Aditivos e Masterbatches

Integração de aditivos e cores consegue ampliar vendas – Masterbatch

Antonio Carlos Santomauro
25 de agosto de 2019
    -(reset)+

    Portfolios ampliados – Na Procolor, o portfolio ganhou este ano diversos novos integrantes. Um deles, o aprimorador de processo CPD 0168, que nas linhas de injeção, além de reduzir o atrito entre resina e equipamento, interage com as moléculas da resina, das cargas e dos pigmentos da formulação. “Isso significa aumento da produtividade, redução do perfil de temperatura, com a consequente diminuição do tempo de resfriamento, melhor homogeneização da cor, maior brilho”, detalha Elisangela Melo, gerente nacional de vendas da empresa.

    Em sua linha de dessecantes, a Procolor incluiu o Pro-tech CPD 0090, que anuncia “excelente eficiência’ mesmo em concentração de apenas 1%. “Geralmente, dessecantes são utilizados em concentrações entre 3% e 5%”, ressalta Elisangela, que entre outras novidades de sua empresa cita ainda uma versão com efeito salmão da Living Coral – a cor do ano da Pantone –, e essências para altas temperaturas, nas versões mirtilo, menta, carro novo, maçã vermelha, café e baunilha, para brinquedos, sacos para lixo, cosméticos, entre outras aplicações.

    Plástico Moderno - Reinert: aditivo pode recuperar viscosidade do PET reciclado

    Reinert: aditivo pode recuperar viscosidade do PET reciclado

    A Cristal Master passou a contar com uma linha específica para BOPP – que consome principalmente masterbatch branco – e no segmento dos compostos de cor lançou a linha com alta concentração e elevado poder tintorial. “Entre os itens dessa linha há produtos para fios e cabos de PE reticulado, e masterbatch preto com negro de fumo com partículas muito pequenas, de 17 ou 18 nanômetros, para a produção de fibras”, destaca Luiz Carlos Reinert, diretor da empresa.

    Entre outros produtos diferenciados, prossegue Reinert, a Cristal Master tem um melhorador de viscosidade capaz de recuperar a viscosidade perdida pelo PET durante a reciclagem, e um agente interfacial para compatibilizar polímeros de composição diferente. Inclui também um neutralizador de odor, para reciclagem. “Normalmente os recicladores utilizam essências, mas nesse caso o odor não é eliminado, e sim transferido para as essências. Nosso produto realmente elimina o odor”, ressalta.

    A Cristal Master, complementa o diretor da empresa, disponibiliza ainda outros produtos, como: antimicrobiano cujo princípio ativo ela produz; antirisco para aplicações como autopeças e eletroeletrônicos; antifog, para embalagens de alimentos; difusores de luz; aditivos que melhoram a impressão a laser; melhoradores de ciclos de injeção; modificadores de fluidez e de impacto.

    Aquém das expectativas – Até pelas elevadas expectativas do início do ano, foi decepcionante o desempenho desse mercado no semestre recém-findo, relatam representantes dos fornecedores de masterbatches (que ressalvam: diferenciais mercadológicos e novos produtos permitiram às respectivas empresas resultados ao menos razoáveis).

    No começo de 2019, lembra-se Fardo, da Colorfix, o mercado se mostrava confiante, porém suas perspectivas de aquecimento da economia foram logo frustradas. “Mas fechamos um bom primeiro semestre”, relata. “Os transformadores estão apostando em nossa linha Marble”, enfatiza Fardo.

    E a reversão das expectativas do início do ano, observa Elisangela, da Procolor, significou adiamento de investimentos e redução dos tíquetes médios dos pedidos dos clientes do setor. “Até crescemos no primeiro semestre, relativamente ao mesmo período de 2018, porém esse crescimento ficou abaixo de nossa meta”, comenta.

    Elisangela também ressalta: além das dificuldades da economia, a indústria do plástico, precisa enfrentar crescentes restrições aos produtos descartáveis, como sacolas, copos e canudos. “Essas aplicações consomem mais commodities, que não são o forte da Procolor. Mas consomem grandes volumes de cargas, de masterbatches brancos, mesmo de compostos mais nobres nos copos de PP, e não há como isso não impactar o setor”, pondera.

    A Cromex, projeta Barbosa, deverá este ano registrar algum incremento em seus negócios, sendo a indústria de embalagens um dos setores que mais positivamente responde hoje às iniciativas de geração de negócios dos provedores de masterbatches. “E, até por ter muito a ver com a reciclagem, nossos dessecantes têm encontrado boa demanda”, especifica.

    Um portfólio de masterbatches pretos com diversas concentrações, de baixas a altíssimas, e também com compostos com propriedades condutivas, é outro diferencial da Cromex, realça Barbosa. “Há poucas opções de preto no mercado, e queremos dar mais alernativas aos transformadores”, ressalta.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *