Injetoras – Máquinas elétricas e híbridas consolidam atuação no mercado

 A canadense Husky expôs a injetora híbrida modelo Hylectric 300. “Não se trata de lançamento, mas é a primeira de uma série de máquinas vendidas para um mercado acostumado a comprar equipamentos nacionais”, afirma o diretor-geral da filial brasileira, Fábio Seabra. “Trata-se de um equipamento de alta performance e repetibilidade, com comando Polaris TM, baseado em ambiente Windows de fácil manuseio e com toda a conectividade de um PC”, explica.

Porém, um dos principais atrativos, segundo Seabra, refere-se ao preço do equipamento. “Estamos mais acessíveis do que nunca. Fechamos vários negócios na feira e mais de US$ 4 milhões em futuros projetos.” A injetora moldou pratos de PS, com molde de duas cavidades equipado com câmara quente da Husky, em ciclos de 3,7 segundos.

Na avaliação de Seabra, a exposição teve um papel importante na divulgação da linha da empresa. “Reestabelecemos muitos contatos com clientes que pensavam que a Husky era muito cara.” A linha da empresa é composta por máquinas de 90 a 5.400 t de força de fechamento, com capacidade de injeção entre 25 g e 47 kg.

O lançamento ficou por conta do novo controlador de temperatura fabricado no Brasil. “A linha de câmara quente também foi amplamente divulgada.” De acordo com Seabra, o mercado de polietileno tereftalato (PET) não apresentou grandes saltos, mas avançou em nichos específicos como o segmento de óleos comestíveis, entre outras embalagens. “As vendas da empresa deverão ficar 10% acima do montante registrado em 2006.”

 

Leia a reportagem principal:[box_light]Injetoras – Máquinas compactas, dotadas de melhores recursos e mais econômicas energeticamente dominaram o cenário da feira[/box_light]

Página anterior 1 2

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios