Interplast – Com mais expositores e visitantes, o evento gera negócios pós-feira estimados em valores acima de R$ 480 milhões

Preservando roscas – Atuando também no setor de roscas e cilindros para injetoras, extrusoras e sopradoras, tanto na fabricação como na recuperação, a Rosciltec participou pela primeira vez da Interplast, com a intenção de mostrar aos visitantes a grande importância de fazer manutenções preventivas para prolongar a vida útil desses materiais essenciais para a produção.

“Já temos uma base sólida de clientes em Joinville, nas áreas de extrusão de filmes e de injeção de termoplásticos, mas consideramos muito importante a nossa vinda para esclarecer novos transformadores sobre as possibilidades para se recuperar roscas e cilindros antes que apresentem problemas irreparáveis”, afirmou Edivaldo Lopes, diretor da Rosciltec.

Plástico, Interplast - Com mais expositores e visitantes, o evento gera negócios pós-feira estimados em valores acima de R$ 480 milhões
Capacidade de moagem da linha Mak chega até três toneladas/hora

Entre os procedimentos adotados pela empresa estão medições in loco para verificações de desgaste com o uso de micrômetros internos e externos através dos quais é possível fazer avaliações precisas sobre o grau de desgaste para se promover, então, as necessárias recuperações.

Alta tecnologia em moldes – Com vasta experiência na construção de moldes complexos, iniciada há 28 anos, a Sulbras também se apresentou na 7ª Interplast com uma pequena mostra das milhares de peças produzidas com seus moldes fabricados em seu parque industrial formado por mais de 70 injetoras, com capacidade de força de fechamento do molde até 1.300 toneladas. Sediada em Caxias do Sul-RS, onde está instalado o seu centro de desenvolvimento de moldes, e com unidades em Sapucaia do Sul, Salto e em Joinville, a mais nova delas, instalada em novembro de 2011, no Perini Business Park, onde atuam 80 funcionários, a Sulbras destacou sua ampla gama de tecnologias, construindo moldes para injeção a gás, moldes para colocação de insertos metálicos, moldes para injeção elétrica, moldes para injeção hidráulica e híbrida, entre outros.
“Os nossos maiores clientes são do setor automotivo, os sistemistas que operam nas montadoras, e algumas das nossas especialidades são fabricar moldes para os sistemas de refrigeração dos motores dos automóveis, para os sistemas de bombas de combustíveis, para os defletores, para peças rotativas, como turbinas e hélices que fazem o motor girar, para o sistema de ar-condicionado e também fazemos com grande frequência moldes para eletrodomésticos, caixas eletrônicos bancários e

Plástico, Ricardo Prado, diretor-presidente da Piovan do Brasil, Interplast - Com mais expositores e visitantes, o evento gera negócios pós-feira estimados em valores acima de R$ 480 milhões
Ricardo Prado: traz para o país um novo desumidificador até 5kg/h

medidores de energia”, informou Liciane Dannenhauer, gerente de marketing e planejamento da Sulbras.

Superlavagem de flakes – Os grandes recicladores de PET estão investindo em sistemas de reciclagem mais eficientes, providos de superlavagem dos flakes a quente (85ºC), a fim de remover a cola dos rótulos em lavadora e, numa segunda etapa, descontaminar o PET pós-consumo em reator, proporcionando qualidade para a reutilização do material em pré-formas de embalagens que poderão até entrar em contato com alimentos, pelo sistema bottle-to-bottle, segundo informou Adão Braga Pinto, gerente comercial da Seibt, empresa veterana em suas participações na Interplast e que está fabricando o novo sistema de reciclagem de PET com superlavagem a quente.

Completo, o novo sistema abrange esteiras, rasgador de rótulos, detector de metais, moinho para pré-moagem, tanque de drenagem, tanque de decantação, reator para lavagem a quente, lavadoras, pré-secadoras, centrífugas, ciclone, moinho para remoagem, ventilador, silo com base para big-bags, entre outros.

Pinto também destacou moinhos que possibilitam a moagem de diversos materiais, como PS, PP, PEAD etc. em granulometrias de 8 mm em grãos, peletes e flakes, para o retorno às máquinas principais, e que podem operar à capacidade desde 150 quilos/hora até 600 quilos/hora, como no caso das moagens in-line de alta velocidade.

Nova aplicação em PA6 – Em sua estreia na Interplast, a Lanxess teve uma das participações mais destacadas, ao mostrar ao público a maior peça injetada no mundo para o setor automotivo de que se tem notícia, de poliamida 6 (PA6), altamente reforçada (60% de fibra de vidro), e pesando 9,5 quilos. Trata-se de alojamento para pneus (estepe) para automóveis, fabricado com a PA 6 Durethan BKV 60 H2.0 EF (Easy Flow), por injeção a gás, na Alemanha, para a última versão do Audi A8, em substituição à peça anterior, até então metálica.

Página anterior 1 2 3 4 5 6 7 8Próxima página

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios