Incorporação de aditivos concentrados cresce e reforça atribuições

Plástico Moderno, Incorporação de aditivos concentrados cresce e reforça atribuições dos fornecedores - Masterbatch

Tradicionalmente referente apenas a mesclas de resinas e pigmentos destinadas a dar cor aos transformados plásticos, a palavra “masterbatch” assumiu um sentido mais abrangente, que permite a seus fabricantes se apresentarem como provedores de soluções para um leque bem mais vasto de atribuições: entre elas, conferir aos produtos plásticos características diferenciadas de qualidade e impacto visual, e reduzir os custos e prazos dos processos pelos quais eles são fabricados. Fundamenta esse novo posicionamento a crescente incorporação de aditivos, que já originou uma categoria diferenciada, a dos “masters de aditivos”, distintos dos usuais “masters de cor”.

Soluções nas quais há aditivos são bastante destacadas como atrações do processo de renovação dos portfólios dos fabricantes de masterbatches. Por exemplo, a multinacional A. Schulman anuncia como novidades dois aditivos destinados a embalagens alimentícias: o antifog PAF 1029 SC – que evita a formação de gotículas no interior das embalagens –, e o Easy Pour, cuja tarefa é facilitar a retirada dos conteúdos de pouches . “Ambos apresentam excelente desempenho tanto a frio quanto a quente”, destaca Roberto Castilho, gerente comercial da A. Schulman no Brasil e na Argentina.

 

Plástico Moderno, Aditive oferece seus aditivos antibloqueio,
Aditive oferece seus aditivos antibloqueio,
Plástico Moderno, para difusão da luz dentro de estufas,
para difusão da luz dentro de estufas,
Plástico Moderno, proteção de filmes agrícolas contra UV
proteção de filmes agrícolas contra UV
Plástico Moderno, e sequestrantes de ácidos em embalagens
e sequestrantes de ácidos em embalagens

Para o mercado agro, a A. Schulman lançou aditivos antipó – que evitam o depósito de poeira para permitir a entrada de luz em estufas –, estabilizadores UV com alta resistência a pesticidas e filtros IR que ajudam a manter o ambiente interno de estufas a temperaturas mais amenas. Castilho aposta bastante em demanda bem acentuada por outro novo produto de sua empresa: o agente de purga Polyclean 80014. “Ele tem uma tecnologia inovadora, pode ser aplicado em diversos tipos de polímeros, e em um percentual baixo: apenas 10%, enquanto tecnologias tradicionais requerem dosagens de até 50%”, justifica Castilho.

Empresas como a Aditive até anunciam ter foco em masterbatches de aditivos. Aliás, nas especialidades dos aditivos, pois, segundo João Ortiz, diretor-técnico dessa empresa, hoje existem aditivos vendidos como commodities. “Quase todo mundo nesse mercado tem aditivos antiestáticos, deslizantes e antibloqueio, e há até quem os venda ao preço das resinas”, afirma.

Entre as especialidades mais recentemente desenvolvidas pela Aditive, Ortiz inclui os sequestrantes de ácidos para embalagens de alimentos, por exemplo, para carnes e queijos, que para se manterem frescos exigem nas embalagens camadas protetoras contra perda de umidade. “A resina mais adequada para essa barreira é o PVDC, que em contato com a água pode formar um ácido prejudicial aos alimentos. Nosso aditivo impede o contato desse ácido com o alimento”, ele explica. “Também somos um dos poucos fabricantes de master antichamas para praticamente todas as resinas, tanto as mais comuns quanto as de engenharia”, acrescenta.

Plástico Moderno, Elisangela apresenta produtos especiais da Pro-Color, que direcionou o foco para segmentos de mercado mais exigentes
Elisangela apresenta produtos especiais da Pro-Color, que direcionou o foco para segmentos de mercado mais exigentes

Na Pro-Color, os dessecantes – cuja função é absorver umidade, especialmente nos processos fundamentados em resinas recicladas – compõem o atual carro-chefe da linha de aditivos. “Cresceu bastante a reciclagem no Brasil, e mesmo em pequenas concentrações os dessecantes melhoram bastante a qualidade dos produtos feitos com resinas recicladas”, justifica Elisangela Melo, gerente nacional de vendas da Pro-Color. “Por sua vez, o clarificante Pro-tech CPD 0145 dá alta transparência ao PP, além de colaborar com redução de tempo de ciclo e melhoria de janela de processamento”, acrescenta.

Alex Nascimento, gerente de especialidades da Pro-Color, também destaca aditivos entre as novidades da empresa. Casos do supressor de odor Pro-Tech CPD 0134 e do supressor de oxigênio de longa duração para PET Pro-Tech CPD 1000. “Há também nosso antirrisco Pro-Tech CPD 2000, para poliolefinas e resinas especiais, que melhora o acabamento de superfície e ajuda no ciclo de produção, permitindo maior velocidade, redução do desgaste e limpeza das máquinas, entre outros benefícios”, complementa Nascimento.

Plástico Moderno, Produtos especiais da Pro-Color, que direcionou o foco para segmentos de mercado mais exigentes
Produtos especiais da Pro-Color, que direcionou o foco para segmentos de mercado mais exigentes
Plástico Moderno, Moraes: Cromex amplia a linha de aditivos e cores, inclusive com insumos termocrômicos e fotocrômicos
Moraes: Cromex amplia a linha de aditivos e cores, inclusive com insumos termocrômicos e fotocrômicos

Resinas de engenharia e combos – A aceleração dos processos produtivos de peças plásticas é, certamente, uma das causas da expansão do interesse por aditivos, principalmente, pelos chamados auxiliares de fluxo, que permitem às resinas acompanharem melhor as máquinas mais velozes. Mas outros fatores estimulam ainda mais essa demanda. “A preocupação com o meio ambiente exige a reciclabilidade dos polímeros e, com isso, antioxidantes, dessecantes e redutores de odor também passaram a ser muito procurados”, observa Glauco Moraes, diretor comercial da Cromex.

No segmento dos plásticos de engenharia, especifica Moraes, os aditivos mais usuais são os melhoradores de fluxo e os modificadores de impacto. “Melhoradores de fluxo aumentam a janela de processamento, geralmente menor nos plásticos de engenharia, enquanto os modificadores de impacto elevam a resistência mecânica, importante nos produtos feitos com essas resinas”, explica.

Aditivos são hoje até demandados em conjuntos capazes de desempenhar mais de uma função. São os chamados “combos”, entre os quais podem ser citadas as combinações entre aditivos antibloqueio e antiestático – utilizadas em filmes para embalagens de alimentos, por exemplo –, e entre dessecante e antiodor, para as resinas recicladas. “Unindo em um único produto os aditivos destinados para a mesma aplicação, o combo reduz custos”, argumenta David Campos, diretor comercial da Ecomaster.

Dessecantes, ele diz, são os aditivos hoje mais demandados do portfólio da Ecomaster, empresa cuja atuação mescla produtos de prateleira com desenvolvimentos customizados. “Temos trabalhado muito em compostos com carbonato de cálcio que possam reduzir custos com menor impacto nos equipamentos, pois o carbonato é abrasivo”, comenta Campos. “Já conseguimos compostos capazes de reduzir em até 50% a quantidade de resinas, por exemplo, em sacolas”, ressalta.

Plástico Moderno, Cromex amplia a linha de aditivos e cores, inclusive com insumos termocrômicos e fotocrômicos
Cromex amplia a linha de aditivos e cores, inclusive com insumos termocrômicos e fotocrômicos
Plástico Moderno, Campos: combos de aditivos geram vantagens aos clientes
Campos: combos de aditivos geram vantagens aos clientes

Luiz Carlos Reinert dos Santos, diretor da Cristal Master, cita um aditivo antibacteriano desenvolvido por sua empresa como produto com boa demanda atual, encontrando aplicações em diversas indústrias: produtos de higiene pessoal, mobiliário, material escolar, entre outras. “Temos também um aditivo melhorador de ciclo que acelera o processo de cristalização da massa polimérica, reduz o tempo do ciclo de injeção, melhora a estabilidade dimensional da peça e minimiza problemas de empenamento e rechupe”, acrescenta.

Este ano, a Cristal Master já fortaleceu a ampla linha de aditivos com novos itens: entre eles, o anticolapso, que evita o colapso das células formadas durante a expansão em espumas de polietileno, por exemplo; o aditivo antitrilhamento, que previne a erosão do material polimérico utilizado como isolante; crosslinker, que promove reticulação do polietileno, reduzindo o índice de fluidez das resinas na rotomoldagem, proporcionando diversos benefícios para a peça final. “Também lançamos adesivo para extrusão de filmes multicamadas, somos agora um dos poucos fabricantes nacionais desse tipo de aditivo”, enfatiza Santos.

Efeitos diferenciais – Embora se posicionem cada dia mais incisivamente como fornecedores de soluções para gama mais ampla de funcionalidades, os fabricantes de masterbatches não se descuidam de sua atribuição original de provedores de concentrados de cor. Ou melhor, de provedores de conjuntos de cores associadas a efeitos potencialmente capazes de conferir características de diferenciação e exclusividade aos produtos de seus clientes.

A Colorfix, por exemplo, aposta na Marble, linha lançada no ano passado com a capacidade de conferir ao plástico efeitos similares aos do mármore, que atualmente inclui também efeitos associados a madeira e madrepérola. Na primeira fase, ela visou aplicações em PP e nesse segmento já aparece em cadeiras, mesas e utensílios domésticos, entre outros artigos. “Agora, a estamos testando em ABS, por exemplo, em eletroeletrônicos, autopeças e produtos para construção civil”, conta Francielo Fardo, diretor da Colorfix. “E essa linha está sendo testada em países europeus, no México e nos Estados Unidos”, acrescenta.

Mas a Colorfix, ressalta Fardo, também fornece uma linha composta por mais de dez aditivos. “Nosso agente de purga e o MB Filler (concentrado de cargas minerais) estão entre os aditivos hoje mais demandados. Para aplicações mais específicas, também há boa procura pelo retardante de chama e pelo anti-UV”, destaca.

Leone Bueno Filho, gerente comercial da Ampacet no Brasil, fala em acentuação da demanda por aditivos destinados a filmes capazes de prolongar a vida útil dos alimentos que embalam e simultaneamente conferir a eles efeito visual mais atraente: casos, entre outros, dos absorvedores de gases e dos antifog. “Nos Estados Unidos, esses produtos já têm uso bem consolidado e, do ano passado para cá, a demanda por eles começou a se expandir aqui no Brasil”, observa Bueno.

Plástico Moderno, SynWrap, da Ampacet, dá ao filme plástico aspectos sensoriais de papel de seda
SynWrap, da Ampacet, dá ao filme plástico aspectos sensoriais de papel de seda

A Ampacet também destaca produtos capazes de conferir efeitos diferenciados os plásticos, como as soluções Paper 2.0 e SynWrap, que anunciam, respectivamente, a possibilidade de efeitos visuais e táteis similares aos do papel e do papel de seda. Podem assim conferir a sensação de algo “mais natural” a embalagens de alimentos. “Para haver essa sensação, atualmente se usa a combinação entre uma camada de papel e outra de plástico, mas com o Paper 2.0 é possível obtê-la com uma embalagem 100% de polietileno”, pondera Bueno.

Soluções capazes de agregar efeitos sofisticados aos plásticos constam também do portfólio da Pro-Color, diz Elisangela, que exemplifica essa afirmação citando a linha de coloridos perolizados sintéticos Pro-Ultra. “É uma linha de alta performance, que entre outras coisas permite a obtenção de graus elevados de brilho, maior intensidade nas embalagens comparada a pinturas perolizadas automotivas, e redução de marcas de fluxo no processo de injeção”, descreve.

A Pro-Color, ressalta Elisangela, hoje foca mais decididamente nichos com demandas mais específicas – como cosméticos, brinquedos, autopeças, entre outros –, em detrimento do mercado fundamentado nos grandes volumes. “No ano passado, a empresa trabalhou com 90% de sua capacidade ocupada e, com a retomada da economia e novos projetos, tivemos a necessidade de ampliar a capacidade produtiva com a instalação de uma nova extrusora de dupla rosca”, comenta. “A estrutura também cresceu com a vinda de profissionais experientes, e houve investimento no laboratório, com equipamentos de alta resolução, como extrusora de filmes de bancada para testes e sopradora bicamada”, relata Elisangela.

Investimentos em alta – Projeções dos fabricantes de masterbatches expõem de maneira nítida a tendência de crescimento dos aditivos como fonte de receita. “Este ano, o consumo de masterbatches não deve apresentar forte crescimento, mas o de aditivos, sim”, projeta Santos, da Cristal Master, reservando o termo masterbatch aos produtos destinados a colorir. “Os aditivos ganham cada vez mais espaço no processo de transformação termoplástica devido à constante busca por melhoria de produtos, reaproveitamento de aparas, redução de custos e melhoria nos processos”, justifica.

No ano passado, diz Santos, a Cristal Master investiu cerca de R$ 5 milhões, parte deles destinados à aquisição de extrusoras para produzir os aditivos lançados neste ano. “Em 2018, investiremos outros R$ 5 milhões, aumentando nossa capacidade produtiva de 18 mil para 28 mil toneladas anuais”, adianta.

A A. Schulman, afirma Castilho, atualmente implementa um processo de investimentos para, até o próximo ano, duplicar sua capacidade de produção de masterbatches no Brasil, iniciada em 2010 e sendo conduzida em unidade localizada em Sumaré-SP. Ele apresenta números expressivos de expansão dos negócios no mercado brasileiro: “Nossa consistência em qualidade e serviços logísticos e de assistência técnica nos premiaram com um crescimento de 320% nos últimos três anos; ou seja, durante o período da crise”, afirma Castilho.

Na Ecomaster, especifica Campos, a projeção para este ano é de uma expansão de negócios de pelo menos 30%, em comparação com 2017. “Fabricantes de sacolas, descartáveis, higiene e beleza, construção civil e eletroeletrônicos apresentaram boa reação no primeiro trimestre de 2018”, detalha.

Plástico Moderno, Sacolas Forteplas recebem aditivação por masterbatches
Sacolas Forteplas recebem aditivação por masterbatches

Bueno, da Ampacet, não revela números, mas também projeta elevação das vendas de sua empresa no mercado brasileiro. E aposta principalmente na expansão dos negócios realizados com o setor do agronegócio. “Esse é talvez o setor que hoje mais cresce como cliente da indústria do plástico”, observa. “E crescerá ainda mais: no Brasil, a plasticultura ainda tem índices irrisórios, que devem se expandir porque a plasticultura reduz custos – com agroquímicos, por exemplo –, e porque a terra se torna mais cara e escassa”, argumenta o profissional da Ampacet.

A atual relevância mercadológica do agronegócio é enfatizada também por Moraes, da Cromex, que qualifica sua empresa como uma das principais fornecedoras de masterbatches para essa cadeia produtiva, oferecendo a ela um portfólio abrangente, que envolve concentrados pretos, brancos e aditivos de alto desempenho, como a linha de produtos para proteção aos raios ultravioleta com absorvedores, e anti-UVs convencionais com alta resistência a pesticidas. “Temos ainda absorvedores de raios infravermelhos, que conferem aos filmes capacidade de reduzir o calor nos ambientes internos de estufas, além de concentrados difusores de luz – responsáveis por espalhar a luz de modo homogêneo nesses ambientes –, além de antiestáticos e antigotejo, este para evitar a formação de gostas no teto da estufa”, acrescenta.

Entre os produtos mais recentemente lançados pela Cromex, Moraes cita um master antimicrobiano para polímeros como PE, PP, PS, ABS e PET, e um aditivo inibidor de corrosão (VCI), para conter a oxidação de peças metálicas. “Utilizado na fabricação de filmes plásticos para embalagens, o VCI protege com eficácia contra a ação da umidade os materiais metálicos fabricados pelas indústrias automotiva, metalúrgica, siderúrgica, eletroeletrônica e mecânica”, destaca.

De acordo com Moraes, a Cromex também agrega mensalmente cerca de duzentos novos integrantes a um banco já composto por aproximadamente 13 mil cores, com os mais variados efeitos: perolados, metalizados, fluorescentes, marmorizados, glitter, interferência, fosforescentes, entre outros. “Como novidades, temos as cores de efeitos termocrômicos, que mudam de cor conforme a variação da temperatura, para aplicação em peças de campanhas promocionais, brindes e brinquedos. Em brinquedos, também pode ser utilizado o masterbatch com efeito fotocrômico, que muda de cor com a irradiação da luz solar, e no segmento de cosméticos o efeito holográfico (metalizado)”, detalha Moraes.

Com os produtos desse e de outros fornecedores, a indústria brasileira de masterbatches hoje consegue atender de maneira satisfatória às necessidades de uma empresa como a fabricante de filmes, lonas e embalagens Electro Plastic, avalia Marcio Ponzini, seu gestor de compras. “No Brasil, essa indústria tem grandes empresas, tanto multinacionais quanto nacionais, e até em função dessa oferta ela consegue oferecer qualidade, diversidade, inovação e pessoal capacitado para colaborar com nossos desenvolvimentos”, ressalta.

Plástico Moderno, Filme PackFreezer, da Electro Plastic evita névoa em pacotes
Filme PackFreezer, da Electro Plastic evita névoa em pacotes

Dessa indústria, a Electro Plastic adquire basicamente masters de PP e PE, branco e preto sua maioria, e em menor escala também azul e amarelo, entre outras cores, além de aditivos auxiliares de fluxo, antioxidantes e compostos de carbonato, entre outros itens. No momento, consegue ter essa demanda integralmente atendida por empresas locais. “Preciso, porém, entregar para minha empresa qualidade aliada a preço, por isso estou continuamente cotando tanto com empresas daqui quanto com fornecedores do exterior”, finaliza Ponzini.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios