Economia

Interplast – Com mais expositores e visitantes, o evento gera negócios pós-feira estimados em valores acima de R$ 480 milhões

Rose de Moraes
28 de setembro de 2012
    -(reset)+

    Além da Polaris Plus, o público também pôde conferir a nova extrusora balão, modelo E-40, com diâmetro de rosca de 40 mm, para bobinas picotadas com fundo estrela, também apresentada pela primeira vez pela empresa e com capacidade para produzir até 60 kg/hora de filmes.

    Plástico, Wilson M. Carnevalli Filho, diretor, Interplast - Com mais expositores e visitantes, o evento gera negócios pós-feira estimados em valores acima de R$ 480 milhões

    Carnevalli Filho: carro-chefe produz mais de 200 quilos/h

    Trata-se do relançamento de uma linha existente anos atrás e que foi aprimorada, recebendo novo painel de comando CLP e interface IHM. O projeto foi realizado para atender à grande demanda que está surgindo por parte de supermercados, entre outros pontos de vendas, para acondicionar produtos a granel, em embalagens (sacos) com larguras até 800 mm.

    No estande da AX Plásticos, empresa especializada na fabricação de linhas de

    Plástico, Minissopradora desenhada para laboratório tem controle CLP

    Minissopradora desenhada para laboratório tem controle CLP

    extrusão dimensionadas para pequenos espaços e para desenvolvimentos, o público também pôde conhecer a minissopradora para laboratório AXS. Com controle automático CLP, o equipamento sopra PEAD, PEBD, PVC e PP e possui rosca com diâmetro de 16 mm e relação L/D igual a 26, podendo produzir 100 frascos/hora de 190 ml.

    Vendas diretas – A 7ª Interplast também contou com a presença do diretor-geral da filial brasileira da Battenfeld-Cincinnati, o engenheiro Cássio Luis Saltori. No estande da companhia – joint venture firmada em 2010, que resultou na criação da nova marca –, o executivo divulgou o início da atuação direta da empresa no Brasil, com vendas de extrusoras mono e dupla rosca de alta produtividade para PVC, PE e PP, bem como os serviços de assistência técnica e a manutenção de estoques de reposição locais.

    Atuante com cinco fábricas em três continentes e com uma extensa estrutura de network para vendas e apoio técnico, a marca Battenfeld-Cincinnati traz duas companhias reconhecidas mundialmente, a Battenfeld Extrusionstechnik (Alemanha) e a Cincinnati Extrusion (Áustria). A Battenfeld-Cincinnati atua em três segmentos diferentes de mercado com três divisões (infraestrutura, construção e embalagens), fornecendo soluções completas de acordo com as necessidades dos clientes nas áreas de extrusão de tubos, perfis, filmes de PVC, compósitos de fibras naturais (WPC) e embalagens.

    Plástico, Cássio Luis Saltori, engenheiro, Interplast - Com mais expositores e visitantes, o evento gera negócios pós-feira estimados em valores acima de R$ 480 milhões

    Saltori anuncia investimentos em uma nova filial brasileira

    No Brasil, de acordo com o diretorgeral, a nova filial contará com novo escritório em Jundiaí-SP, podendo atender o mercado com as mais diversas extrusoras. “Só na área de PE, oferecemos extrusoras para a fabricação de tubos com diâmetros até 2.500 mm e, para atender ao PVC, disponibilizamos máquinas que produzem tubos com diâmetros até 1.200 mm”, informou Saltori.

    Os resultados alcançados na exposição surpreenderam positivamente a HGR Extrusoras. Em sua terceira participação no evento, a empresa, sediada em Guarulhos-SP, comercializou quatro máquinas. Três delas seguiram para transformadores de Curitiba-PR e uma para GoiâniaGO. De acordo com Ricardo Rodrigues, o diretor comercial da empresa, todos os modelos vendidos são exatamente iguais ao levado para a exposição. Ou seja, uma monoextrusora EVO 55, provida de rosca com 55 mm de diâmetro, de alta produtividade, baixo consumo energético e que já sai de fábrica com cabeçote bifluxo integrado à linha. “Extrusoras com essa tecnologia chegam a produzir 150 quilos/hora graças à motorização de 50 cavalos por magnetismo, um diferencial de nossas máquinas, e são 30% mais econômicas no consumo energético”, observou Rodrigues. O transformador que optar por esse tipo de máquina ainda poderá contar com três outros modelos com roscas em diâmetros de 70 mm, 80 mm e 100 mm, todas concebidas para operar com polietilenos de todos os grades.

     

     Plástico, Ricardo Rodrigues, o diretor comercial da empresa, Interplast - Com mais expositores e visitantes, o evento gera negócios pós-feira estimados em valores acima de R$ 480 milhões

    Ricardo Rodrigues: extrusora EVO 55 (esq.) sai de fábrica com cabeçote bifluxo embutido

    Outra empresa que apresentou sua linha de extrusoras na feira foi a Primotécnica. Fabricadas localmente em parceria com a Icma, da Itália, os modelos com dupla rosca corrotante são os mais procurados pelos transformadores brasileiros. Mas, além das extrusoras, a empresa também destacou a oferta de poliamidas 6, 6.6 e 6/6.6, fornecidas nas cores natural, branca e preto e com diferentes reforços de fibras de vidro, microesferas e cargas minerais, bem como aditivações com estabilizantes térmicos, elastômeros, grafite, entre outros.

    “Há oito anos, estamos oferecendo serviços de compostagem de poliamidas 6 e 6.6 ao mercado, especialmente com

    Plástico, Dante Casarotti, diretor da Primotécnica, Interplast - Com mais expositores e visitantes, o evento gera negócios pós-feira estimados em valores acima de R$ 480 milhões

    Casarotti privilegiou na mostra seus compostos de poliamida

    cargas de fibras de vidro, comercializadas com a marca própria Primid, principalmente para as indústrias automotiva e moveleira, que estão substituindo com grande sucesso peças metálicas de uso interno e externo nos veículos”, comentou Dante Casarotti, diretor da Primotécnica.

    Também participando da feira, a ADL, tradicional em soluções de automação, reciclagem, extrusão e granulação, conta, agora, com uma coirmã: a ADX – Fibras Sustentáveis. “Com mais de 25 anos de atuação no segmento de máquinas para reciclagem de plásticos, resolvemos investir em tecnologia própria para a fabricação de material ecológico composto por até 60% de fibras naturais de coco, bambu, bagaço de cana etc. e iniciamos a produção de cabides e de pastilhas”, informou Danilo Correia, diretor da ADX.

    Os cabides para vestuário são compostos com até 50% de fibras de bagaço de cana e já estão sendo encontrados em lojas em vários modelos. As pastilhas, em várias cores, são destinadas a acabamentos de paredes internas, contribuindo para a decoração dos ambientes. “Nossa intenção é expandir e ampliar a variedade de materiais com os compostos preparados com as fibras sustentáveis e ecológicas”, revelou Correia.

    Plástico, Danilo Correia, diretor da ADX, Interplast - Com mais expositores e visitantes, o evento gera negócios pós-feira estimados em valores acima de R$ 480 milhões

    Correia aposta em tecnologia própria para fabricar compostos baseados em fibras naturais, transformados em cabides e pastilhas

    Com ampla gama de soluções em roscas, cilindros, acessórios, moinhos, extrusoras, recicladoras etc., a Wortex, agora se lança numa nova empreitada. Em parceria com a Amut, tradicional empresa italiana, com a qual acaba de firmar joint venture, a empresa dará início em 2013 à nacionalização de vários equipamentos, como termoformadoras de alta velocidade, extrusoras para chapas, tubos e perfis, sistemas completos de reciclagem bottle-to-bottle, entre outros.

    Plástico, Paolo De Filippis, diretor da Wortex, Mauro Drappo, diretor da Amut, Interplast - Com mais expositores e visitantes, o evento gera negócios pós-feira estimados em valores acima de R$ 480 milhões

    Nova parceria entre Filippis (esq.) e Drappo rende nacionalização de diversas máquinas

    “Nossa parceria, assinada em julho deste ano, dando origem à Amut-Wortex, irá oferecer muitas novidades ao mercado brasileiro e pretendemos nacionalizar pelo menos entre 65% e 70% dos componentes para que os compradores tenham acesso às linhas de financiamento”, afirmou Paolo De Filippis, diretor da Wortex, acompanhado do diretor da Amut, Mauro Drappo, em visita à Interplast.

    Atuando há mais de 30 anos na Itália, com sede em Novara, a Amuté considerada pioneira em extrusoras para polímeros compostos com pós de madeira, que proporcionam chapas e perfis com efeito madeira para diversas aplicações, sendo também considerada líder no mercado de termoformadoras contínuas na Itália.



    Recomendamos também:








    Um Comentário


    1. […] tiram o metal de grande fatia d…Plastech 2011 – Organizadores apostam em forte expansão do eventoInterplast – Com mais expositores e visitantes, o evento gera negócios pós-feira estimados em valo… 0 comentários » […]



    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *