Importantes avanços no combate ao lixo nos mares – Plastivida

Iniciamos o segundo semestre de 2022 com notícias importantíssimas que marcam os avanços do setor no combater ao problema do lixo no mar, questão que vem sendo pauta mundialmente e sobre a qual a Plastivida atua há mais de uma década.

A primeira delas é a renovação por mais cinco anos do convênio da entidade com o Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo (IOUSP), iniciado em 2012, com o intuito de buscar o embasamento técnico e científico sobre a realidade dos mares da costa brasileira e da origem de seus resíduos, por meio de uma série de estudos, para endereçar as discussões e ações sobre o tema no País e além dele.

A atenção da Plastivida com a questão dos resíduos nos mares vem de longa data.

Quando foi lançado, em 2011, o Compromisso de Honolulu, dirigido a ONGs, indústrias e governos, com o objetivo de estimular o compartilhamento de soluções para reduzir o lixo marinho, buscando a melhoria da gestão dos resíduos em todo o mundo, a entidade já estava atenta a esse movimento.

Decorrente dessa ação, no mesmo ano, foi assinada a “Declaração Global Conjunta da Indústria dos Plásticos”, da qual a Plastivida é signatária. Essa declaração formalizou a posição desta indústria mundial com relação ao tema e seu comprometimento de trabalhar em conjunto com representantes dos governos, organizações não governamentais, pesquisadores e outros tomadores de decisão para prevenir o lixo no mar.

A partir da parceria com o IOUSP em 2012, foram desenvolvidas ações para conhecer e avaliar a temática no Brasil e sua relevância no cenário global, identificar e quantificar a origem dos resíduos nas praias brasileiras, estabelecer séries temporais de dados e desenvolver ações de educação ambiental.

Esse trabalho resultou, em 2016, na criação do Fórum Setorial dos Plásticos: Por Um Mar Limpo (www.porummarlimpo.org.br), que hoje conta com 19 signatários e promove estudos, interage com players mundiais sobre o tema e gera ações práticas, tanto de educação ambiental, quanto para solucionar a questão.

No âmbito do Fórum Setorial dos Plásticos: Por Um Mar Limpo, a temática do Operation Clean Sweep (OCS®), iniciativa de escala global da indústria plástica, foi internalizada no setor plástico.

Seu objetivo é auxiliar as empresas na eliminação de eventuais perdas de pellets plásticos para o ambiente, por meio do Programa Pellet Zero – OCS®, que prevê dentre outras iniciativas a educação ambiental aos colaboradores das empresas do setor.

Compromisso para o futuro do oceano: Plastivida ©QD Foto: iStockPhoto
Miguel Bahiense é graduado em Engª Química (UFRJ), pós-graduado em Comunicação Empresarial (FAAP/SP) e é presidente da Plastivida – Instituto Socioambiental dos Plásticos.

Como licenciadora brasileira do OCS® e integrante fundamental dos debates sobre os plásticos no mar, a Plastivida orgulha-se de ter desenvolvido, em parceria com o IOUSP e signatários do Fórum, o formato específico do Programa Pellet Zero de acordo com a realidade brasileira, com base no Manual original do programa criado nos Estados Unidos pela ACC (American Chemistry Council) e PIA (Plastics Industry Association).

A segunda notícia de grande importância é que esse formato diferenciado é hoje descrito em um artigo científico, assinado pelo professor e pesquisador do IOUSP, Alexander Turra, e que tem como co-autores Marcia Denadai, também do IOUSP, e Miguel Bahiense, Presidente da Plastivida, que será apresentado ao 7th International Marine Debris Conference (7IMDC), o principal evento global dedicado a compreender e promover ações para combater o lixo no mar.

Esta importante série de conferências foi convocada pela primeira vez em 1984 pela Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos EUA (NOAA).

Em 2011, o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) juntou-se à NOAA para co-sediar a sua 5ª edição (5IMDC) e continua envolvido até hoje.

Em 2022, o evento está sendo sediado pela primeira vez fora dos Estados Unidos entre 18 e 23 de setembro em Busan, República da Coreia do Sul, e tem o Ministério dos Oceanos e Pescas local como co-anfitrião.

A participação do Prof. Turra no 7IMDC para apresentação desse trabalho está sendo viabilizada pela Plastivida no âmbito do convênio institucional firmado.

Por fim, mas não menos importante, no dia 4 de agosto lançamos o Portal para o Programa Pellet Zero – OCS® com o objetivo de centralizar em um único ambiente digital todas as informações necessárias para quem deseja se capacitar e eliminar as eventuais perdas de pellets plásticos para o ambiente.

É um avanço no processo já estabelecido, para que as indústrias do setor plástico possam se informar sobre o programa e o modelo brasileiro de implementação, encaminhar a documentação necessária e acompanhar o andamento e a evolução de sua certificação.

Tudo isso reforça que é um anseio da cadeia produtiva dos plásticos ser um agente ativo no combate ao lixo dos mares, assim como – e porque não – ter o reconhecimento do protagonismo de nossas ações, que hoje, juntamente com o IOUSP, são apreciadas mundialmente.

Reforça, ainda a fundamental importância do conhecimento técnico e científico no embasamento das ações voltadas ao desenvolvimento sustentável, consistente e responsável.

Miguel Bahiense é graduado em Engª Química (UFRJ), pós-graduado em Comunicação Empresarial (FAAP/SP) e é presidente da Plastivida – Instituto Socioambiental dos Plásticos.

O EPS e a sustentabilidade - Plastivida ©QD Foto: Divulgação

PLASTIVIDA

Plastivida – Desde a sua invenção, os plásticos são um avanço para a sociedade. Mas além das suas funções e vantagens inquestionáveis, estamos aqui para iniciar uma nova fase da relação dos plásticos com a sociedade.

Uma relação mais racional no consumo e mais responsável no descarte; para o nosso bem e o bem do planeta. Mais informações: http://www.plastivida.org.br/

Leia Mais:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios