que ela representa de agilidade para produzir faróis de carro”, diz Wender.

A tendência de mostrar novidades em tecnologia de aplicação, ainda no caso da Arburg e envolvendo a cooperação tecnológica, não se limitava a esse processo. Um outro desenvolvimento foi em conjunto com a Universidade de Erlangen-Nuremberg, na Alemanha. Em exposição no estande próprio da universidade, a tecnologia empregava uma injetora AllRounder bicomponente, que produzia uma engrenagem plástica com propriedade autolubrificante.

Plástico Moderno, K 2007 - Fabricantes mostram máquinas "verdes", velozes e com novas funções no molde
Engrenagem é autolubrificada

Esse aparente “milagre” foi possível em razão do desenvolvimento da injeção bicomponente: o interior da engrenagem é moldado com POM bastante sólido e resistente e a segunda injeção, da parte externa, com um fina parede de POM com PTFE, ambas as resinas da produtora alemã Ticona. Com o processo, as propriedades dos plásticos são combinadas para proporcionar estabilidade interna e característica de umidade e de fricção reduzida da externa. A idéia aí, assim como a responsável pelo desenvolvimento da lâmpada, é gerar produtos finais apenas com a moldagem por injeção.

Assento de uma vez – Houve outros exemplos de tecnologia de aplicação na K. A americana Milacron planejou que uma de suas sete máquinas expostas em seu grande e movimentado estande – quatro injetoras, duas sopradoras e uma extrusora – fosse voltada para mostrar uma sofisticada aplicação de injeção realizada em apenas uma etapa. Por meio de sua divisão européia, a Ferromatik Milacron, a inovação foi apresentada em um modelo da série K-Tec, a 450, que operava com a tecnologia patenteada de moldagem chamada turning stack-mold.

Apesar de destacar a ampliação de range de suas máquinas elétricas, da série Elektra Evolution – que antes iam até 180 toneladas de força de fechamento e nesta K passaram a se disponibilizar até 230 t –, a K-Tec 450 ETW conta com acionamento hidráulico que lhe permite com mais facilidade executar a integração de moldagem de várias partes plásticas em uma etapa. A demonstrada na K foi um projeto da ferramentaria de molde Foboha para a fabricante de assentos Bemis, que possibilitou em uma única operação integrada a produção de um assento sanitário completo com suas dobradiças. Anteriormente, o produto era feito a partir de oito peças, conectadas por dobradiças de metal.

Página anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9Próxima página

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios