A importância da análise e como é o procedimento de coleta de amostra de um óleo lubrificante – Transformação: Óleo hidráulico – parte 2

A SIGNIFICÂNCIA DA CONTAMINAÇÃO

Na tabela abaixo, demonstramos os principais contaminantes e seus efeitos no lubrificante e nas peças.

Plástico Moderno, A importância da análise e como é o procedimento de coleta de amostra de um óleo lubrificante - Transformação: Óleo hidráulico - parte 2

CASE PROMAX BARDAHL

Para exemplificar a importância dessa análise e mostrar como é apresentado o laudo de procedimento de coleta de amostra de um óleo lubrificante, examinaremos abaixo o boletim de um clientes da Promax Bardahl, no caso, uma empresa que produz peças por injeção plástica para o mercado automotivo.

O lubrificante monitorado neste case é o Maxlub H-68 (que atende a norma DIN), mas vale ressaltar que a Promax Bardahl também disponibiliza no segmento o Maxlub MA 20 (que além da DIN, também atende a norma do fabricante, OEM).

A análise aconteceu em uma injetora 1 1800 T e teve como objetivo acompanhar o lubrificante em uso, para aplicar – se necessário – os seguintes ensaios: água por Karl Fischer, viscosidade, índice de neutralização, índice de viscosidade e presença de resíduos metálicos ou particulares.

Avaliando os pontos do ensaio em questão (aspecto, água por crepitação, cor e viscosidade cinemática a 40oC), verifica-se que os resultados encontrados estão de acordo com as características típicas, com exceção da cor, o que mostra que o óleo já vem sendo usado há algum tempo, mas este é um aspecto que não compromete, levando à conclusão de que o lubrificante está em condições de permanecer em uso.

Os resultados positivos de alguns aspectos nesta amostra também tornaram desnecessários outros procedimentos, como os ensaios de índice de neutralização e viscosidade. Isso porque não foram encontradas alterações na viscosidade e contaminação por água.

Quando necessário, o teste de índice de neutralização é realizado para saber se há um esgotamento dos aditivos. Já o índice de viscosidade é feito principalmente quando há contaminantes (solventes ou água). Neste caso, o procedimento para encontrar a presença de resíduos metálicos ou partículas também não foram necessários, pois não houve identificação dos mesmos na amostra.

O estudo permite concluir que, com o monitoramento correto e adequando, o período de troca do lubrificante hidráulico que, em geral, é realizado uma vez por ano pode chegar ao dobro, o que se traduz em economia e maior produtividade.

Plástico Moderno, A importância da análise e como é o procedimento de coleta de amostra de um óleo lubrificante - Transformação: Óleo hidráulico - parte 2

Página anterior 1 2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios