Indústria 4.0 aprimora processo com dados obtidos nos moldes

Ferramentaria Moderna: Indústria 4.0 aprimora processo com dados obtidos nos moldes em tempo real durante operação

No caso da fabricação de peças por injeção, os moldes são protagonistas para lá de importantes para o sucesso das linhas de produção.

Não à toa, os transformadores investem de forma significativa na obtenção de soluções eficientes para as ferramentas, da etapa de desenvolvimento do projeto ao final de sua vida útil.

Com o avanço da indústria 4.0, uma nova preocupação vem ganhando força entre ferramenteiros e transformadores.

Torna-se a cada dia mais necessário integrar os moldes dentro dos modernos processos industriais, os transformando em fontes de captação de dados que colaborem com a monitoração das linhas de produção.

Vale lembrar: a indústria 4.0 pode ser definida como o uso das informações recolhidas pelos controles de todos os componentes ligados às linhas de fabricação de um produto para o contínuo aprimoramento do processo.

Tais informações são trocadas, transmitidas via internet das coisas.

O processo envolve a estrutura presente no transformador (informações chamadas de verticais) e também nas dos fornecedores dele e as empresas destinatárias dos produtos, passando pelos responsáveis pela logística de distribuição (informações horizontais).

Já há alguns anos praticamente todas as injetoras oferecidas no mercado permitem a captação e troca de informações com os demais equipamentos envolvidos da linha de produção.

No caso dos moldes, a adoção de soluções que permitem essa integração é prática bem mais recente.

De acordo com especialistas, os primeiros dispositivos a permitir essa aplicação começaram a se popularizar há dois anos na Europa.

No Brasil, ainda são poucos os transformadores preocupados em sofisticar suas linhas de produção que estão atentos às vantagens proporcionadas pela tecnologia.

Como o avanço da indústria 4.0 se mostra irreversível para os transformadores interessados em se manter competitivos, duas empresas multinacionais de origem alemã já oferecem essa opção no mercado nacional.

Uma delas é a Bosch, que lançou o sistema Tooling Monitoring.

A outra é a Strack Normalien, que oferece o sistema Tim.

A Strack é representada no mercado local pela Tecnoserv, fabricante nacional de porta-moldes, câmaras quentes e revendedora de vários outros produtos para ferramentarias.

As duas soluções apresentam recursos para a obtenção de dados nas linhas de produção e, de quebra, colaboram com a manutenção e consequente elevação da durabilidade das ferramentas.

Tooling Monitoring – O Tooling Monitoring é uma solução que possibilita a digitalização de moldes de injeção de plásticos e também estampos para metais.

Indústria 4.0 aprimora processo com dados obtidos nos moldes ©QD Foto: Divulgação
Monteiro: sistema foi criado na fábrica de Campinas-SP

“Ele foi desenvolvido sob a perspectiva das principais dificuldades no gerenciamento de ferramental no dia a dia de uma fábrica, sendo composto por um sensor que envia os dados monitorados e um software de gerenciamento”, explica Julio Monteiro, diretor Industrial da Bosch Brasil.

Com ajuda da conectividade e inteligência artificial, a gestão do ferramental ocorre por meio da coleta de dados qualitativos e quantitativos de modo contínuo e em tempo real.

Como resposta, são apresentados indicadores de produtividade, qualidade, rastreabilidade, antifraude, levantamento de informações para planejamento de manutenções e demais parâmetros de análise, além de permitir integração com outros sistemas de administração da empresa.

“O Tooling Monitoring surgiu em 2018, a partir das principais dificuldades que tínhamos no gerenciamento de ferramental no dia a dia na nossa unidade fabril de Campinas-SP”, relata Monteiro.

Por conta dos resultados positivos obtidos internamente, em 2021, a solução passou a ser disponibilizada para o mercado brasileiro e também internacional.

“Ele já está sendo utilizado em vários clientes e está presente em países da Europa e Ásia”.

Pelo sistema, podem ser monitorados dados como quantidade de peças produzidas, tempo de ciclo e eficiência de cada ferramenta.

Quando há uma parada de produção, o proprietário do molde pode classificar o tipo de parada, gerando uma estratificação dessas perdas produtivas e ajudando os times de fábrica no direcionamento da solução dos problemas.

De acordo com a quantidade de ciclos utilizados, o software também permite o gerenciamento da manutenção preventiva dos ferramentais.

Para quem conta com fornecedores que utilizam suas ferramentas é possível gerenciar se essas manutenções estão sendo executadas dentro dos prazos corretos a partir da emissão de mensagens de alertas.

Além disso, é possível monitorar a localização do ferramental via GPS.

“O produto está sendo comercializado por meio de um contrato de serviço de no mínimo três anos.

O sensor é alocado como comodato e o cliente paga pela utilização do serviço”, explica o diretor industrial.

Ele ressalta que durante o período de vigência do contrato qualquer upgrade do sensor ou alteração do software serão incluídos na prestação de serviços.

Indústria 4.0 aprimora processo com dados obtidos nos moldes ©QD Foto: Divulgação
Sensor coleta e transmite dados para o sistema central

Tim – O sistema Tim, da Strack Normalien, opera a partir da instalação nos moldes de um pequeno aparelho chamado de Tag e de outro pequeno aparelho batizado de Log colocado na máquina injetora onde o molde irá operar – no caso dele ser utilizado em várias injetoras pode ser instalado o Log em diferentes máquinas.

Os resultados da comunicação entre Tag e Log são visualizados por meio de um software.

O sistema permite o controle da documentação de todos os dados da ferramenta, como gravação de ciclos, horas de operação, verificação da necessidade de manutenção e outros.

De acordo com Wilson Teixeira, diretor técnico da Tecnoserv, além do controle do número de peças fabricadas, o Tim apresenta grande importância na hora de realizar um planejamento de manutenção mais eficiente.

“Os problemas inesperados podem resultar em paradas nas linhas de produção com grande prejuízo para os transformadores”, resume.

Outra consequência importante do uso do sistema ressaltada por Teixeira é a possibilidade de controlar de maneira mais eficiente o uso correto dos moldes durante a produção das peças realizada por prestadores de serviços terceirizados.

“É possível saber o momento em que o molde foi utilizado, quantas peças produziu e outras informações que evitam o mau uso da ferramenta”.

Para ele, por exemplo, sem o controle, pode ocorrer o fato indesejado do prestador de serviço fabricar um número maior de peças do que o combinado e depois comercializar essas peças de forma paralela.

Para adquirir o Tim, o interessado precisa pagar pelo serviço de instalação do equipamento e pelo aluguel do sistema.

Modernidades – Além de novos sistemas de monitoramento, a necessidade de integrar tecnologia avançada nos moldes de injeção tem sido uma preocupação constante das ferramentarias.

“Com certeza temos sido cobrados pelos clientes, a automação das ferramentas faz muita diferença para a eficiência das linhas de produção”, garante Wiland Tiergarten, diretor da Btomec, fabricante de moldes de injeção cujo carro chefe é o atendimento das empresas de embalagens.

Tiergarten informa que as cobranças atingem em especial os transformadores de grande porte e multinacionais.

“Muitas soluções exigem investimento maior e as empresas pequenas nem sempre têm condições de dispor dos recursos necessários”.

Para atender a demanda, a empresa procura desenvolver os projetos de acordo com a necessidade dos clientes.

“Temos um caso em que o molde fabrica um pote e sua tampa, de forma que a peça já saia montada da injetora”, exemplifica.

Para conseguir chegar a soluções diferenciadas, a Btomec conta com acordos de cessão de tecnologia junto a várias empresas europeias.

A busca pela oferta de projetos mais sofisticados também chegou aos fornecedores de componentes padronizados e demais acessórios para a indústria dos moldes.

A Tecnoserv, por exemplo, hoje inclui em seus porta-moldes um QR Code pelo qual os clientes podem encontrar todas as informações relacionadas ao produto.

“Essa é uma inovação oferecida de maneira standard.

Por meio dela o cliente não precisa mais utilizar catálogos, consegue todas as informações necessárias sobre os produtos com a ajuda de um celular”.

Outra marca bastante conhecida entre os fornecedores de componentes padronizados e outros produtos para os moldes de injeção, a Polimold destaca os avanços presentes nos controles de temperaturas de câmaras quentes que fabrica, hoje preparados para atender as exigências da indústria 4.0.

Toda montagem eletrônica, configuração dos chips, configuração elétrica e testes são feitos internamente, apenas os circuitos eletrônicos e chips são fabricados por terceiros.

De acordo com a empresa, o equipamento possibilita setup rápido e eficiente, controle inteligente de aquecimento gradativo por zona baseado nas condições climáticas, alerta e proteção contra degradação da resina, checagem e controle do balanceamento térmico a partir de diversos alarmes em situações como as de aumento de temperatura, entre outras.

Ferramentarias – Não existem estatísticas oficiais que mostrem o desempenho econômico das ferramentarias. Sabe-se que o setor é muito pulverizado e conta empresas que atuam com configurações diferenciadas.

Existem as prestadoras de serviços, que desenvolvem projetos e constroem os moldes de acordo com as necessidades dos clientes.

Também se encontram as que contam com injetoras em sua estrutura e prestam serviços de projeto e construção dos moldes vinculados à fabricação das peças.

Além disso, temos as ferramentarias verticalizadas, que pertencem aos transformadores que preferem adotar soluções caseiras.

Podemos dividir essas empresas por especialidades.

Algumas se dedicam aos moldes de peças que pesam alguns gramas, outras se voltam para as de grande porte, ferramentas que pesam toneladas.

Existem as voltadas para o nicho que trabalha em ciclos rápidos e grandes volumes de peças, entre as quais as que se encontram as envolvidas com o segmento de embalagens ou utilidades domésticas.

E assim por diante.

Diante desse cenário, fica difícil encontrar uma linha uniforme de desempenho.

Algumas ferramentarias se mostram satisfeitas com o ritmo das vendas alcançadas este ano, outras se dizem decepcionadas.

Os resultados variam muito de acordo com os segmentos econômicos atendidos.

O melhor parâmetro para se calcular a temperatura dos negócios se concentra no desempenho de fornecedores de componentes padronizados para as ferramentas.

Um dos fornecedores desses produtos é a Tecnoserv, fabricante de porta-moldes, câmaras quentes e revendedora de vários itens para ferramentarias.

Para o diretor técnico Wilson Teixeira, profissional que há muitos anos atua no segmento, não há grandes motivos para comemorações.

Neste ano, não está acontecendo a recuperação esperada com a redução dos efeitos da pandemia, apesar de nos últimos meses terem surgido alguns indícios de melhora.

“Algumas montadoras estão desenvolvendo projetos de carros novos e isso tem dado uma aquecida na demanda”, explica.

Por outro lado, Teixeira aponta alguns obstáculos que não colaboram e inibem investimentos.

Muitas indústrias dos mais variados segmentos da economia estão trabalhando com elevada capacidade ociosa.

Até haver uma definição da política econômica a ser adotada pelos políticos eleitos há um clima de incerteza sobre o futuro.

Os juros se encontram em patamares muito altos. Sem falar nos eternos problemas gerados pelo famigerado “custo Brasil”.

Os preços dos insumos subiram demais, em especial o do aço, matéria-prima essencial para a fabricação das matrizes.

O conflito entre Ucrânia e Rússia atrapalha a economia não só do país, mas de todo o mundo.

“Para se adequar à situação, muitas ferramentarias estão despedindo colaboradores experientes e contratando outros com currículo menos valorizado para reduzir os custos com a mão de obra”.

Leia Mais:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios